Tag Archives: aparições

Vidência Mediunidade e Oráculos

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Vidência Mediunidade e Oráculos

«se durante o surgimento de uma aparição (espírito), houver uma vela acesa num recinto, ela ficará com uma chama azul»
In: A Provencial Glossary; Francis Grose; Sec XVIII

A necromancia define-se enquanto um processo metafisico ou sobrenatural, atraves do qual se consegue contacto com os mortos. Trata-se por isso do contacto, ou com os espiritos dos mortos, ou com os espiritos ancestrais.

A necromancia acaba abordando sempre 2 tipos de espíritos que se encontram no mundo dos mortos, ou seja, no mundo daqueles que não estão vivos na carne, o dito «mundo do Alem», ou o mundo que esta para alem desta realidade fisica.

Os espiritos abordados são:

  • 1- ou espirtos de mortos; leia-se: espiritos de pessoas que ja habitaram neste mundo e que já morreram, que ja abandonaram o seu corpo fisico e partiram para o «outro lado».
  • 2- ou espirito ancestrais; leia-se: espiritos existentes desde a aurora dos tempos, desde o inicio da criaçao. Espiritos tao antigos como o proprio universo, espiritos nascidos da propria criação, consciencias que existem há uma infinitude de tempo e que tem a amplitude do próprio infinito. Alguns dizem que se tentassemos equacionar toda a profundidade do infinito, e depois multiplicar isso por toda a eternidade, ainda assim nao seriamos capazes de entender toda a extensao da existencia dessas conscienciascelestes ou espiritos ancestrais. A estes espiritos certas culturas chamaram Deuses, outras culturas chamaram anjos, outras chamaram de Loas, outras chamaram de Jiins, outras chamaram «daemons», etc…. No fundo, ( fundamentalismos religiosos á parte….), tantos nomes para as mesmas entidades, pois ao longo da historia da humanidade, cada cultura os viu com os seus próprios olhos e assim, a cada cultura estes seres espirituais se fizeram ver de forma a serem entendidos.No fundo, é como uma pedra. Uma pedra é uma pedra, e no entanto em 200 culturas diferentes a mesma pedre tem 200 nomes diferentes e talvez mesmo 200 fins diferentes. O objecto é o mesmo, somos nós que lhe damos nomes diferentes e os vemos conforme a nossacompreensao permite alcançar.

A morte, ou seja, a passagem para esse outro mundo, é a porta que a necromancia abre todos os dias e que permite para quem a pratica, comunicar com os espiritos.

A necromancia continua sendo praticada nos dias de hoje, sendo atraves de tábuas de Ouijá, sendo pelo uso de instrumentos como pêndulos ou varas, seja atraves daquilo a que se denomina «espiritismo».

Se bem que as doutrinas espiritas possam advogar imensas teses que justificam as suas praticas, o facto é que a sua acção é um exercicio de comunicação com os espiritos de pessoas falecidas e nesse aspecto, nao é nem mais nem menos que a pratica de necromancia.

No entanto, nao se escandalizem os defensores do espiritismo quando sao comparados á arte necormantica, pois a questao da necromancia é altamente ambigua nos textos sagrados.

Exemplo disso:

  • a mesma pratica que no antigo testamento é condenada, ( por exemplo, no celebre episodio da bruxa que ajuda Saul a comunicar com o espirito do Rei Samuel depois desse estar morto), no novo testamento podemos encontra-la a ser praticada pelo Messias Jesus Cristo, que na presença de fieis apostolos, entra em contacto com espiritos de mortos para com eles comunicar.

Por isso, podemos facilmente entender que, no que respeita á necromancia, os autores Biblicos consideram-na um pecado mortal quando praticada por bruxos, e um poder divino de Deus quando realizada por profetas de Deus. Ou seja: quando é feito pelos outros é mau, quando é feito por mim é bom.

Os oraculos

Um oraculo é uma resposta dada por um Deus a uma questao especifica que é colocada a essa deidade.

A questao é colocada por quem consulta esse Deus, e a resposta é facultada por uma pessoa que se encontra em contacto e dialogo com o mesmo Deus. Essa pessoa é um intermediário entre os humanos que procuram ajuda divina e o Deus.

Na antiguidade esse papel era desempenhado pelos sacerdotes dos Templos dedicados aos Deuses. Esses sacerdotes e sacerdotizas tinham essencialmente 2 funções:

  • 1- adorar o Deus ao qual dedicaram a vida;
  • 2- facultar Oraculos a quem procurava a ajuda e orientação do Deus.

Esses sacerdotes e sacerdotizas eram pessoas diferentes,pois eram pessoas cujo o corpo se encontrava aberto ao espirito do Deus que adoravam. Por assim ser, os sacerdotes e sacerdotizas eram instrumentos por via dos quais o Deus podia comunicar com os mortais. A deidade podia por isso, uma vez invocada, entrar no corpo do sacerdote ou sacerdotiza, possuindo-os, e habitando nesse corpo o tempo que desejasse. E habitando no corpo, possuindo-o, a deidade podia comunicar com o mundo fisico, com o mundo dos vivos. Esta forma de comunicação com os espiritos existe desde sempre, e é profundamente necromantica.

Nesta pratica espiritual, há um objectivo de contactar o mundo dos mortos ou o mundo dos espiritos para fins oraculares, e isso, é nem mais nem menos que necromancia.

Nesta pratica espiritual, há assim um intermediário entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos, ( quando falamos de «mundo dos mortos», leia-se: o mundo dos espiritos, onde estão os espiritos dos que ja morreram, assim como os espiritos ancestrais aos quais chamamos Deuses), sendo que essa pessoa abre-se á entrada de um espirito no seu próprio corpo, permitindo assim a ocorrencia de uma possessão voluntária, ou seja, uma possessão que foi consentida pela própria pessoa possuida. Essa pessoa é escolhida nao por nenhum humano vivo, mas sim pelo próprio espirito ou pela própria deidade. O espirito ou a deidade escolhem fazer daquela pessoa uma das suas «casas», ou seja, um dos locais onde optam por habitar temporariamente cada vez que desejam aceder a esta mundo. Deuses sao espiritos e espiritos nao tem corpo. Para aceder a este mundo, eles precisam entrar num corpo, e eles mesmos escolhem os corpos nos quais fixam residencia para esses fins. Esta tese é tao antiga quanto as proprias praticas espirituais, e japodemos encontrar exemplos disso na antiguidades religiosa do Egipto.

A palavra «Faraó» significa «a grande casa», ou o «templo». Isso porque acreditava-se que o faraó era a «casa» onde habitava o espirito de um Deus. Tal como se acreditava que um Deus podia habitar num Templo que lhe tivesse sifo erguido e dedicado, e que assim um Templo era na verdade uma das casas do Deus ao qual era dedicado ou seja, um templo era uma casa em que um espirito divino podia habitar, tambem o corpo do Faraó era um templo ou uma casa na qual o espirito de um Deus podia entrar e habitar durante o tempo que desejasse. Na verdade, o Faraó tinha, ( segundo as noções religiosas da antiguidade Egipcia), o corpo aberto e era passivel de ser possuido pelo espirito de um Deus. Por isso, quando se dizia que o Faraó era um um Deus, nao se estava dizendo, ( comoalguns julgam hoje em dia), que o Faraó se fazia passar por um Deus de verdade. O Faraó , ( bem como os seus subditos), tinha a perfeita noção que era feito de carne e osso, que era mortal e que era humano tal como os demais. Por isso , nao se tratava, ( como alegam alguns hoje em dia), de um truque para enganar ignorantes.O que se estava dizendo, é que o Faraó era uma pessoa passivel de ser possuida por um espirito e que esse espirito encontrou naquele corpo uma habitação que lhe era agradavel e na qual o espirito é livre de ingressar.

A noção do corpo de um humano como habitação de uma entidade espiritual tem reflexo até mesmo nos textos biblicos. Repare-se que Jesus, certa vez visitando o Templo de Javé, declarou: «Este é o Templo de Deus. Pois irei destruir pedra por pedra estetemplo, e em 3 dias o reconstruirei». Os sacerdotes do templo ao ouvir tais palavras, ridicularizaram Jesus, rindo-se e dizendo que aquele solido templo feito de grandes pedras demorou umas centenas de anos a ser construida, e que aquele lunatico se propunha a destrui-lo num dia e reconstrui-lo em 3 dias, o que apenas confirmava a insanidade do profeta.Pois a verdade é que Jesus estava na verdade a referir-se nao ao Templo em si, mas ao seu próprio corpo. O que ele estava a dizer,eram 2 coisas importantissimas:

  • primeira- Jesus estava anunciando, sem que ninguem entendesse, que o seu proprio corpo seria destruido em apenas 1 dia, sendo que ele o iria reconstruir, (resuscitar), em 3 dias.
  • segunda – Mais importante: Jesus estava afirmando que o corpo dele era o templo de Deus, ou seja, que o corpo dele era a casa onde o Deus Javé habitava.

Esta noção nao é inovadora nem foi inventada por Jesus. Na verdade, aquilo que Jesus afirma ao dizer que dentro do seu corpo habita o espirito de um Deus, ou seja, que o seu corpo é uma casa onde reside o Deus Javé, era exactamente o mesmo que afirmavam os Faraós Egipcios.

Tanto no caso de Jesus que afirmou que o seu corpo era a casa de um espirito,( neste caso um espirito divino, o espirito de javé), e que comunicou com mortos, ( com Moises e Elias), assim como no caso dos Faraós, torna-se evidente que nalguns casos e para certas pessoas, o corpo é uma habitação onde entram e residem entidades espirituais. A possessao de corpos por parte de espiritos, bem como a comunicação com os mortos, e mesmo o contacto com entidades espirituais, sao por isso fenomenos comprovadamente ancestrais e sao, tanto quanto se sabe, a forma por via da qual os espiritos falam com os vivos e os vivos se relacionam com o mundo dos espiritos.

Pois todo este universo de comunicação com o Alem ou com a esfera celeste, seja por comunicação com mortos, seja por comunicaçao com espiritos divinos, é a propria esfera da actividade da necromancia. Quer certas religioes queiram ou nao, é isso que esta escrito nas sagradas escrituras.

Mediunidade e Possessão

A mediunidade é a capacidade de comunicaçao com entidades «nao-fisicas» ou espirituais.

Os chamados «mediuns» sao pessoas que tem a capacidade de mediunidade, ou seja, a capacidade de ser uma «ponte» entre este mundo, ( o mundo dos vivos, o mundo fisico), e o mundo do Alem, ( o mundo dos mortos, o mundo dos espiritos). Hoje em dia chamados «mediuns» pelas doutrinas espiritas, foram noutros chamados videntes, Xaman, ou serviram de sacerdotes em templos dedicados a Deuses, etc.

Existem 3 tipos de mediunidade ou de mediuns:

  • 1- mediuns fisicos
  • 2- mediuns mentais
  • 3- mediuns oniricos

O medium fisico, tem a capacidade de deixar uma entidade espiritual entrar dentro do seu corpo, sendo que essa entidade ocupa e toma conta do mesmo corpo. A esse fenomeno alguns chamam«encorporaçao», mas na verdade trata-se de uma forma de possessão. O fenomeno por vezes pode ser acompanhado pela perda de consciencia do medium, que perde o auto-controlo, ou seja, deixa de conseguir ter dominio sobre o seu proprio corpo e a sua propria mente, que ficam dessa forma sob o poder da entidade espiritual que possuiu. Assim, depois de terminar a possessao, esse tipo de medium raramente se lembra do que se passou enquanto esteve possuido pelo espirito. A todo este estado chama-se «transe», ou seja, é dito que o medium ao ser possuido por um espirito que toma conta do seu corpo, entra em «transe».

O medium mental, tem a capacidade de comunicar com os espiritos, contudo sem entrar em transe. Nestes casos a possessao do medium pelo espirito é menos intensa. O espirito fala igualmente atraves do corpo do medium, contudo o medium mantem perfeita lucidez e consciencia durante todo o processo. Nesta forma de comunicação com os espiritos, o medium acaba fazendo uso de certos recursos materiais que permitem a transmissao das mensagens que o espirito deseja transmitir: desde pedulos, a varas, a tabuas deOuijá, á psicogragia, etc.

Há por ultimo o medium onirico, pois tambem a mediunidade pode ser exercida atraves de mensagens facultadas atraves de sonhos ou visoes nocturnas. A todo este tipo de praticas mediunicas, denomina-se mediunidade onirica. Neste tipo de mediunidade, a pessoa recebe as mensagens de forma mental, contudo nao se encontra em total controlo de si mesmo porquanto se encontra dormindo ou num estado alterado de consciencia. Por assim ser, este tipo de mediunidade é em parte fisica e em parte mental, pelo que merece uma referencia distinta .

No entanto, seja qual for o tipo de mediunidade que se analise, toda esta pratica espiritual assenta no pressuposto do fenomeno de «possessao», pois de forma consciente ou insconsciente, de forma mais forte ou mais ligeira, a pessoa detentora desta capacidade é sempre possuida momentaneamente pelo espirito que fala atraves dela.

Os medius e os Videntes

quando falamos de videncia, há quem afirme que se trata de um falso titulo. Há quem afirme que na verdade não exitem «videntes» com a capacidade própria de ver coisas no passado, no presente ou no futuro, mas antes há pessoas com a capacidade de comunicar com o mundo espiritual e dele receber mensagens.

A diferença é enorme, pois assim se considera que ninguém tem «por si» e «em si» uma capacidade de «ver», mas antes que as pessoas podem ter na verdade a capacidade de serem , de uma forma ou de outra, «possuídos» por espiritos que transmitem mensagens aos vivos.

E quem o afirma, defende que na verdade, essas pessoas a quem se chamam «videntes», na realidades elas sao pessoas que tem a capacidade de receber, (consciente ou inconscientemente), comunicações vindas do mundo espirtual, mensagens de espiritos, que avisam sobre eventos passados , presentes ou futuros.

Se essa tese é verdadeira, então verdadeiro fundamento daquilo a que chamamos de videncia é na verdade uma capacidade necromantica, ou seja, a capacidade de comunicar com os mortos e com o mundo dos espiritos.

Mais uma vez, encontramos na Biblia provas deste facto.

Nos textos biblicos podemos entender que na verdade quando falamos de Videntes e Profetas, estamos falando no mesmo.

E também nos textos bíblicos do Antigo Testamento, são inúmeras as referencias a pessoas que, havendo nelas sido derramado o espírito de Deus, ou seja, sendo elas possuindas por um espírito de Deus, começaram a profetizar. Assim sucedeu nos tempos de Elias e Moises.

Também no Novo Testamento se lêem mais referencias a esta fenómeno, quando se observa que após a morte e ressureição de Jesus, os apostolos foram possuidos pelo Espirito Santo e começam assim a falar linguas e a transmitir grandes mensagens de sabedoria. Segundo os textos sagrados, nao eram os profetas que falavam por si, mas sim o espirito que os possuiu que falava pela boca deles.

Ora, torna-se claro que vidente, (ou profeta), é aquele é possuído por um espírito, sendo que esse espírito passa a actuar neste mundo através daquela pessoa. Torna-se assim evidente que os textos bíblicos nos referem claramente que as mensagens da vidência advém dos espíritos que possuem uma pessoa, ( o vidente, ou o profeta), e começam a falar pela sua boca.

A mediunidade, a possessão voluntária e necromancia, ( enquanto processo de contacto com os mortos ou com o mundo dos espíritos), são fenómenos que se encontram detalhadamente descritos nos Textos Bíblicos.

Houve ao longo dos tempos, um grande esforço que as autoridades eclesiasticas desenvolveram para manter o máximo silencio sobre tais praticas, e mesmo para impedir, ( pelo medo), que a espiritualidade fosse livremente exercida. E todo esse esforço resultou num infeliz filão de contradições incoerentes. Senão vejamos os seguintes exemplos dessas contradições:

Por exemplo:

  • 1- Os teólogos consideram um sinal de possessão demoníaca alguém que, após uma possessão espiritual, comece a falar línguas que desconhece, quando no entanto, o mesmo fenómeno aconteceu aos apóstolos quando esses foram possuídos pelo espírito santo. Como ficamos?
  • 2- As autoridades religiosas consideram a possessão um fenómeno demoníaco, e no entanto o próprio filho de Deus disse ser um corpo onde habitava o espírito santo e assim, alegou estar possuído pelo espírito de Deus.Ficamos em que pé?
  • 3- As autoridades teológicas condenam a pratica da comunicação com mortos, e no entanto o próprio filho de Deus comunicou com espíritos de profetas que ja tinham morrido.Como explicar?
  • 4- Os teólogos consideram um pecado praticar magia negra, ( leia-se: magia negra é a pratica espiritual que consiste em contactar e comunicar com demonios), contudo o próprio fundador da sua fé praticou-a, porquanto por mais de uma vez entrou em contacto, ( ou foi contactado), por demónios, sendo que o fez para diversos fins: desde expulsa-los de um corpo, a falar-lhes para lhe pedir que mantivessem a sua identidade divina em segredo, etc….Que concluir?
  • A autoridade eclesiastica defende que é um pecado invocar e falar com os mortos, pois dessa forma esta-se a pertubar o seu sagrado descanço. No entano, não parece ter sido pecado que Elias e Moises tenham sido chamados a este mundo para comunicar com um profeta. Ficamos em quê?
  • Os teólogos consideram pecaminoso o contacto com espiritos, no entanto os textos biblicos abundam de referencias relativas ao contacto directo entre anjos e pessoas. Sendo os anjos espiritos, como ficamos?

As contradições entre as verdades espirituais descritas na bíblia, e os discursos dos teólogos, são abismais, mas facilmente entendíveis.

Tais conotações negativas entre as praticas espirituais de contacto com os espíritos e assuntos demoníacos, foram lançadas especialmente impedir que as pessoas exercessem as artes místicas e praticassem livremente, fora do controlo da eclesiástico, as vias da espiritualidade. A dado momento, a instituição religiosa quis deter o monopólio sobre toda a actividade espiritual, alegando que apenas nela residia a capacidade de comungar e comunicar com a realidade espiritual.Segundo a instituição, o exclusivo do mundo espiritual parecia ser sua exclusiva propriedade, e tudo mais fora desse feudo teológico era pecaminoso e levava á condenação eterna.Estes foram os argumentos, e esta foi a inútil tentativa de tentar apoderar-se de algo que é tão eterno com a criação do universo, e que é a realidade espiritual.

Há quem seja mais ousado, e afirme que tais confusões foram lançadas para que as pessoas nao comunicassem com os espíritos e assim, nunca obtivessem conhecimento de certas verdades ocultas que as autoridades eclesiásticas desejam manter em segredo, pois podem tais conhecimentos podem fazer ruir os pilares das crenças que suportam a sua instituição.

No entanto, apesar dos esforços de certas autoridades religiosas, os espíritos não pararam de escolher os seus emissários neste mundo e a ligação entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos mantém-se hoje tão firme e poderosa como sempre foi ao longo de toda a existência.

quer um poderoso trabalho de magia?

quer um poderoso trabalho de bruxaria?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Limpezas espirituais

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Limpezas espirituais

 

limpezas espirituais

Malefícios, Enguiços, Quebrantos, Maus-olhados, Pragas, etc

limpezas espirituais, limpeza espiritual, limpeza de malefícios, desfazer bruxaria, desfazer maldiçoes, desfazer enguiço, desfazer enguiços, limpar enguiços, limpeza de enguiços, desmancho de feitiçaria, desmancho de bruxaria, desmancho de trabalhos, exorcismo, exorcismos, malefícios, quebranto, inveja, olho gordo, pragas, maldiçoes, mau olhado, limpeza de malefícios, limpeza de quebranto, limpeza inveja, limpeza de pragas, limpeza de maldiçoes, destranca caminhos, abertura de caminhos, limpezas de casas amaldiçoadas, limpezas de pessoas amaldiçoadas, limpezas de negócios amaldiçoados, limpeza de estabelecimentos amaldiçoados, limpeza de lojas amaldiçoadas, limpeza de escritórios amaldiçoados, limpeza de quebranto, limpeza de olho gordo, limpeza de invejas, limpeza de inveja, limpezas espirituais de são Cipriano, limpeza espiritual de são Cipriano, limpeza de magia branca

O MAL, e as LIMPEZAS ESPIRITUAIS

São diversos os fenómenos espirituais do mal, ou malignos, que podem atingir negativamente a vida de uma pessoa.

Uns podem ter uma origem voluntária e premeditada, ouros podem ter uma origem involuntária e espontânea. 

Quando falamos de fenómenos espirituais negativos de origem voluntária e premeditada, falamos de malefícios que são fruto de feitiçaria. Essas são Maldiçõescriadas atraves de processos espirituais e que podem ter diversos efeitos na vida de uma pessoa, podendo criar quebrantos ou enguiços, ou infestações, que são:

Enguiço:Uma maldição que gera um «enguiço», provoca um bloqueio total á vida de uma pessoa e tudo na vida da pessoa atingida tende a correr mal. O enguiçobloqueia tudo na vida de uma pessoa, causando uma inultrapassável estagnação, ao passo que faz aparecer repetidos  infortúnios, constantes imprevistos e contratempos, enfim:afunda a vida de uma pessoa num beco sem saída de problemas sobre problemas.Este tipo de malefício espiritual, normalmente resulta de fortes trabalhos de bruxaria, realizados para destruir a vida de uma pessoa. Quebranto:Uma maldição que gera um «quebranto», tende a paralisar e estagnar espiritualmente a pessoa atingida, levando-a a cair num estado de profundo desânimo.O quebranto gera uma quebra na força anímica, produz apatia, cria uma inexplicável falta de forças e descrédito.Neste caso, a pessoa fica sem capacidade de decisão, sem saber que fazer, cheia de indecisão e moralmente quebrada.

Estes fenómenos geralmente resultam de malefícios muito bem premeditados, ou seja, são efeito de poderosos feitiços de magia negra que são encomendados a peso de ouro para atingir uma pessoa ou uma familia.

Infestação:Infestação sucede quando forças espirituais muito negativas foram lançadas,  através de uma maldição, contra uma pessoa ou algum local, como uma casa, um lar, etc. A infestação toma conta de uma pessoa ou de um local. Quando infestada por espíritos negativos, a própria pessoa infestada, ( ou que esta em contacto com um local que foi infestado), começa a actuar de forma contrária aos seus interesses, gerando-se assim  caos e ruina a todos os níveis da sua própria vida. Conjuntamente, tudo o que é mau tende a aproximar-se da pessoa, como a própria pessoa atraísse irresistivelmente tudo o que é negativo para junto de si. Quando uma infestação se entranha fortemente numa pessoa,  eventos negativos começam inesperadamente a ocorrer e sucedem-se vez apos vez, sem parar. Passado um certo tempo, a pessoa nem se apercebe de como caiu num rumo de tamanha desgraça.

Quando falamos de fenómenos espirituais negativos de origem involuntária e espontânea, geralmente falamos de maus olhados e aspragas, conforme se explica:

Uma praga pode ser conjurada num violento momento de ódio, e criar um devastador efeito na vida da pessoa atingida, caso quem a lançou tenha um coração negro e cheio de ódio.

Um mau olhado é um olhado cheio de carga espiritual negativa e no qual se pode transmitir uma corrosiva inveja ou poderoso ódio. Por esse olhar acaba sendo transmitido um violento efeito negativo na vida de alguém.

Esses tipos de fenómenos espirituais negativos e involuntários, podem ser lançados a alguém sem recurso a um trabalho de feitiçaria encomendado a alguém, pois basta um meu desejo violentamente lançado contra alguém para que tais fenómenos sejam despertados
Em resumo:

Fenómenos espirituais negativos de origem voluntária e premeditada, ou malefícios que são gerados através de uma maldição: Fenómenos espirituais negativos de origem involuntária ou espontânea:
Enguiço: provoca um bloqueio total á vida de uma pessoa e tudo na vida da pessoa atingida tende a correr mal. Praga: pode ser conjurada num violento momento de ódio, e criar um devastador efeito na vida da pessoa atingida, caso quem a lançou tenha um coração negro e cheio de ódio. A praga pode chegar a ser tão poderosa como uma maldição gerada através de um trabalho de bruxaria.
Quebranto: tende a levar a pessoa atingida a cair num estado de profundo desânimo, apatia, falta de forças e descrédito. Neste caso, a pessoa fica sem capacidade de decisão, sem saber que fazer, cheia de indecisão, caída em depressão e angustia, enfim:  moralmente quebrada. Mau olhado: é um olhado cheio de carga espiritual negativa e no qual se pode transmitir uma corrosiva inveja ou poderoso ódio.Por esse olhado,  acaba sendo transmitido um violento efeito negativo na vida de alguém, causando profundo mal estar e constantes impedimentos.
Infestação : a própria pessoa infestada por forças espirituais negativas, começa a actuar de forma contrária aos seus interesses, gerando-se assim caos e ruína a todos os níveis da sua própria vida. Conjuntamente, tudo o que é mau tende a aproximar-se da pessoa como se fosse por ela atraído, e eventos negativos começam inesperadamente a ocorrer.

Seja como for, voluntária ou involuntariamente, os males espirituais que atingem a vida de uma pessoa são sempre imprecações, ou seja, resultam de pedidos feitos com grande força, veemência ou violência, contra ou a favor de alguém, pedidos esses dirigidos a entidades espirituais.
A única diferença é se foram imprecações, (pedidos), feitos involuntariamente, ( por exemplo, como resultado do auge de um grande ódio ou inveja), ou se foram pedidos feitos voluntariamente através de uma encomenda de um trabalho a um bruxo, bruxo esse que por sua vez usou das suas habilidades espirituais e conhecimentos de feitiçaria para encomendar essa maldição a uma entidade espiritual muito poderosa.

Imprecações voluntárias:  Imprecações involuntárias:
Maldições encomendadas a um bruxo, e intencionalmente lançadas a uma pessoa ou a um local, através de trabalhos de bruxaria. As maldições tendem a gerar malefícios de vária natureza, tais como: enguiços, quebrantos, infestações. Cargas e forças espirituais negativas que entram na vida de uma pessoa, através de fortes maus sentimento alheios, sem que para isso tivesse sido usado um trabalho de bruxaria.

Limpeza espiritual:

destrancamento de caminhos trancados, abertura de caminhos fechados

….

limpezas espirituais, limpeza espiritual, limpeza de malefícios, desfazer bruxaria, desfazer maldiçoes, desfazer enguiço, desfazer enguiços, limpar enguiços, limpeza de enguiços, desmancho de feitiçaria, desmancho de bruxaria, desmancho de trabalhos, exorcismo, exorcismos, malefícios, quebranto, inveja, olho gordo, pragas, maldiçoes, mau olhado, limpeza de malefícios, limpeza de quebranto, limpeza inveja, limpeza de pragas, limpeza de maldiçoes, destranca caminhos, abertura de caminhos, limpezas de casas amaldiçoadas, limpezas de pessoas amaldiçoadas, limpezas de negócios amaldiçoados, limpeza de estabelecimentos amaldiçoados, limpeza de lojas amaldiçoadas, limpeza de escritórios amaldiçoados, limpeza de quebranto, limpeza de olho gordo, limpeza de invejas, limpeza de inveja, limpezas espirituais de são Cipriano, limpeza espiritual de são Cipriano, limpeza de magia branca

limpezas espirituais2

Como limpar e expurgar o mal?

Como funcionam e o que são as limpezas espirituais?

.

Por vezes pensamos (e para isso procuramos resposta): « porque sofro tanto ás mãos deste mal?», «porque sofro tamanha perseguição deste mal?»

Esta afirmado nas escrituras, que «o corpo é o templo onde habita o espírito»

O nosso corpo é por isso como uma habitação na qual habita o nosso espírito, sendo que por vezes tal como uma casa adquire sujidades, impurezas e ate mesmo sofre a intrusão de insectos, vermes, etc ….também nós podemos sofrer em nós a intrusão de  «impurezas» ou «sujidades»  espirituais, forças espirituais negativas, influencias espirituais «sujas» e «impuras» e que afectam negativamente os rumos da nossa existência.

Por isso, tal como a casa deve ser limpa com regularidade a fim de a manter saudável para a nossa habitação, também nós devemos ser espiritualmente «limpos» de tempos a tempos, a fim que nos mantenhamos «purificados» e por isso protegidos dos males.

De onde vem os males espirituais?

.

Do quadro de fenómenos espirituais acima descritos, e que advêm normalmente da impureza espiritual de outras pessoas, pessoas espiritualmente sujas e que acabam sujando a sua vida, pessoas sujas com  invejas, sujas os maus sentimentos,  sujas com os ressentimentos e amarguras e corações azedos de veneno, pessoas sujas por  desejos nocivos, pessoas sujas com as suas mesquinhas cobiças, pessoas sujas pela sua  má índole espiritual …. e que acabam por conjurar, (mesmo que inadvertidamente), forças espirituais negativas contra si, e acabam «sujando» o seu espírito.

Pois você não pode caminhar neste mundo com um espírito manchado de tanta sujidade que acaba entranhando a sua vida, e esperar que tudo corra bem, e esperar que a boa sorte guie os seus caminhos. Ninguém fica ileso ao mal que abunda neste mundo senão os maus, pois que o mal não procura infernizar o mal mas sim o bem.

Que efeitos podem os males espirituais ter na sua vida?

.

Se você nada fizer, e se você optar por simplesmente ignorar essa realidade, o mais certo é que com o tempo você vai começar a sentir os terríveis efeitos de malefícios como enguiços e quebrantos que geram bloqueios e desvios na sua vida. Como?

Você começará a sentir como se a sua vida se estivesse lentamente afogando num pântano de areias movediças do qual você não consegue sair nem ascender por muito que lute… e que quanto mais luta mais se afunda.

Você sentirá que tudo na sua vida acontece apenas com um esforço descomunal, e que mesmo assim jamais voce consegue ver o justo fruto do seu esforço.

Você sentirá como se cada passo dado em frente acabe sempre resultando em três passos dados para trás, e que cada avanço apenas acaba resultando em retrocesso.

Você acabar observando que tudo na sua vida acaba sendo vitima de constante bloqueio, frustração, impedimento.

E pior: você começará vendo que todo esse fenómeno ocorre de uma forma anormalmente persistente, sem que jamais se acabem os maus caminhos, sem jamais ver uma luz no fim do túnel.

Você observará claramente que embora momentos maus e bons sejam normais de ocorrer na vida, contudo a sua parece anormal e inexplicavelmente perseguida apenas de momentos maus e impedimentos.

Ao contrário do que muitos pensam, ignorar o problema não vai fazer o problema desaparecer, da mesma forma que ignorar uma doença não vai fazer você curar-se.

limpezas espirituais3

O que é uma limpeza espiritual e uma expurgação do mal? 

.

A limpeza espiritual é um processo de bênção, por via do qual abençoando uma pessoa e a sua alma em nome de um santo de Deus, dela se expurgam os males, dela se desentranham as más influências, dela se exorcizam as infestações, dela se esconjuram os maus espíritos.

Uma bênção exerce por isso efeitos de expurgação, desentranhamento e limpeza espiritual através dos quais a sua alma encontrar-se-á limpa e protegida.

Enquanto assim sucede, você pergunta: nenhum mal me sucederá?

Responde-se: a sua vida decorrerá normalmente, a sua existência fluirá normalmente, pois que assim está revelado:

O justo sofre muitas desgraças, mas de todas elas Deus o liberta

Salmo 34,20

Pois assim se sabe que a bênção de Deus não motivo de estarmos isentos do mal, pois que o mal existe por culpa dos maus corações dos homens e não de Deus. Contudo, aquele que está abençoado ver-se-á amparado, ou seja, onde um caminho se fechar um trilho se abrirá, onde uma porta se fechar uma janela se abrirá.

Para aquele que está abençoado, os problemas ocorrem como ao que não está. Contudo o que está abençoado não ficará atolado no problema pois que uma saída ser-lhe-á sempre oferecida, enquanto que o que não está abençoado ficará estagnado e afogado no problema sem dele poder sair, sem que porta alguma se lhe abra. Basta por isso fé, e que a fé não fraqueje nem trema, e a bênção gerará sempre uma libertação.

Obviamente que haverão bons e maus momentos, como é normal que aconteça na vida de qualquer ser humano, pois que a vida é feita disso mesmo e assim Deus criou este mundo.Com uma limpeza você não ficará vivendo no paraíso, pois se fosse para viver no paraíso, isento de todo o mal, você já não estaria aqui neste mundo. A diferença é que você estará protegido contra os males que o atingirem, pois a bênção que acompanha a sua alma assim limpará as más influências. E assim sendo, quando uma porta se fechar, logo outra se abrirá, quando um caminho bloquear logo outro se desbloqueará.

Você pergunta também: A eficácia de uma bênção desta natureza é grande?

Responde-se-lhe: A eficácia de uma bênção desta natureza depende grandemente do volume e intensidade do mal que infestou a sua vida, pois que não é o mesmo expurgar um mal menor e um mal maior, nem é o mesmo desentranhar um mal enraizado á anos de um mal entranhado á dias.

No entanto, nada fazer é morrer, ao passo que procurar as bênçãos dos Santos é a única forma de aliviar o tormento e acabar com o mal que persiste em perseguir a sua vida.

Uma limpeza espiritual dura para sempre?

.

Por muito que fosse bom afirmar que sim, na verdade nem sempre assim sucede. Pode uma bênção expurgar o mal, mas não pode uma bênção impedir que a pessoa de má índole persista em ter mau coração e em desejar-lhe o mal, ou em invejar a sua existência.

Como tal não é possível fazer, logo se a pessoa odiosa e má persistir em desejar-lhe o mal, ela persistirá em lançar-lhe a sua «sujidade» espiritual.

Nesses casos, se bem que a expurgação celebrada possa estar actuando plenamente na sua existência, contudo pode a sua vida ver-se novamente infestada de mal em proporções maiores, tal como uma casa que hoje foi totalmente limpa na semana seguinte poderá estar novamente entranhada de sujidade em virtude de alguém que indesejadamente nela entrou e a manchou com intentos maldosos. Nesses casos, devem as bênçãos ser ocasionalmente renovadas, para que o mal possa ser novamente expurgado com pleno vigor da sua existência. Por isso, embora a durabilidade deste tipo de bênção se estenda infinitamente no tempo, tal como Deus é infinito no tempo, contudo uma renovação de votos de bênção pode ser útil.

E pode uma limpeza espiritual ser impedida?

.

Para essa resposta, fala esta revelaçao:

Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou-lhe:«Senhor, quantas vezes devo perdoar, se o meu irmao pecar comtra mim? Até sete vezes?» Jesus respondeu:«Não te digo sete vezes, mas até setenta vezes sete(…)»

Mateis 18, 21-12

Pois no perdao de Deus perdoa-se não 7 mas 70 x 7 vezes vezes, e por isso igualmente se sabe que no amor de Deus pelo homem e a mulher de fé, Deus protege, expurga o mal e ampara os caminhos…. não apenas 7 vezes, mas 70 x 7 vezes.

Assim actuam as bençaos de limpeza e expurgaçao de um mal a todo o homem e mulher que abre o seu coraçao a Deus, deixando a luz Dele entrar nos seus coraçoes.

E ao que resiste a que essa luz entre e limpe o mal, assim dessa forma ali persistirao as bençaos de Deus não apenas por 7 dias, nem por 7 anos, mas sim por 70 X 7 anos apos 70X 7 anos…. ate que essa alma ceda e se abra e permita que a bençao ali opere o seu prodigio.

E ao que é impedido de ver essa luz entrar em si pelas forças do mal, entao a luz de Deus persistirá dessa mesam forma tentando ali entrar não apenas por 7 dias, nem por 7 anos, mas sim por 70 X 7 anos apos 70X 7 anos, ate que essa alma se deixe limpar, expurgar e exorcizar…. até que essa alma viva a sua vida com a bençao de Deus sobre si, pois que a bençao de Deus não desistirá, nem abandonará, nem cessará, nem se deixará impedir.

Assim tambem foi revelado:

«E se nem mesmo assim Me obecederes, dar-vos-ei uma lição sete vezes maior»

Levítico 26,18

Pois assim se sabe que a bênção enviada por Deus, através de um santo de Deus, ( como são Cipriano), ao coração de uma pessoa que se recuse a aceitar tais bênçãos, então ela ali se estabelecerá de forma 7 vezes cada vez mais insistente, e a cada 7 vezes mais a bênção insistirá e por 7 vezes se renovará, a fim de persistir insistindo com a alma e o coração daquele abençoado por Deus, para que ele vá e abra plenamente o seu coração a Deus, permitindo que ali se opere a limpeza e expurgação do mal, permitindo que ali se possam expiar os pecados e abrir obter a protecção de Deus.

Também se por algum motivo a pessoa abençoada abrir o seu coração, e contudo forças malignas tentarem impedir que a luz de Deus ali entre e expurgue o mal, eis que se sabe que dia após dia, semana após semana, mês após mês e ano após ano….de forma 7 vezes maior após 7 vezes maior…. a bênção ali permanecerá persistindo numa alma ali entrar e operar o seu milagre.

Assim, em todos os casos, ( seja num coração que se fecha a Deus, seja na pessoa que afectada por males poderosos se vê impedida de receber com clareza a luz de Deus), contudo nessa pessoa a luz de Deus não desistirá de ali penetrar, e assim sendo, a bênção de Deus assim actuará insistindo e persistindo.

Que efeitos gera uma limpeza espiritual e uma abertura de caminhos?

A essa pergunta, respondem-vos as escrituras onde assim está escrito:

Os teus antepassados quando desceram para o Egipto eram setenta pessoas. Agora, porem, Deus tornou-te numeroso com as estrelas do céu

Deuteronómio 10,22

Pois assim se sabe: as bênçãos de um santo de Deus, (como são Cipriano), e de Deus….elas afastam o mal, elas expulsam o maligno, elas fazem uma vida caída em maus trilhos sair desse pântano estagnado e reentrar por novos rumos, e tudo isso fazendo elas geram multiplicações, fertilidades e abundâncias em todas as coisas boas.

Assim está escrito:

Goza a vida com a esposa que amas, durante todos os dias da tua vida (…) esta é a porção que te cabe na vida e no trabalho

Eclesiastes 9,9

Pois eis que é esta a bênção de Deus para todo aquele que é abençoado, e ela é:

Paz e felicidade no amor, na família e no trabalho.

Em todas estas coisas pode a bênção de Deus abrir caminhos onde eles estão agora fechados.

E por isso, se sofreis de padecimentos em qualquer uma destas coisas, então que não se perca o vosso tempo ignorando o problema ate que ele se torne irrecuperável e assim se acabe o vosso destino ingloriamente, perdendo-se tudo o que mais desejais.

Ao contrário, observai o que vos sucede de mal, e não negueis o que estais observando pensado que apenas porque o negais então tudo vai ficar bem, pois essa é a postura do insensato; Ao contrário, se observais que estais perdidos em padecimentos e tribulações que vos perseguem sem fim….pois então vinde e recorrei a são Cipriano, pois os seus saberes são profundos, poderosos e milagreiros.

quer uma poderosa limpeza espiritual?

quer uma abertura de caminhos?

quer um destranca caminhos?

quer desatar enguiços?, fazer descarrego de mau olhado?, desfazer bruxarias?, desencostar encostos?, desligar malefícios?, revogar pragas?, e quebrar maldiçoes?

apenas que as sabe fazer, as sabe desfazer!

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

 

Apenas quem as bem sabe fazer, as sabe bem desafazer!

limpezas espirituais, limpeza espiritual, limpeza de malefícios, desfazer bruxaria, desfazer maldiçoes, desfazer enguiço, desfazer enguiços, limpar enguiços, limpeza de enguiços, desmancho de feitiçaria, desmancho de bruxaria, desmancho de trabalhos, exorcismo, exorcismos, malefícios, quebranto, inveja, olho gordo, pragas, maldiçoes, mau olhado, limpeza de malefícios, limpeza de quebranto, limpeza inveja, limpeza de pragas, limpeza de maldiçoes, destranca caminhos, abertura de caminhos, limpezas de casas amaldiçoadas, limpezas de pessoas amaldiçoadas, limpezas de negócios amaldiçoados, limpeza de estabelecimentos amaldiçoados, limpeza de lojas amaldiçoadas, limpeza de escritórios amaldiçoados, limpeza de quebranto, limpeza de olho gordo, limpeza de invejas, limpeza de inveja, limpezas espirituais de são Cipriano, limpeza espiritual de são Cipriano, limpeza de magia branca

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Fantasmas – o que são fantasmas

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Fantasmas – o que são fantasmas

Fantasmas – o que são fantasmas2

Sobre fantasmas, assim diz a obra de são Cipriano:

Fantasmas são espíritos que aparecem a certos indivíduos, (…)  e que são do mundo das almas.

Aparecem só aos crentes, (…)  e não aos incrédulos, porque com eles nada aproveitam , pelo contrario, só recebem pragas (…)

Mas cuidai:

Dobram-se os tormentos daqueles que – sendo incrédulos – vendo aos fantasmas, porem deles apenas escarnecem ou maldizem, pois que os fantasmas são apenas espíritos que vem a este mundo para buscar alivio.

Quando uma pessoa se deparar com uma visão de um fantasma, não deve esconjura-la nem maldize-la, e sim recorrer á oração.

Orai por esses espíritos, pois feliz é a criatura que perseguida pelos espíritos, porque com certeza é boa pessoa, pois se os espíritos a perseguem , é para que ela ore por eles.

Obra de são Cipriano, Capitulo « Sobre certos casos de aparições», Pag 39

Fantasmas – o que são fantasmas3

Pois por isso, assim se sabe:

a pessoa que vê fantasmas ou espíritos está vendo manifestações espirituais de entidades que a estão procurando para lhe comunicar algo, ou simplesmente para lhe pedir ajuda, e para pedir oração!, pois que um espírito é como um ser com sede de luz!, e por isso ele procura sempre a pessoas com luz!, e a pessoas boas!

Por isso:

se (sem ter feito nem encomendado qualquer tipo de trabalho místico que haja corrida mal ou sido lidado erradamente), sois atormentados por espíritos, por fantasmas e por assombrações, então lembrai-vos deste ensinamento de são Cipriano, e sabei por isso que sois pessoas de uma imensa luz interior!, e por isso não estais sendo atormentados por nenhuma tormenta!, mas sim sois pessoas a quem os espíritos procuram para que os ajudeis.

Assim sendo:

nesse caso sois espíritas!, e assim ensinou são Cipriano que bem sabia sobre o espiritismo, sobre a bruxaria, e sobre os mistérios do espírito.

Pois então.

nesse caso é normal que tenhais sonhos – também chamadas «visões nocturnas» – , ou que até chegueis a ver ou ouvir a espíritos que se vos mostram ou vos falam por misteriosos meios!, ou que tenhais pressentimentos que estranhamente se concretizam!, o que coisas estranhas (ruídos, visões, aparecimentos e desaparecimentos ocorram  no vosso lar), e nada disso é coisa ruim!, pois espíritas e bruxas assim o vem vendo e sentindo á milénios!, pois que são pessoas intimamente ligadas ao mundo dos espíritos!, que é o mundo do Alem!, ou o mundo do sobrenatural!

Quer um verdadeiro trabalho de magia de são Cipriano?

Então fale com quem sabe verdadeiramente dos saberes de são Cipriano, e por isso:

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

 

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Estudos demonológicos

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Estudos demonológicos

 

DEMONOLOGIA

demonografia- demonologia3Os demónios são anjos caídos, que foram banidos da presença de Deus e desde então vivem em exílio, afastados do reino celestial de deus, ( o chamado «céu»), habitando tanto neste mundo mundo terreno, assim como no «mundo dos mortos» (o «Sheol» Hebraico, ou o «Hades» Helénico, a que a teologia Crista encara erroneamente como o «Inferno»), ou seja: o local para onde as almas dos humanos vão depois da morte,  para encontrarem o seu repouso eterno.

A confusão entre o «Sheol» e o «inferno» é um erro típico da teologia crista: o cristianismo vê o inferno como um lugar de eterna condenação dos maus, ao passo que na verdade o «sheol» (a noção hebraica de onde nasceu a lenda mitológica do “Inferno” segundo o catolicismo), é o «reino dos mortos», o local para onde vão as almas daqueles que faleceram, para ali repousarem na sua vida pós-morte.

Trata-se por isso do mundo onde habitam as almas de todos os mortos, e não de um local de condenação, ou pelo menos não inteiramente: nesse local quem é condenável será purificado, e quem não o é viverá pacificamente e em liberdade. Por isso, esta noção corresponde  antes a um arquétipo  do «mundo dos espíritos», onde todas as almas são purificadas. Segundo o evangelho sobre José (um texto apócrifo doSec V d.C.), o «inferno» é tido com um lugar por onde as almas tem de passar (através dos 7 véus das trevas – cap. XXII, XXIII – ), para se purificarem.

Trata-se antes e por isso, de um processo espiritual que sucede após a morte, trata-se da transposição de uma passagem (cap. XXII), comum a todo o ser humano após a sua morte: todos passam por essa transição, independentemente de serem pecadores ou não.

A mesma noção também encontramos noutro texto apócrifo, os Actos de Pilatos, onde verificamos que no “inferno” se encontram em repouso eterno as almas de figuras como Abraão, Isaías, João Batista, etc,(II, cap 18,1), todas ela ali habitando em espírito e aguardando a sua libertação por via da completa purificação pelo espírito de Deus, que neste caso, ( neste texto), lhes aparece através de Jesus.

Ou seja: o inferno é visto tanto em certas tradições gnósticas, como nas mais ancestrais teologia hebraicas, como o «mundo espiritual», e não como o «inferno» que os padres Católico -Romanos “venderam” ao povo durante a Idade Media, apenas para o amedrontar e assim manter sob sua alçada, guiado pelo grilhões do medo.

Esta noção que a igreja católico – romana criou de um Inferno punitivo, assim como a criação imaginaria de um «purgatório» (cuja a existência, no Sec XX , já foi desmentida pela própria Igreja através do papa João Paulo II), serviram apenas para vender «bulas papais» e «perdoes celestiais» ás classes mais altas da sociedade, enriquecendo assim os cofres do Vaticano de tal forma, que assim se edificou uma das mais invejáveis fortunas do mundo que ainda hoje existe.

A troco da salvação de uma alma, (para que ela não acabasse no inferno, ou para que ela saísse rapidamente do purgatório e fosse para o céu), a igreja católica vendia perdões papais que «limpavam» todos os pecados de uma alma. Claro, fazia-o em troca de elevadas quantias de dinheiro, ou grandes doações de património. Assim se construiu a fortuna do Vaticano, sob a ideia da existência de um «inferno» punitivo que tanto assustou as pessoas e tanto dinheiro gerou aos cofres da igreja.

Esta noção de «inferno», foi a maior fonte de receitas financeiras da igreja, motivo pelo qual o Vaticano acumulou fortunas ao longo de séculos e séculos, tornando-se assim no mais rico estado do mundo. No entanto, por muito lucrativa que essa noção de «inferno» seja para o catolicismo, a verdade é que não existe, é apenas uma invenção criada a partir do conceito hebraico de «shoel», que significa: tumulo, cova, sepultura, ou seja: apenas «mundo dos espíritos».

Segundo as noções místicas hebraicas mais ancestrais, o «sheol», é o lugar para onde as almas humanas, após a morte do corpo, ingressam; ou seja, não existe uma noção de «inferno» punitivo neste conceito, mas antes a mera noção do «mundos dos mortos», ou o «mundo dos espíritos», onde ai vivem em espírito todos aqueles que faleceram. A esse reino dos espíritos, os hebraicos chamavam de «Sheol», e na verdade não se trata de nenhum «inferno».

Outra confusão que a teologia Crista gerou, foi o erro de identidade entre Lúcifer e Satã, uma vez que não se tratam da mesma entidade.

Na verdade, Lúcifer era um querubim gerado pela própria mão de Deus no primeiro dia da criação, e era por isso cheio da Luz de Deus (seu Pai). Daí advêm o seu nome: Lúcifer, que significa «portador da Luz»[ ou da «luz» de Deus, o seu pai]

Conforme descrito no Livro de Ezequiel, Lúcifer desejou ser igual ao seu próprio pai, e por isso acabou banido da presença de Deus e exilado do Reino de Deus. Por essa rebelião, o filho celestial e  primogénito de Deus (Lucifer), pagou com a sua queda para este mundo.

Sobre esse momento, assim está escrito no Livro do Apocalipse:

E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu e lançou-as sobre a terra;Apocalipse 12:3

estudos demonologicosLúcifer e o seu exercito (cerca de 1/3 dos anjos do céu), perderam a guerra contra as forças de Deus, sendo que Lucifer , ( e os seus anjos caídos), passou desde então a habitar no nosso mundo físico, do qual é «príncipe».

O Diabo, (Lúcifer), na mitologia Grega era visto como o rei de Hades , o deus do mundo dos mortos. Para entrar na morada de Hades, era preciso passar por um mítico cão demoníaco de três cabeças, chamado Cérbero.

De acordo com a tradição islâmica, Lúcifer revoltou-se contra Deus, não por desejar propriamente ascender ao lugar do Criador, mas antes por orgulho, ou seja, por se ter recusado a ajoelhar diante de Adão.

Assim está escrito:

«E quando dissemos aos anjos: “Prostrai-vos diante de Adão”, eles prostraram-se, excepto Lúcifer, [ Iblis] ,que se recusou e, cheio de orgulho, se juntou aos ímpios»Alcorão  II.34 «Deus perguntou:”que te impede que te prostres quando te mando?”Respondeu:«Eu sou melhor do que ele. Criaste-me do fogo e a ele criaste do barro».Deus disse:« Desce do paraíso, pois não é próprio que te enchas de orgulho nele.Sai! Tu estas entre os desprezados»Alcorão VII 11.18

De acordo com esta versão, Lucifer (um ser perfeito, cheio da Luz de Deus e portador da sabedoria, ao qual nenhum outro ser se podia comparar ou igualar), recusa-se a ajoelhar perante uma criação que considera inferior a si mesmo. È por esse motivo, que acaba sendo expulso do céu e exilado no mundo dos mortos.

Ao contrário, Satã não foi expulso, ( como Lúcifer), mas antes desertou dos céus.

Satã era um anjo das mais altas esferas celestiais (um dos anjos «vigilantes», a quem estava incumbida a missão de observar e guiar a raça humana neste mundo, tal qual anjos guardiães), que juntamente com outros anjos (nomeadamente Azazel, um dos príncipes do Céu e também ele um «vigilante»), optou de livre vontade por abandonar o céu e instalar-se na terra, motivados que foram pela sua paixão pelas mulheres, ou como dizem as escrituras no Livro de Génesis:

«as filhas dos homens».

Sobre este episodio, no qual um grupo de anjos abandona o céu para se instalar na terra em busca da ardência do sexo com as mulheres, assim esta escrito no I Livro de Enoch:

Naquele tempo, enquanto os filhos dos homens se multiplicavam, nasciam-lhes belas filhas.Os vigilantes – anjos filhos dos céus – ficaram atraídos por ela e desejaram-nas.Disseram uns aos outros: «Vamos procurar as filhas dos homens, e gerar filhos para nos próprios».I Livro Enoch

Assim, o I Livro de Enoch descreve como 200 anjos caíram, ou seja, abandonaram a esfera celeste e habitaram neste mundo. E assim continua o apócrifo  Enochiano:

Eles, tal como os seus chefes, tomaram as mulheres para si. Escolhiam quem queriam.Penetram-nas e desonrararm-nas. Ensinaram-lhes bruxaria, formulas magicas e como cortar raízes e ervaspara usarem nos seus conjuros (….)começaram [ os anjos caídos] a revelar segredos mágicos ás suas mulheresI Livro Enoch

estudos demonologicos2Não só a bruxaria é oferecida ás mulheres em troca do acto sexual com os anjos, (e assim se inicia a arte da bruxaria tal como ela é conhecida),  como estes anjos se tornam anjos caídos ou: demónios.

Sabemos por isso, tanto através das escrituras como dos textos apócrifos, que  entre a batalha liderada por Lúcifer na sua rebelião contra Deus, assim como o posterior  abandono voluntário de Satã e os seus seguidores para se casarem com as mulheres, ao todo foram alguns milhares de anjos que abandonaram o céu, dando origem aos demónios que hoje em dia conhecemos, e que são tão somente: anjos caídos.

Aos anjos caídos ou demónios, estão normalmente associados os fenómenos de possessão voluntária e involuntária.

A possessão involuntária sucede quando alguém é , contra a sua vontade, invadido pelo espírito de um demónio.

Esses casos podem assumir graus mais ou menos agudos de possessão, ou seja: tanto uma pessoa pode encontrar-se sob uma influência demoníaca quase imperceptível, ( o demónio apenas influi etereamente em certos pensamentos, sentimentos e por consequência opções e actos da pessoa influenciada), como uma pessoa pode chegar a ponto do espírito demoníaco querer ocupar, dominar e controlar completamente o corpo do possuído. Nesses casos mais agudos , ( e graves), de possessão, a pessoa perde totalmente o controlo sob si mesma: a sua alma fica aprisionada num pequeno canto da sua própria consciência apenas submergindo pontualmente e a muito custo; a pessoa não consegue ter controlo sob o seu próprio corpo e mente, invadidos que estão de forma total pelo espírito;  o próprio espírito demoníaco manifesta-se de uma forma totalmente incorporada no corpo possuído, como se aquele corpo pertencesse apenas ao demónio.

No outro extremo dos casos de possessão, temos as possessões voluntárias.

Dizia Jesus que o corpo é o templo do espírito, e que Nele mesmo, ( no corpo de Jesus), habitava o espírito do filho de Deus, ( o Cristo).

Ora, ao assim revelarem os evangelhos, está-se atestando que o corpo humano pode ser habitação não só do próprio espírito humano a que se destina, como também residência de um espírito celeste.

Os casos de possessão voluntária ocorrem neste tipo de caso, ou seja:

quando a pessoa se entrega voluntariamente a um espírito, e se oferece para ser um casa em que esse mesmo espírito pode passar a residir, permanente ou pontualmente. Nos casos demonológicos, o espírito do anjo caído passa a habitar uma certa pessoa por 2 motivos:

1-

por ter escolhido essa pessoa para tal finalidade;

2-

por se ter realizado um pacto voluntário entre a pessoa que se vai deixar invadir pelo anjo caído e o próprio anjo caído.

As pessoa destinadas e serem habitação, moradia ou residência de um espírito desse tipo, apenas vêem a sua vida a salvo uma vez aceitando a vontade do espírito; caso contrário, o espírito atormentará essa pessoa ate que ela aceite a aliança. A aliança, ( ou pacto), no caso das bruxas, é estabelecida através da carnalidade, tal como sucedeu na primeira vez da historia da humanidade, conforme descrito no I Livro de Enoch.  Em troca, o espírito demoníaco concede o seu favor á pessoa em quem passou a residir. Esta tradição de possessões volnutarias é especialmente praticada nas religiões Africanas de  Vodu,Kimbanda , assim como nas tradições Europeias de Bruxaria.

As mais 5 importantes obras sobre demónios, as suas hierarquias, etologia e ontologia, (a  denominada «demonologia»), são:

I

Malleus Maleficarum

II

Demonolatria

III

Compendium Maleficarum

IV

Ars Goetia

V

o Pseudomonarchia Daemonum

estudos demonologicos3

Os Grimórios que se debruçam sobre a esfera demoníaca, são instrumentos preciosos na realização de Magia Negra.

quer um poderoso trabalho de magia negra?

quer um poderoso trabalho de bruxaria?      

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria
1 2