Altar de são Cipriano ©

Magias, encantamentos, magia branca, magia negra, ritos, conjuros, feitiçaria secular, conjurações, esconjurações, intercedências, invocações, rituais. Santeria, culto religioso, místico e espiritual aos santos.

 

Mestre Jorge; Mestre Daniel; Mestre Tiago; Mestre Paulo

 

 

Altar de são Cipriano e santa Maria Madalena - O caminho dos santos, Culto religioso aos santos; estatutos, fundação e constituição segundo «Manifesto Doutrinário», constante de registo em Oficio nº 5244-MC ; averb. Reg. Nº 5847/2009 ©

 

atendimentoonline2

Veja aqui:

Trabalhos de Magia segundo saberes ocultos de s.Cipriano

Consulta gratuita:

e-mail: altar.cipriano@gmail.com

Tl: 925 709 899

Altar são Cipriano © - Santeria – O caminho dos santos

Santuário sem fins lucrativos. Altar privado de culto religioso, místico, espiritual e esotérico.

Magia Negra, Magia Branca, Feitiços e rituais conforme saberes de São Cipriano.

 

altarCiprianoMagiaNegraMagiaBrancaFeiticariaBruxaria

 

 

 

 

 

+ O CAMINHO DA MAO ESQUERDA E DA MAO DIREITA +

 

AVISO PRELIMINAR AOS QUE ESTUDAM AS COISAS DO ESPIRITO E DO OCULTO:

O santo Salomão afirmou que é de Deus que provem o conhecimento sobre as coisas dos espíritos, e dos «poderes dos espíritos», (sabedoria 7,20). Revela também o santo Salomão que o desejo de conhecer os mistérios dos espíritos, e a sabedoria do espírito, esse desejo de sabedoria conduz a Deus e ao reino de Deus (sabedoria 6,20). Por isso, estudai, e procurai a sabedoria sobre todas as coisas do espírito, pois que a sabedoria do espírito elevar-vos-á espiritualmente, e o conhecimento dos espíritos  enriquecer-vos-á ao vosso próprio espírito, e a sabedoria dos espíritos é o caminho santo que conduz a Deus.  Por isso: estudai todas as sabedorias do espírito, e porem: usai bem toda a sabedoria do espírito, usando-a sempre em Deus, com Deus, e jamais fora de Deus, pois que essa é a única forma santa de caminhar nos mistérios dos espíritos e nos «segredos de Deus».(sabedoria 2,22) Assim, o estudo do oculto e do mundo do espírito, deve ser encarado da forma certa, ou seja, norteado por Deus, fundamentado em Deus, e guiado para Deus, jamais indo para além de Deus. E por isso, eis que na obra do santo são Cipriano se pode ler:

 

«Como diz são Cipriano na sua obra secular: Rogo pois, de todo o meu coração (…) tudo quanto fazemos é em nome de Jesus Cristo»

 

Obra de são Cipriano; Instruções a todos os religiosos, Pag. 36

 

Assim sendo: enriquecei o vosso espírito com o conhecimento dos espíritos, pois que a sabedoria é coisa boa, pois que assim está revelado:

 

De facto, Deus ama somente aqueles que convivem com a sabedoria.

Sabedoria 7,28

 

Usai por isso deste mandamento do santo são Cipriano, e em todos os estudos que empreenderdes nas artes do espírito, procurai a sabedoria dos espíritos e do oculto, e porem fazei-o sempre com Deus, por Deus, e jamais fora de Deus.

 

 

O «Caminho da direita»,

( ou seja: os princípios teológicos nos quais se centram os pilares fundamentais

do pensamento ortodoxo do catolicismo romano),

assenta nos seguintes 5 pressupostos:

 

I

 

O caminho da mão direita diz: «Aceita mansamente a tua dor, pois que não devereis procurar pela felicidade nesta vida, mas apenas na próxima vida.»

 

II

 

O caminho da mão direita alega:

 

O caminho da mão direita professa: «O mundo espiritual está separado do mundo físico. O contacto com o mundo espiritual é por isso um pecado»

 

III

 

O caminho da mão direita diz-nos por tudo o que foi exposto, que devemos negar a carnalidade e reprimir os nossos desejos, para atingir a espiritualidade. A espiritualidade é por isso atingida pela abnegação, abstinência, sofrimento e contemplação. Diz assim o caminho da mão direito, que devemos aceitar pacifica e mansamente o destino que nos é imposto, se desejamos a espiritualidade.

 

 

 

O «Caminho da esquerda»,

(ou seja: os princípios teológicos nos quais se centram os pilares fundamentais do pensamento de religiões cristãs e católicas, porem de natureza espírita e ocultista),

assenta nos seguintes pressupostos:

 

 

I

 

O «caminho da esquerda» , ( um caminho fundamentalmente protestante relativamente ás doutrinas do caminho da direita), afirma que nem a dor, nem o tormento, nem a pobreza, nem a solidão, nem a perda, são instrumentos para se ser feliz numa próxima vida, nem são percursos de salvaçã. Assim questiona o «caminho da esquerda»: «Como pode alguém ser feliz no «Além», se nunca conheceu a felicidade nesta vida ? Como pode um cego saber o que é ver, se nunca viu? Como pode aquele que viveu e morreu de fome, saber o que é estar saciado? O caminho da esquerda nega por isso que mal que nos atinge possa constituir o objectivo da nossa vinda a este mundo, uma vez considera que a felicidade, a realização e a sabedoria são   o objectivo da existência de uma alma, e o mundo espiritual deve de servir para construir esse percurso.

 

 

II

 

O «caminho da esquerda» alega que não devemos aceitar mansamente a resignação. Resignação é a melhor forma de um pastor guiar ovelhas a caminho de um matadouro, e nós não somos ovelhas e muito menos nos devemos sentir felizes por estar a caminho do matadouro.

 

III

 

O «caminho da esquerda» professa que o objectivo da evolução espiritual não é a dor,  mas sim da sabedoria.

O «caminho da mão esquerda» acredita por isso , que o infortúnio não é uma bênção de Deus, mas antes que um infortúnio é apenas isso: um infortúnio que vos pode suceder neste mundo repleto de corações maldosos, e neste mundo em que maioria prefere cair pelos caminhos da maldade que do bem. O infortúnio pode até ser usado por Deus para certos fins nas nossas vidas, contudo a bênção está em possuir sabedoria que nos permita aprender com o infortúnio, e descobrindo os seus motivos, passar a trilhar rumos certos e bons. E os espíritos podem auxiliar nesse percurso.

 

IV

 

O «caminho da esquerda» revela que o mundo espiritual actua em parceria com o mundo físico.

O «caminho da esquerda» professa assim que o mundo espiritual influencia o mundo terreno, assim como o mundo terreno influencia o mundo espiritual. As relações entre estes dois mundos, ( o mundo terreno e o mundo espiritual),  não são por isso de oposição, mas antes são relações de interacção.

 

Tal como na natureza o elemento positivo se relaciona com o elemento negativo e da dinâmica que dai advêm nasce movimento e vida, também o mundo espiritual e o mundo físico se relacionam vão «beber» um ao outro, e nesta relação reside o próprio «motor» da criação e da existência. 

 

O caminho da esquerda advoga por isso que alguém relacionar-se com o mundo espiritual não é por isso um pecado.

 

O caminho da esquerda crê também que a espiritualidade não é atingida apenas e exclusivamente pela abnegação, abstinência, sofrimento, dor, infortúnio e mera contemplação,

mas antes pela sabedoria e pelo próprio exercício da espiritualidade.

 

Significa o caminho da esquerda que não existe Deus, ou que a sua vontade deve ser desprezada?

 

Não, jamais significa uma tal coisa, ate porque os caminhos deste tipo de doutrina são Cristãos. E porem, eis que eles defendem uma perspectiva inteiramente mais liberal e viva do que é Deus e o mundo do Espírito.

 

Assim:

 

Não significa esse caminho que a vontade e o projecto de Deus não existam, e que não sejam bons.

 

Significa apenas uma certa postura mediante a vida e mediante a espiritualidade, ou seja:

 

  Significa ao invés de uma postura passiva, frouxa, triste, resignada e inactiva, adoptar-se antes uma postura espiritual activa e lutadora.

 

Significa apenas que ao invés de nos sentarmos a um canto chorando e julgando que estamos de alguma forma impedidos de falar com o mundo espiritual, que antes nos ergamos e comuniquemos com os espíritos procurando respostas aos nossos problemas e anseios.

 

Significa isto que devemos meter mãos á obra e contactar com o mundo espiritual, lutar, obter respostas, pedir intercedências.

 

Se no final o resultado esta nas mãos de Deus, contudo a verdade é que Deus é sensível aos que por ele procuram, assim como os espíritos são sensíveis a quem com eles dialoga de forma seria e com fé.

 

Não significa isso que ao actuar, sejamos sempre beneficiados com a concessão dos nossos desejos, pois que algumas vezes o seremos e outras não. O mundo não foi criado por Deus á medida no nosso umbigo, e se bem que há reivindicações que são atendidas, outras porem colidem com os projectos de Deus e não são atendidas.

 

 Contudo significa isso que ao invés de ficarmos de braços cruzados, frouxa e tristemente esperando que a felicidade brote das nuvens, (das nuvens nada vai cair para os seus braços), devemos ao invés lutar para procurar respostas claras no mundo espiritual e em Deus, pois que uma vezes venceremos e outras perderemos, contudo estaremos sempre e muito mais perto dos espíritos e de… Deus.

 

Significa portanto:

 

O caminho da esquerda não acredita que Deus queira o seu sofrimento nem a sua desgraça. A desgraça não provem de Deus, mas sim de um mundo que está repleto de corações que usaram a liberdade que Deus lhes deu para escolher andar destilando mal na vida dos corações bons, ao invés de percorrer o caminho do bem.  Ao contrário o caminho da esquerda professa que Deus quer que O procureis e que procureis o Espírito e que o façais com fé, e alegria, e devoção. Ao contrário o caminho da esquerda professa que Deus quer que O procureis e que procureis através do mundo do Espírito batalhar para vos livrar dos maldosos, lutar para vos limpardes da opressão do mal, para assim alcançar a vossa felicidade, e não que vos fiqueis resignados e em padecimentos fatalistas.

 

E pois assim, eis que então está escrito:

 

Eu nunca rejeitarei aquele que vem a mim

João 6,37

 

Pois Deus é Espírito, (João 4,24), e Deus é Senhor de todos os ESPIRITOS, (Números 16,22),  e este á um claro convite para entrar em contacto com o Espírito e com o mundo dos espíritos, e a nele procurar solução, e a nele encontrar salvação, e a nele encontrar resposta,  pois que o espírito interage com a este mundo e é sensível a ele e por isso se o procurardes com fé em Deus, ele não vos rejeitará.

 

Mais assim se afirma:

 

Deus é um deus vivo de crenças vivas e praticas vivas, e não um Deus de crenças mortas que apenas fez milagres no passado, mas que no presente está impotente de prodígios. Por isso mesmo assim está escrito:

 

«Deus não é Deus de mortos, mas sim dos vivos, pois que para Deus todos vivem»

Lucas 20,38

 

Pois para Deus não há morte, e tanto está vivo aquele que está neste mundo, como está vivo o espírito que está no outro mundo, e todos estão vivos, e por isso todos participam neste banquete celestial que é a vida em Deus pois que n’Ele não á morte, e eis que por isso uns e outros devem dialogar, comunicar, partilhar e procurar-se no seio da fé em Deus e da sua Lei.

 

Por isso se diz:

 

Deus é um deus tão vivo hoje como antigamente, e por isso, o caminho da esquerda professa que Deus tanto pode fazer o milagre hoje, como fez no passado.

 

E mais professa esse caminho, que Deus e o mundo do Espírito devem interagir e comunicar-se, pois o que num é feito no outro é ligado, e o que no outro é desfeito neste é desligado, e tudo aquilo que for feito conforme esta Lei será alcançado seja neste mundo ou no outro, e é através deste saber que o milagre se torna possível,  e é possível pois que assim está escrito:

 

Tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu. (…)

Mateus 18,18-20

 

Mais se diz:

 

O contacto e a procura de espíritos que auxiliem na vossa vida, se feita conforme os mandamentos de Deus, não é um pecado mas uma porta aberta á felicidade, pois que assim está escrito:

 

Se a pessoa encontra um anjo favorável, um intercessor (…) que tenha compaixão dele e diga a Deus: «Livra-o (…)» então [ o intercessor] suplicará a Deus que o atenderá

Job 33,23-26

 

Pois eis que o caminho da esquerda assim professa conforme assim está revelado, e assim diz que deveis procurar o mundo do Espírito, e que o deveis fazer com fé e com esperança, e que isso não é um pecado, e que deveis procurar em espírito um intercessor que vos ajude e que vos mude a sorte, ( como um santo de Deus), que vos eleve da miséria, do tormento, da pobreza, da solidão e que assim em vós se cumpra uma vida boa neste mundo, pois que vida não tem que ser boa apenas no próximo mundo mas neste também.

 

Mais:

 

O caminho da direita professa o sofrimento, a abstinência, a privação, a ausência  e o padecimento como porta de entrada para Deus e para a salvação, ao passo que no caminho da esquerda se professa que a abundância, o prazer e a prosperidade não são pecados mas sim uma bênção de Deus ao abençoado, pois que assim está escrito:

 

Deus acrescentou: Eu sou Deus todo poderoso: sê fecundo e multiplica-te

Génesis 35,11

 

Não há por isso pecado em que o homem procure a bênção de Deus para ir ser feliz com uma mulher, nem há pecado em que a mulher abençoada vá e encontre prazer no homem, nem há pecado em ver a vida prosperar, nem á pecado em ser feliz com todo o tipo de abundância, e todas essas coisas são boas e foram por Deus criadas.

 

Mais se diz:

 

Nada do que Deus criou e deu ao homem é mau ou pecaminoso, senão se o homem dessas coisas decidir fazer mau uso. Pois se o homem souber fazer bom uso de todas as coisas, então todas elas são boas pois que assim está escrito:

 

Tudo o que Deus criou é bom, e nada é desprezível se tomado com acção de graças, porque é santificado pela Palavra de Deus e pela oração

1 Timóteo 4,4

 

Por isso assim diz o caminho da esquerda:

 

Que mal existe em ter prazer?, em prosperar?, em ser feliz?, em ter abundância?, e concretizar um sonho?

 

Desde que tal coisa não implique o mal alheio…..qual o mal em ter o bom?, qual o mal de procurar o bom em Deus?

 

Não são essas coisas boas?, e não são essas as bênçãos que Deus dá ao que O procura?, e ao que com fé se Lhe entrega?

 

Como pretendeis fazer dos agrados e bênçãos que Deus dá, um pecado?, como se Deus existisse para vos oprimir?, ou como se Deus fosse um «carrasco» sádico que apenas tivesse prazer com a vossa dor?

 

Ao contrário se diz:

 

Procurai activamente por Deus e procurai activamente pelo espírito e procurai ser abençoado não apenas na próxima vida, mas também nesta mesma vida.

 

E aos do caminho da direita que gritam que tudo isto é uma mau, pois então assim lhes relembra o caminho da esquerda, conforme assim está escrito:

 

Serão seduzidos por homens hipócritas e mentirosos.  (…) eles proibirão o casamento, exigirao a abstinência (…), embora Deus tenha criado essas coisas (…) De facto, tudo o que Deus criou é bom, e nada é desprezível se tomado com acção de graças, porque é santificado pela Palavra de Deus e pela oração

1 Timóteo 4,1;4

 

E porem o caminho da direita diz:

 

«Não, não é assim! Apenas pela privação, pela ausência, pela abstinência e pelo sofrimento se atinge Deus, e por isso eis que nem sacerdotes devem ter mulher nem coisas carnais, nem os fiéis devem procurar pela salvação nesta vida mas sim e apenas na próxima.»

 

Pois a esses observa o caminho da esquerda isto que assim está escrito:

 

Se alguém não sabe dirigir bem a sua própria casa, como poderá dirigir bem a Igreja de Deus? (…) que os diáconos sejam esposos de uma só mulher, dirigindo bem os filhos e a própria casa

1 Timóteo 3,5-12

 

Isto que é dito na Palavra de Deus sobre os diáconos, assim também professa o caminho da esquerda para todos os sacerdotes e homens de Deus, pois o que é bom e verdadeiro para um dos filhos de Deus, então é bom e verdadeiro para todos os filhos de Deus, pois que Deus é só um e a sua verdade é só uma.

 

E por isso se diz:

 

Como pode um sacerdote que nunca conheceu o amor, saber o que é amar? Como pode aquele que não sabe o que é ser pai, ser um bom guia para os filhos de Deus? Como pode aquele que nunca fundou família, ser um bom pastor para a família de Deus? Como pode aquele que não fundou uma casa, ser obreiro na casa de Deus? A virtude da sabedoria é elevada, e porem a sabedoria que não viveu a vida e é apenas teórica…. é uma sabedoria despida e desprovida de vida.

 

Por isso então:

 

Seja o sacerdote um homem de sabedoria de Deus, mas também um homem que sabe amar e que sabendo amar saiba o que é o amor, e que é homem de «carne e osso», e que sendo pai sabe o que é ter filhos, e que sendo marido sabe o que é ser esposo, e que dirigindo o seu lar sabe o que é dirigir uma casa, pois que apenas aquele que sabe o que é a vida pode viver para servir a vida de outrem.

 

E o mesmo se diz de todos:

 

Que não seja aquele que procura a felicidade um infeliz resignado, que não seja aquele que procura o amor um sofredor por desamor conformado, que não seja a aquele que procura a prosperidade um pobre sem esperança, que não seja aquele que procura a abundância um desafortunado passivamente entregue ao sofrimento….mas antes que todas as coisas boas nesta vida se procurem activamente, convictamente, batalhadoramente, com fé, com esperança, e com a firme crença da vitoria na conquista, pois que assim sendo elas serão escutadas por Deus, e Ele responderá.

 

E assim, que aqueles que todas as coisas boas procuram em Deus com fé…..entao procuram bem, e não são vis pecadores procurando por coisas más, pois que eles procuram com fé pelas coisas que Deus criou, e porque com fé as procuram em Deus…. pois então procurar em Deus é bom.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bruxas e demónios

 

Sabbath

 

Malleus Maleficarum

Veja também:

Como funciona a Bruxaria

 

Grandes bruxos

 

Missas negras

 

Magia Negra

 

Bruxaria e Religião

 

Feitiçaria

 

Dicionário demónios

 

Demonografia 

 

 

 

 

Voltar a Magia Negra – Magia Branca