Necromância

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Necromância

Necromância4

NECROMANCIA, NECROMANCIA, ESPIRITISMO, CONTACTO COM ESPIRITOS

Necromancia é um termo que etimologicamente advem das palavras gregas que significa “morte” (necro) e “adivinhação (mancia).

A noção mais vulgar de Necromancia, é:

« pratica espiritual de comunicação com os mortos.»

As bruxas sao consideradas pessoas com capacidades espirituais sobrenaturais, capazes de realizar feitos anormais, que contrariam o normal curso dos eventos e por isso denominados actos mágicos.

Associada á bruxaria, e certamente considerada uma das pedras basilares do ocultismo, está a necromancia.

Sobre a necromancia existem relatos bíblicos que atestam da sua ancestral existência, assim como do seu inegável poder, tal como é confirmável pelo episodio referente á bruxa de Endor.No livro 1, Samael 28, a bruxa usa a sua capacidade espiritual para invocar o espírito de um rei já morto, (Samuel), sendo que esse lhe aparece e prediz a morte de Saul.

Na verdade, no episodio da «transfiguração»,( Mateus XVII), no qual Jesus entra em contacto com espíritos de pessoas já falecidas, apenas atesta que a pratica do contacto com espiritos não apenas não é um pecado, como foi exercida por Jesus.

Na verdade, a própria bíblia atesta que «Deus é Senhor dos ESPIRITOS», (2 Macabeus 3,24), e na verdade eis que Jesus ensinou que contactar com mortos ou vivos não é pecado, pois que para Deus não há mortos nem vivos, pois que para Ele todos estão vivos, pois que «Deus não é Deus de mortos, mas sim de vivos!, pois para Ele todos vivem!» (Lucas 20,38)

Há quem afirme que se olharmos para os rituais executados por uma bruxa, e depois se observar os efeitos que a bruxa causou, estamos aparentemente falando de um fenómeno de bruxaria.

No entanto, há quem defenda que toda a bruxaria na verdade apenas funciona e produz resultados, porque toda a bruxa recorre á invocação de espíritos e á comunicação com espíritos, para através deles, conseguir causar os resultados desejados.

Assim, na verdade quando se esta falando de bruxaria, está-se falando de necromancia, ou seja, de contacto com espíritos.

Por isso, há quem defenda que na verdade, toda a bruxa é no fundo uma necromante ou uma espírita, seja conforme se lhe desejar chamar.

Há por isso quem defenda que quando bruxos realizam missas negras, ou quando um Xaman entra em transe, ou quando é realizado uma celebração Kimbanda ou Umbanda, na verdade estão-se realizando rituais de necromancia, ou seja, estao-se celebrando rituais com a finalidade de invocar espiritos, sejam espiritos das trevas, sejam espiritos de mortos.
E assim, entende-se que serao esses espiritos dos mortos, que atendendo ao chamamento dos bruxos, vao cumprir com as missoes que lhe sao solicitadados.

Necromancia é uma pratica espiritual ancestral, amplamente descrita e mencionada nos textos Bíblicos.

Senão vejamos:

Tabua de Ouijá2

Tábua de Ouijá, também chamada Tabua das Bruxas, assim como o uso de pêndulos ou varas, sao dos mais conhecidos meios de comunicação com os mortos ou com os espírito e por isso, denominados meios Necromanticos.

O uso de varas para comunicação com os espiritos (Oseias, 4;11-12), é uma arte ancestral que vem descrita na Bíblia. A Tábua de Ouijá, é algo historicamente mais recente, mas que obedece aos mesmos princípios da comunicação por varas.

Também na Bíblia, em variados textos do Antigo Testamento, esta descrito o «tirar sortes» como forma de comunicação com espiritos. Na antiguidade, o «tirar de sortes», (Levítico 16;8 – Ezequiel 45;1 – Isaías 34;17 – Números 33;50-54 – 1 Samuel 10; 20-24, etc…..), era realizado com recurso ao lançamento de dados ou outros meios análogos.

Actualmente, essa forma de comunicação com os espíritos é comummente feita através das cartas do Tarot, na qual por lançamentos de sorte, os espíritos falam com quem está tirando cartas.

Na Bíblia esta descrito como através da musica, ou através de transes, ou através de extases(II Reis 3:11-16 – Ezequiel 40;2 – I Samuel 16-23 – Salmos 49;5), é possível entrar em contacto com espiritos.

Tais praticas de natureza xamanica são ancestrais, e constam dos relatos biblicos, sendo que ainda hoje são realizadas, seja na forma de rituais de missa negra, ou de rituais de kimbanda, etc.

Como podemos ver, a Necromancia, ( contacto com os mortos, ou contacto com os espiritos), pode ser materializada de muitas formas, tal como o foi na antiguidade e actualmente ainda o é.

Claro que toda a forma de comunicação com espíritos ou com mortos, é altamente condenada na Bíblia, e por isso, é considerada uma pratica de Magia Negra.

Porem, olhai:

é curioso que na mesma Bíblia que condena esta pratica espiritual, sejam ditadas as regras dentro das quais essa comunicação com os mortos é possível e sem que seja um pecado aos olhos de Deus, e que igualmente possa ser realizada de forma segura.

Em Isaías, podemos ler:

«Quando vos disserem:”Porventura não pode um povo consultar os seus Deuses, ( espíritos ancestrais), e consultar os mortos em favor dos vivos?”, comparai com a instrução o testemunho; Se o que disseram não estiver de acordo com o que lá está, então a aurora não nascerá para eles»

Isaías 8; 19-20

Pois neste texto, podemos ver que o contacto com os espíritos, de acordo com a bíblia, tem uma regra.

Assim é dito que ao consultar os espíritos, ( sejam dos mortos, sejam dos antepassados ancestrais), que se compare o que o espírito consultado diz,( a «instrução»), com o que esta escrito na Biblia ( o «testemunho»).Se o que o espírito diz for coincidente com o que está escrito na Bíblia, está-se falando com um espírito de Deus; se não for coincidente, está-se falando com um espírito das trevas.

Esta regulamentação espiritual e esotérica está exposta claramente nos textos bíblicos, de forma que se possa efectuar a Necromancia ,( comunicação com os mortos, ou com os espíritos), para contactar, ou com espíritos de Deus, – tal como o próprio Jesus fez quando contactou com os espíritos de Elias de de Moisés (Marcos 9;2-4) – , ou como quanto Jesus, ( sua actividade de exorcista itinerante,  entrou em contacto com espíritos das trevas – vide: Mc 1,39 / Mc 1, 24-27; 5, 8-13 / Mc 3,12: Lc 4, 41/ Mc 5, 12-13, etc.

Leia também: magia branca e magia negra

De qualquer das formas, a verdade é esta:

Todo o ocultista sabe que na verdade a Necromancia é isso mesmo, ou seja, um meio de comunicação com os espíritos, sejam espíritos ancestrais, sejam espíritos celestiais, sejam espíritos de antepassados. E assim, eis que este não passa de um instrumento espiritual de grande poder e de dialogo com o mundo espiritual.

E porem, eis que todo o ocultista que professa o cristianismo e que segue a obra do santo são Cipriano, sabe igualmente que apesar de todas estas práticas ocultas serem reais e poderosas, eis que porem são Cipriano sempre sublinhou que as mesmas devem sempre e em todo o momento ser usadas em função de Deus, com fé em Deus, por fé em Deus, com temor a Deus, e sempre com respeito a Deus, pois que assim diz a obra do santo são Cipriano:

«Como diz são Cipriano na sua obra secular: Rogo pois, de todo o meu coração, aos praticantes que estudem com atenção estas instruções, (…) isso, porque (…) tudo quanto fazemos é em nome de Jesus Cristo»

Obra de são Cipriano; Instruções a todos os religiosos, Pag. 36

Necromância

Gravura antiga retratando o episódio da Bruxa de Endor, prova que a necromancia é uma pratica espiritual exequível.

quer um poderoso trabalho de magia negra?

quer um poderoso trabalho de bruxaria?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Missas negras e magia negra

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Missas negras e magia negra

missas-negras

AVISO PRELIMINAR AOS QUE ESTUDAM AS COISAS DO ESPÍRITO E DO OCULTO:

O santo Salomão afirmou que é de Deus que provem o conhecimento sobre as coisas dos espíritos, e dos «poderes dos espíritos», (sabedoria 7,20). Revela também o santo Salomão que o desejo de conhecer os mistérios dos espíritos, e a sabedoria do espírito, esse desejo de sabedoria conduz a Deus e ao reino de Deus (sabedoria 6,20). Por isso, estudai, e procurai a sabedoria sobre todas as coisas do espírito, pois que a sabedoria do espírito elevar-vos-á espiritualmente, e o conhecimento dos espíritos  enriquecer-vos-á ao vosso próprio espírito, e a sabedoria dos espíritos é o caminho santo que conduz a Deus.  Por isso: estudai todas as sabedorias do espírito, e porem: usai bem toda a sabedoria do espírito, usando-a sempre em Deus, com Deus, e jamais fora de Deus, pois que essa é a única forma santa de caminhar nos mistérios dos espíritos e nos «segredos de Deus».(sabedoria 2,22) Assim, o estudo do oculto e do mundo do espírito, deve ser encarado da forma certa, ou seja, norteado por Deus, fundamentado em Deus, e guiado para Deus, jamais indo para além de Deus. E por isso, eis que na obra do santo são Cipriano se pode ler:

«Como diz são Cipriano na sua obra secular: Rogo pois, de todo o meu coração (…) tudo quanto fazemos é em nome de Jesus Cristo»

Obra de são Cipriano; Instruções a todos os religiosos, Pag. 36

Assim sendo: enriquecei o vosso espírito com o conhecimento dos espíritos, pois que a sabedoria é coisa boa, pois que assim está revelado:

De facto, Deus ama somente aqueles que convivem com a sabedoria.

Sabedoria 7,28

Usai por isso deste mandamento do santo são Cipriano, e em todos os estudos que empreenderdes nas artes do espírito, procurai a sabedoria dos espíritos e do oculto, e porem fazei-o sempre com Deus, por Deus, e jamais fora de Deus.

Missas negras e magia negra

MISSAS NEGRAS E MAGIA NEGRA –

O VERDADEIRO SIGNIFICADO E SEUS SEGREDOS

Goetia ou “Ars Goetia” – a magia negra – é uma ciência oculta que provem dos ensinamentos que Deus passou ao rei Salomão, e através da qual o Senhor concedeu a Salomão a sabedoria que permite invocar tanto anjos como demónios e todo o tipo de espíritos.

Dessa forma o rei Salomão erigiu o maior reinado de todos os tempos na história do povo judeu.

A arte da Goetia tem por fundamento basilar os conhecimentos secretos da kabalah hebraica, outro conhecimento oculto que Deus também concedeu não apenas a Salomão, como também a Moisés. Como assim se pode comprovar, magia negra ou Goetia é uma ciência oculta relacionada com as tradições misticas hebraicas, que falam de Deus e do poder que Deus concedeu para operar no domínio das invocações aos espíritos. Por isso mesmo, a doutrina espiritual e mística do “caminho dos santos”, o fenómeno espiritual a que vulgarmente se chama “magia negra”, não passa senão da invocação das maldições de Deus, (maldições essas intercedidas através de um santo de Deus, e apelando a poderosos espíritos que estão sob autoridade do Senhor e ao seu serviço), para neste mundo gerar um certo efeito e um favorecer um certo fim, ao passo que magia branca é a invocação das bençãos de Deus

Até jesus amaldiçoou uma figueira, assim demonstrando que a Deus não cabe apenas gerar bênçãos mas também gerar maldiçoes, pois que Deus é Senhor de todas essas coisas do espirito ( Marcos 11,12-14;20-25) Até o profeta Eliseu lançou a maldição das 2 ursas (2 Reis 2,24) Até Moisés lançou uma maldição de 10 pragas sobre o faraó do Egipto. Deus – Ele mesmo – ordenou que se lançassem bênçãos a uns e maldiçoes a outros (Deuteronómio 11,29) Deus – Ele mesmo – nos seus mandamentos decretou que os sacerdotes não lançassem apenas bênçãos mas também as maldiçoes (Números 5,23;29-30) Então: Magia negra é justamente isso, que é conjurar as maldiçoes de Deus, ao passo que a magia branca é conjurar as bênçãos de Deus, e tudo isso decorre da Palavra de Deus conforme descrita na Sagrada Escritura

AVISO  SOBRE MISSAS NEGRAS

image004

As Missas Negras são poderosíssimos e terríveis instrumentos para se fazerem trabalhos de magia negra. Uma amarração feita por Missa Negra coloca a pessoa amarrada debaixo de grande maldição; Um trabalho de afastamento feito por Missa negra fará a pessoa visada sumir para sempre, ou sofrer tormentos indescritíveis na sua alma até que ceda e assim o faça; Um trabalho de destruição feito por Missa Negra fará a pessoa atingida, ou seus mais queridos, ver a sua vida totalmente arruinada e devastada.

O tipo de magia negra produzido pelas missas negras é poderosíssimo e imparável ou mesmo devastador. Por isso a celebração de missas negras com certos objectivos (uma amarração, uma punição de um indesejável, atrair sexualmente uma pessoa, etc), apenas deve de ser aplicado a casos muito desesperados.

Nunca tente realizar um ato de Missa Negra pelos seus meios. As consequências na sua vida, ou na vida de pessoas próximas de si, serão trágicas. Apenas sacerdotes vocacionados para tal fim e com devidos conhecimentos espirituais podem exercer tais artes Goéticas de forma eficiente e segura, da mesma forma que apenas sacerdotes instruídos e treinados podem celebrar um exorcismo.

Ao longo dos tempos, pessoas sem a necessária força espiritual tentaram realizar este tipo de processo espiritual, e acabaram, ou possuídos por espíritos, ou mais tarde vieram a falecer em condições trágicas e inexplicáveis.

Missas negras e magia negra2

As Missas Negras… um dos mais poderosos instrumentos de magia negra, usado para apelar ás maldições de Deus em todo o tipo de assuntos. 

Um dos casos de sucesso mais conhecidos da historia ocidental ocorreu em 1680, quando Athenais Charente, Marquesa de Montespan encomendou ao Abade Guibourg diversos trabalhos da magia negra com o objectivo de se tornar a única mulher a partilhar a cama do rei Luís XIV.

A condensa conseguiu os seus desejos, passou a ser a única mulher a partilhar o leito do rei e deu-lhe 7 filhos. O sucesso dos trabalhos do Abade foi esmagador, e a fama deste feito espalhou-se por todo o mundo.

A missa negra popularizou-se assim no sec XVII, com as famosas missas do abade Guibourg.

Missas negras e magia negra3

Porque se chamam missas «negras»?

O que são na verdade?, aquelas praticadas na doutrina do caminho dos santos?

Nas escrituras está revelado que enviou Deus espíritos maus se apossaram dorei Saul para o fragilizar e vencer, assim como ali está revelado que a mando de Deus espíritos maus levaram o rei Acab á derrota e á morte, assim como também está revelado que a mando de Deus espíritos maus geraram discórdias junto de Abimeleque, e está igualmente revelado que com a anuência de DeusSatã devastou a vida de Job, a fim de testar a sua fé.

Foram mais de uma vez, e muitas foram as vezes, que Deus não hesitou em usar espíritos maus ao seu serviço, atestando-se assim que Deus pode fazer uso não apenas de anjos, ( magia branca), mas também de espíritos maus e demónios, ( magia negra), para fazer cumprir a sua vontade.

Por isso para entender essa resposta, terão de ser lidas as escrituras, onde assim também está escrito sobre o terrível poder das maldições de Deus:

«O animal deve ser macho, sem defeito, e de um ano. (…)guardá-lo-eis ate (…) altura em que toda a assembleia de Israel o imolará ao entardecer. Recolhereis o seu sangue, e aplicá-lo-eis sobre os dois batentes e a sobre a travessa da porta, nas casas onde comerdes o animal (…) comereis a carne (…) assada no forno : inteiro, com cabeça, pernas e vísceras. Não deixareis restos (…) se sobrar alguma coisa, deveis queima-la no fogo. Deveis come-lo assim: com cintos na cintura, sandálias nos pés e cajado na mão; comê-lo-eis apressadamente (…) nessa noite, Eu passarei pelo Egipto, matarei todos os primogénitos dos egípcios, desde os homens ate aos animais. (…) Eu sou Deus. O sangue nas casas, será um sinal de que estais dentro delas: ao ver o sangue, Eu passarei adiante. E o flagelo não vos atingirá, quando eu ferir o Egipto. Esse dia será para vos um memorial, pois nele celebraríeis uma festa de Deus. Celebro-la-eis como um rito permanente, de geração em geração. (…) Quando os vossos filhos vos perguntarem: “Que rito é este?» ”, respondereis: “ È o sacrifício da pascoa de Deus, Ele passou no Egipto  (…) ferindo os egípcios e protegeu as nossas casas”»

Êxodo 12

Eis que assim se observou que uma grande maldição de Deus desceu á terra, e fez ceder e vergar o maior império daquele tempo, assim forçando o faraó do Egipto a ceder a Moisés e a libertar o povo de Deus, e da mesma forma que o fez, também as maldições de Deus podem operar transformações nas vidas daqueles de fé, seja em amarrações amorosas, assuntos de indesejáveis, e muitos outros.

Eis que assim se observou que a maldição de Deus tudo consegue alcançar e aqui alcançou-o através 10 pragas que culminaram com a ceifa das vidas de todos os primogénitos do Egipto.

As maldições dos santos de Deus poderão ser usadas nos mais diversos fins, desde maldições com fins amorosos, (amarrações amorosas), maldições de indesejáveis, maldições de justiça contra o injusto que ataca a sua vida, e muitos outros fins que podem ser alcançados por via das maldições dos santos de Deus, tal como pelas mesmas maldições Moisés, ( um santo de Deus), levou o faraó do Egipto a ceder, vergar-se, e aceitar o desejo de libertação do povo hebreu.

Assim, no caminho dos santos a magia negra não é mais que a invocação das maldições de Deus, , e assim sendo, as missas chamadas «negras», são missas e liturgias que não apenas relembram o temor que devemos ter perante as devastadoras maldições de Deus, como de liturgias que apelam ás maldições de Deus para que elas possam actuar a favor daqueles que procuram auxilio nos santos de Deus.

Trata-se por isso de um ritual litúrgico e cerimonial que exortando ao temor a Deus, nele se pedem que as maldições de Deus actuem em favor de um certo assunto, ( como no amor, ou na defesa de uma família, etc).

A esse ritual litúrgico chama-se de «negro» pois que por oposição ás missas chamadas «brancas», ( onde se pedem as bênçãos de Deus), nestes rituais pede-se o inverso, ou seja, conjuram-se as maldições de Deus.

E de «negras» também se chamam essas missas,  pois que elas apesar de invocarem um poder capaz de tudo vencer, contudo elas não vencerão pelo amor de Deus, mas sim pela ira de Deus…. e a sua ira é sempre motivo de temor

Se aceite por Deus as conjurações feitas a um santo de Deus, e se obedecidas as instruções pelos que procuram os santos de Deus, pois que pode demorar o tempo que demorar, mas as maldições de Deus acabarão vencendo como venceram o faraó do Egipto.

Pois que no «caminho dos santos» a chamada  «Missa negra», é uma forma de invocar o poder das pragas e maldições de Deus que vem e devoram tudo o que encontram diante de si, tal como Moisés conjurou os poderes destruidores de Deus e eles vieram e destruíram tudo á sua frente.

Por isso, quando o caminho dos santos chama uma missa de…. «Negra», essa doutrina fá-lo num sentido «bíblico», ou seja, no sentido de chamar pelas mais fortes maldições de Deus, as mesmas negras maldições que recaíram sobre o faraó do Egipto e que conduziram á morte de todos os primogénitos do Egipto.

E porque esse devastador poder da maldição de Deus revelou-se terrível e motivo de temor, então eis que as missas que a esse poder apelam chamam-se de «negras», como sinal de «luto» pela morte dos primogénitos do Egipto, e como sinal de «temor» pelo que o seu poder é capaz de gerar.

Por isso as missas são «negras», pois que são um sinal de temor, pois que ásmãos das maldições de Deus Noé assistiu a um dilúvio, Moisés testemunhou á morte dos primogénitos de toda uma nação, Abraão constatou a destruição de Sodoma e Gomorra, e David presenciou á queda do rei Saul, e que assim se sabe que invocar a maldição de Deus através dos santos de deus para operar um certo fim na vida de uma pessoa, constitui um acto pelo qual se deve ter temor, por oposição ao acto de invocar pelas bênçãos de Deus, e que é um actoem que devemos expressar compaixão e amor.

São missas chamadas «negras»,  no sentido do temor a Deus,  e no sentido e que são rituais pedem pelas maldições de Deus, e as maldições de Deus são terríveis, pois que está escrito:

Se não me ouvirdes (…) mandarei contra vós a maldição

Malaquias 2,2

Pois assim se sabe que ao que recusar a vontade de um santo de Deus, ou de Deus, sobre esse recairá a maldição de Deus, e ela é terrível… tão terrível que tão terrível que vergou o faraó do Egipto, tão terrível que a mando de Deus espíritos maus se apossaram do rei Saul para o fragilizar e vencer, tão terrível que a mando de Deus espíritos maus levaram o rei Acab á derrota e á morte, tão terrível que a mando de Deus espíritos maus geraram discórdias fatais junto de Abimeleque, tão terrível que por ela Satã devastou a vida de Job, por isso tão terrível que perante aquele de fé que sem falhar obedece aos mandamentos de um santo de Deus e cujo o pedido seja aceite por Deus, assim atestam as escrituras ela subjugará a alma de todo aquele sobre a qual recair, seja com que fim for, até mesmo nas amarrações amorosas ou em qualquer outro assunto importante nas vidas de quem sofre.

Pois assim as missas são chamadas «negras», pois que apelam ás maldições de Deus, e elas são temíveis e motivo de temor, pois que assim foi revelado:

Deus das vinganças, aparece ó Deus das vinganças

Salmo 93, 1

Pois assim se sabe que por intercedência de um santo de Deus, quando o Senhor ao aceitar estabelecer uma maldição, Ele fará essa maldição prevalecer com tamanho furor que face á sua vingança e ao seu castigo ninguém poderá resistir, e a seu tempo, no tempo que Deus determinar, tal como Abraão viu Isaac nascer, e tal como o povo de Deus após 40 anos de peregrinação no deserto se viu entrar na terra prometida…. então também aquele que pede a maldição de Deus, e por quem Deus aceita estabelecer a sua maldição…. esseverá o seu pedido estabelecido e a sua esperança recompensada.

São por isso missas…. «Negras», num sentido de temor pelo imenso poder das maldições de Deus, pois que assim está escrito:

Tú [ Deus] és terrivel! Quem pode resistir á tua frente, quando ficas irado?

Salmo 76,8

Pois aquele que se recusa a obedecer á vontade de Deus ou de um santo de Deus, resistindo a entregar-se aos caminhos que lhe foram ditados e rebelando-se contra trilhos que lhe são indicados, verá na sua alma recair a ira de Deus e da sua maldição, sobre ele descerão espíritos maus e demónios sob autoridade de Deus como sucedeu com o rei Saul, e ali se firmará essa maldição até que a pessoa ceda a vergue, pois que «Deus é terrível»

São por isso missas…. «Negras», num sentido do temor que temos face ásmaldições de Deus, pois que elas são como as que Deus amaldiçoou o Egipto, e pois que nelas se está pedindo pelo mesmo feito que deu origem ás pascoa judaica, sendo que nessa mesma pascoa judaica Jesus foi crucificado, tal é o poder de tais chamamentos divinos.

São por isso estas as missas em que se invocam as mais poderosas maldições de Deus, as mesmas que aniquilaram uma nação inteira como o poderoso Antigo Egipto, afundando-o numa maldição de 10 pragas que perseguiram o seu faraó de forma tal…. que o faraó se viu obrigado a ceder á maldição e a libertar o povo do Egipto.

Pois se apelando ás maldições de Deus, cumprirem-se as instruções que vos foram dadas, jamais decepcionando ou enganando as instruções dos santos de Deus, e se Deus aceitar os vossos pedidos…. Eis que sobre a alma do amaldiçoado se firmarão maldições por tal forma devastadoras, que outra coisa não poderá o amaldiçoado fazer senão ceder á maldição, ou então amaldiçoado e desgraçado viverá ate ao dia da sua morte, e por isso condenado estará a ceder aos fins pedidos na maldição.

Pois se o faraó do Egipto assim cedeu e vergou…. Quem poderá resistir a tais maldições?, seja em que assunto for?

Pedir pelas bênçãos de Deus, é sempre um momento de luz e um momento de abertura dos corações ao amor. È por isso um momento considerado «branco».

Pedir pelas bênçãos de Deus, é sempre um momento de luz e um momento de abertura dos corações ao amor. È por isso um momento considerado «branco».

Ao contrário, pedir pelas maldições de Deus, é sempre um momento de temor, e por isso um momento considerado «negro», e por isso um momento em que relembrando a pascoa em que a maldição de Deus para sempre atingiu os primogénitos, e um momento em que Deus acabou por oferecer o seu próprio primogénito ao sofrimento e á morte como um cordeiro…. é um momento por nós retido como de temor, e por isso um momento designado por «negro», pois que é um período em que invocamos aquilo que mais temor gera em qualquer um….e essas são as maldições de Deus,e  todos os espíritos «negros» sob comando do Senhor e que podem descer ao amaldiçoado para lhe atormentar a alma até que ele ceda e vergue aos fins da maldição, tal como sucedeu com Job, com Saul, como Acab e com Abimelec, todos eles infestados por espíritos maus enviados por Deus.

Onde essas, ( as maldições dos santos de Deus e de Deus), se aquele que as procura cumprir as instruções dos santos, e onde essas Deus as aceitar firmar….essas serão para sempre um motivo de esperança nos santos de Deus e em Deus…. e essas no tempo que Deus marcar, tal como a Moisés sucedeu…. darão sempre o seu fruto.

cruz-celta-magia (1)

Pergunta-se: como pode alguém operando num altar dedicado a um santo de Deus, celebrar missas brancas, mas também missas negras?
Pois e quanto ás missas negras em particular, essa resposta vamos encontra-la na idade media e nos saberes ocultos mais devotamente professados nesses misteriosos tempos.

Pois que na idade média algumas das mais influentes correntes de pensamento espiritual, místico e religioso professavam que aquele que era verdadeiramente possuidor de autoridade para celebrar a dita «missa negra», era um sacerdote, ou seja, alguém que havia jurado votos de fidelidade, de serviço e de submissão a Deus, ou a um santo de Deus, pois que apenas esse poderia usar o poder em si investido pela força de tais votos, para poder reverte-los numa cerimónia «negra» e assim conseguir invocar as maldições com pleno sucesso.

Pois na idade media, padres haviam que tanto celebravam á luz do dia as suas missas brancas, ( aqueles que conforme os preceitos das liturgias servem para conjurar as bênçãos de Deus), como de igual modo á noite celebravam as missas negras, e nessas conjuravam as maldições de Deus contra quem assim se lhes encomendasse tal serviço litúrgico.

Claro que a pratica deste tipo de missas era altamente controverso, e muitos dos sacerdotes que a elas se dedicavam foram acusados de bruxaria, ( acusação sem qualquer sentido, pois que bruxas não participavam em rituais litúrgicos monoteístas como os que os padres acusados conduziam), e foram por isso severamente punidos.

A igreja católica chegou mesmo a legislar informalmente sobre tais liturgias, estipulando que o sacerdote acusado de celebrar tais missas não poderia ser salvo por nenhum bispo, nem nenhum cardeal, mas tão somente o Papa teria poder para lhe conceder um perdão.

templarios

 

A ordem dos Templários, assim como outras ordens religiosas devotas, foram perseguidas por celebrar missas negras, e por isso acusadas de servirem o Diabo,  acusações essas que nada correspondiam á verdade dos factos, e que apenas deturparam por completo a verdadeira essência do ato litúrgico que é a missa negra conforme o caminho dos santos, e que visa apelar ás maldições de Deus, tal como o ato litúrgico «branco» da eucaristia visa apelar ás bênçãos de Deus.

Algumas ordem religiosas, ( como os Templários), foram acusados da pratica e celebração deste tipo de missas, sendo que as acusações fantasiosas que sobre eles recaíram, alegavam tanto que nessas missas eram cometidas as maiores atrocidades, como que os templários eram adoradores do demónio.  Claro que as fantasiosas acusações serviram apenas para exterminar a ordem dos templários, e para que assim fazendo a coroa francesa e o Vaticano se livrassem de um credor, ( pois que tanto o Vaticano como o estado francês estavam profundamente endividados junto da ordem dos templários), como ao mesmo tempo tanto o rei francês como o Papa dividissem entre si o vasto património da ordem dos templários, assim salvando-se da ruína e enriquecendo «da noite para o dia» á custa dos monges de Cristo.

Há exceção desse «feito» histórico, ( alguns lhe chamariam antes de «pilhagem» e «assassínio a sangue frio» de homens de Deus, a troco da conquista de uma fortuna), de pouco mais serviram as idiotas acusações atiradas aos templários, pois que se missas «negras »eles celebraram, pois que as celebraram tal como celebravam as missas «brancas», e muitas das vezes celebraram-nas a pedido de reis, ( como o rei de França), pedindo maldições de Deus contra os seus inimigos…. maldições essas que se vieram a cumprir a favor de quem as encomendou e depois delas se veio fazer valer para atacar os homens de Deus.

Contudo dessas mesmas maldições de Deus esses reis não se livraram, pois que antes de morrer os últimos templários vivos,( já encarcerados em masmorras e aguardando a sua execução), apelaram ás maldições de Deus contra o rei de França e o Papa, sendo que ambos acabaram por «curiosamente» logo falecer de formas adversas e misteriosas.

Pois ordens religiosas míticas como os Templários, ( ou mesmo os secretíssimos carolíngios), foram praticantes devotos da fé nos santos de Deus e em Nosso Senhor Jesus Cristo, apelando tanto ás  bênçãos como maldições de Deus, e procurando beber das mais profundas e poderosas fontes de sabedoria espiritual e mística. Não se julgue por isso, que uma tal fé se perdeu, nem que um tal saber se esfumou, por muitas acusações de heresia que sobre tais homens de fé pudessem ter perdurado, pois que eis que o que eles eram….ainda hoje continuam sendo…. homens de profunda fé e saber espiritual.

Perguntam muitos: mas como falar de Deus, quando se fala de magia negra?

Pois observe-se que as escrituras revelam:

Certo dia, os anjos apresentaram-se a Deus, e entre eles foi também Satã

Job 1,6

Desta forma se sabe que Deus é senhor de todas as coisas, e que sob a sua autoridade estão não apenas anjos, mas também demónios, e que essas forças podem por isso ser invocadas em nome do Senhor com grande poder e terríveis efeitos, sendo que no caminho dos santos a isso se chama de …. Magia negra.

Mais:

Revelam as próprias escrituras, que Deus usou, por mais de uma vez, de espíritos maus ao seu serviço para fazer cumprir os seus projectos, sendo que assim o fez com Abimeleque para junto dele gerar discórdias, assim como o fez junto de Job para testar a sua fé, assim como o fez junto do rei Acab para o derrotar, e também o fez junto do Rei Saul para assim o enfraquecer e abrir caminho a que David fosse rei.

Foram mais de uma vez e muitas as vezes que Deus não hesitou em usar espíritos maus ao seu serviço, atestando-se assim que Deus pode fazer uso não apenas de anjos, ( magia branca), mas também de espíritos maus e demónios, ( magia negra), para fazer cumprir a sua vontade.

Por tudo isso se sabe que Deus é senhor de bênçãos, contudo também é senhor das mais temíveis maldições, eis que tal sabemos pois que assim foi revelado:

«Eu sei que o rei do Egipto não vos deixará ir, se não for obrigado por mão forte. Portanto, vou estender a mão e ferir o Egipto com todas as maravilhas que farei no país»

Êxodo 3, 19

Pois assim se sabe que através de um santo de Deus, ( como foi Moisés),s e podem cumprir não apenas as bênçãos de Deus, como as suas maldições, e as suas maldições são terríveis e tudo podem revolver e forçar a suceder, pois que assim esta escrito:

«Tú [ Deus] és terrivel! Quem pode resistir á tua frente, quando ficas irado?»

Salmo 76,8

Que as maldições de Deus são um sinal do seu enorme poder, também sabemos pois que assim está escrito:

Todas estas maldições cairão sobre ti, perseguir-te-ão e atingir-te-ão, até seres exterminado, porque não obedeceste a Deus (…) Essas maldições serão para sempre um sinal e um prodígio

Deuteronómio 28, 45-46

Pois por assim ser sabemos que as maldições de Deus são um sinal e um prodígio que atesta do seu poder, e por elas muito pode ser alcançado pois que…. quem poderá desobedecer-lhes?

Que por último sabemos que Deus é senhor não apenas de bênçãos e amor, mas também de maldições poderosas, assim o sabemos pois que assim foi revelado:

Cristo resgatou-nos da maldição (…), tornando-se Ele próprio maldição por todos nós

Gálatas 3,13

Nas doutrinas cristas mais ortodoxas, Deus é por vezes encarado apenas como um Senhor de amor, mas um Senhor quase «impotente» perante o mal, pois que o mal parece actuar livremente diante de Deus sem que Elenada possa fazer. E porem nas doutrinas cristas que vão beber directa e fielmente ao judaísmo, (como no «Caminho dos Santos»), uma tal noção é firmemente negada, pois que se defende que Deus não é Senhor apenas de «algumas» coisas, mas sim Senhor de «todas» as coisas, e por isso «todas» as coisas semexcepção, (incluído anjos bons e anjos maus, e por isso incluído magias brancas ou negras), tudo isso está sob o poder e autoridade de Deus, e por isso eis que para todas essas coisas Deus pode e deve ser invocado.

E mais provas disso observais, pois que assim está revelado:

Quando operou os seus sinais do Egipto (…) lançou contra eles o fogo da sua ira: cólera, furor e aflição, anjos portadores de desgraças

Salmo 78,43;49

Foi através de anjos maus, ou anjos portadores de desgraças, que Deus feriu o Egipto a fim de vergar o coração endurecido do faraó e assim libertar o povo de Deus. Pois tanto através de anjos bons, ( magiabranca), como de anjos maus, ( magia negra), pode Deus actuar e fazer prevalecer a sua ordem em defesa do oprimido, do ferido, do magoado.

E se fé houver, então também tal coisa pode ser feita e vosso favor quando sofreis, e eis que tais coisas clamadas pelos santos de Deus a Deus, são isso mesmo: é clamar a Deus para que tal como através de um dos seus santos, ( como foi Moisés, e como é são Cipriano), então anjos de desgraça amaldiçoem a alma daquele que vos feriu, para que ela sendo vergada e vencida então se submeta a vós, e para que nas coisas em que sois sofredores então possais ser vitoriosos através do terrível poder de Deus . E por isso e em verdade: esta é a lei de Deus á qual é licito recorrer com fé, e pela fé sermos respondidos

E mais assim é revelado:

Eu enviarei diante de ti o meu terror (…)

Êxodo 23,27

Pois assim se sabe que Deus é não apenas Senhor de maravilhas, como Senhor dos maiores terrores, e assim Deus é amor mas também é ira, Deus é bênção mas também é maldição, Deus comanda anjos de luz como anjos de terrores, Deus é Senhor de magias brancas ou negras, e Deus é Senhor de todas as coisas. E assim, em clamor e fé todas essas coisas lhe são possíveis de pedir através dos seus santos, tal como foram por Ele manifestadas através de um santo como foi Moisés. E que Deus é Senhor tanto de santas maravilhas como é também Senhor de terríveis feitos, eis que assim está escrito:

Qual Deus é como Tu? Quem é santo como Tu, ó Magnifico, TERRIVEL em proezas (…)?

Êxodo 15,11

Pois assim se atesta que o Senhor é Senhor não de apenas algumas coisas, mas sim de todas as coisas, pois que todas as coisas Lhe pertencem, e por isso apelar a tudo aquilo que vem de Deus, ( sejam as suas santas maravilhas, como as suas proezas terríveis; sejam os seus anjos bons como os seus anjos maus; seja a sua magia branca ou a sua magia negra), é apelar a Deus em toda a magnifica extensão do seu poder tal e conforme as escrituras assim o revelam. E em verdade eis que assim está escrito:

Se não me ouvirdes (…) mandarei contra vós a maldição

Malaquias 2,2

Assim, como negar que se o Senhor é amor e compaixão e por isso gerador de bênçãos, (magia branca), também ele é Senhor de vinganças e maldições, ( magia negra), e que todas essas coisas estão sob o seu magnifico e terrível poder? E como assim negar que ao Senhor  apelar em todas estas coisas, é apelar a Deus conforme a sua Palavra?

E por isso mesmo, assim está revelado:

Deus é um fogo devorador.

Deuteronómio 4,24

E mais assim também está revelado:

O senhor é TERRIVEL

Eclesiástico 43, 29

Não pensais por isso que porque Deus é amor…. que Deus é fraco, pois que se Deus é amor porem Ele tambemé terrivelmente poderoso, e saiba-se assim que de Deus provem não apenas bênçãos entregue por espíritos bons, ( magia branca), como também Deus é Senhor de ira e de maldições entregues por espíritos maus, ( magia negra), e sobre todas essas coisas Deus é Senhor, e todas essas coisas podem a Ele ser clamadas através dos seus santos, tal como o foram através de Moisés.

Técnicas espirituais usadas na magia negra celebrada conforme o saber de são Cipriano,

 e do «caminho dos santos»:

Assim diz a obra de são Cipriano:

Porque Deus permite que o demónio atormente as criaturas (…)

1º È para que o homem, obstinado, em culpas, sirva de terror aos outros homens

2º È para que os que não são obstinados, sejam só castigados neste mundo[ e não no próximo] pelas suas culpas

3º É para que o homem, vendo-se castigado pelo demónio, fuja de ofender a Deus

4º É para castigar alguma culpa ( …) da qual se quer satisfazer a justiça de Deus

5º É para os que estão em graça, não caiam dela

6º É para que se arrependam os pecadores, vendo com os seus olhos a justiça de Deus

7º É para mostrar a santidade de algumas criaturas

8ºÉ para purificar os seus escolhidos

9º È para que tenham o purgatório neste mundo, e se confundam, vendo que dos seus males resultam as criaturastantos bens

Obra de são Cipriano; sobre poderes ocultos, orações e esconjuros; capitulo  1º

Pois existem 9 motivos pelos quais Deus pode permitir que demónios e espíritos maus vão e atormentem as almas das criaturas, ou seja, 9 motivos pelos quais pode ocorrer com pleno sucesso a chamada «magia negra».

E na magia negra conforme praticada pelo caminho dos santos e segundo os saberes de são Cipriano, tais motivos que Deus firmou, são os motivos através dos quais as maldições de Deus, (a magia negra), são chamadas a perseguir uma alma, ou seja: de forma a que seja alcançada justiça contra o injusto, ou de forma a que os de corações obstinados cedam e se submetam, ou por forma a que aquele que outrem feriu então sinta o castigo, etc.

E porque vias e manifestações opera a magia negra conforme são Cipriano a ensinou?

Assim diz a obra de são Cipriano:

Nomes dos demónios que atormentam as criaturas, porque Deus as consente que elas as mortifiquem (…) [e] quantas castas há de demónios (…):

Há obsessos, possessos, malificiados.

Os obsessos são aqueles que o demónio atormenta estando do lado de fora

Os possessos são aqueles que tem o demónio dentro do corpo

Os malificiados são aqueles que o demónio apoquenta ou molesta (…) por concurso de alguma feitiçaria ou trabalho

Os malificiados e possessos, são os que estão enfeitiçados e juntamente possuídos pelo demónio

Os malificiados obsessos são aqueles a quem o demónio persegue na parte de fora

Os repticios são os que o demónio suspende ou arremessa pelo ar, que são os que tem um pacto

Os fitonicos são os que tem espírito que adivinha

Os lunáticos são os que nos crescentes ou minguantes de lua são atormentados

Os fascinados são aqueles a quem o demónio move a trabalhar ou falar, sem que saibam o que fazem ou falam

Obra de são Cipriano; sobre poderes ocultos, orações e esconjuros; capitulo  2º

Pois estas são as 7 castas de espíritos maus que Deus pode permitir que infestem uma criatura tal como o Senhor o fez a Saul para que esse fosse infestado, e estas são as 9 formas como a criatura pode ser infestada pelos espíritos que Deus permitir que ali se alojem, tal como Deus permitiu que sucedesse a Job ou ao rei Acab. E eis que assim conforme são Cipriano ensina, e dentro dos mais ocultos saberes religiosos, a magia negra se pode operar de terríveis formas, porem ao serviço de Deus.

Missas negras – um instrumento mágico poderoso para resolver até os mais difíceis problemas, e porem: usar com cuidado e apenas em assunto sério

Sobre missa negra, assim se pode ler na obra de são Cipriano:

a missa negra (…) nela se faz tudo ao contrario daquilo que se faz na missa romana (…) lança-se um repto ao celestial poder, e a consagração é (…) profanada (…) haverá sempre no altar um corpo nú de mulher, e os fins que se deseja alcançar são sempre os mesmos: (…) [ entre outros ] o sexo (….)

sete pessoas se dedicam afanosamente ao arranjo das coisas necessárias á missa (…)

a teve que pagar (…) cem mil libras. È uma grosa quantia, mas (…) não faz por menos, e afinal, que são cem mil libras para quem quer satisfazer um desejo? (…)

[ missa negra] promete resolver os problemas todos, por mais difíceis que sejam (…) não é verdade que o amor e também a morte obedecem a essas artes ? (…)

Está escura a noite (…) emerge o sacerdote (…) que (…) oficia sobre o corpo nu de uma mulher (…) começa então o ritual. Já se encontra sob o altar o corpo magnífico da grande dama. (…) a luz das velas como que saltita pelos recantos escuros, envolve os objetos, dão contornos ao mesmo tempo suaves e excitantes àquele corpo de deusa. Sente-se no ar o perfume estranho (…) de incenso oriental (…) reina silêncio quase total (…) o sacerdote traz o cálice de ouro para colocar sobre o ventre da aristocrata. O objeto sagrado vem coberto com um finíssimo pano de linho, por cima do qual foi posto um pergaminho novo onde estão escritos os desejos(…) Começa o padre maldito a recitar, como voz monótona (…) mas firme, as palavra do rito. A cada trecho responde (…) sacristã. O sacerdote põem um joelho na terra e beija o púbis que esta ali á mostra. A marquesa não pode evitar um estremecimento ao sentir aquele contato impuro.

Obra de são Cipriano, capitulo Missa Negra. Pag 401-405

Assim se entende:

A missa negra é uma inversão da missa branca para alcançar um portentoso e inverso efeito, e por isso:

se a missa branca procura invocar as bênçãos dos poderes celestiais, então a missa negra procura invocar á mais portentosa maldição dos espíritos.

Também assim se fica sabendo:

demonstra a historia do Padre Guiborg e a Marquesa de Montespan que missas negras são rituais que pela força da sua inversão de sacramentos liturgicos, logo invocam as mais tenebrosas forças espirituais, pelo que os seus resultados são de assombro e portento.

Assim se fica sabendo:

Nesta logica é professado que a magia negra resulta de uma inversão dos sacramentos romanos, que são uma porta para os atos de magia branca.

Pois então:

Existem sete sacramentos, e eles são:

1-batismo

2-crisma ou confirmação

3-eucaristia ou missa

4-confissão

5-matrimonio ou casamento

6-ordenação ou sacerdócio

7-extrema unção

Então:

a missa negra pretende ser uma manifestação oposta ou inversa ao sacramento da eucaristia, da mesma forma que um pacto demoníaco pretende ser o oposto do sacramento do batismo, e a pratica da magia negra ou da feitiçaria pretende ser a oposição ou o inverso ao sacramento da ordenação do padre, e o matriarcado pretende ser uma inversão do sacramento do casamento.

Ou seja, quer isto dizer:

a missa negra pretende inverter e fazer tudo aquilo que não pode jamais ser feito na eucaristia, a fim de invocar um efeito inverso ao que seria obtido pela manifestação do sacramento da eucaristia, ou seja: missa negra pretende invocar a maldições de Deus ao invés das bênçãos de Deus.

Assim sendo:

é nesta inversão de sacramentos que se enquadra a missa negra e o oficio das negras artes, para que através desta inversão e mudança na ordem dos termos sacramentais se obtenha o resultado magico desejado, ou seja:

Invocar não ás bençãos de Deus…. mas sim ás temíveis Maldiçoes de Deus.

Pois então: era justamente isso mesmo que certas ordens religiosas praticaram secretamente ao longo dos seculos,(como a ordem dos monges carolíngios ou a ordem dos monges templários), que de dia celebravam as normais missas brancas para invocar ás bençãos de Deus em favor do povo, e á noite oficiavam as missas negras para apelar ás maldições de Deus em favor dos reis, da nobreza e da aristocracia que a esses padres recorria para garantir vitória nas suas demandas contra os seus inimigos

E porem, cuidai:

Nada disto resultará se Deus não quiser, e tudo isto dará fruto fulminante se Deus consentir.

Então:

cuidai que a feitura de toda a magica de missa negra seja feita com santos saberes que possam garantir que a obra magica seja realizada com a anuência de Deus, pois aí sim reside – justamente – o segredo de toda a arte mágica.

Eis os 6 ensinamentos basilares da magia negra e que provem diretamente da obra de são Cipriano, e ei-los:

1º Ensinamento: sobre a fé.

Sobre a fé, na obra de são Cipriano podemos ler:

«O espírito mau segredou-lhe ao ouvido: tens ainda pouca fé no meu poder, e é por isso que não achas as pedras de que te falei.»

Obra de são Cipriano, «Enguerimanços de são Cipriano ou prodígios do Diabo», capitulo 4º, pagina 251

Assim se fica sabendo que apenas tendo fé no espírito, é possível do espírito retirar a sua obra.

2º Ensinamento: sobre a paciência

Sobre a paciência, na obra de são Cipriano podemos ler:

«[Implorou Siderol]: perdão, perdão, Lúcifer (…)

[Respondeu Lúcifer]: não te disse já, (…), que na minha lei também é preciso ter paciência? »

Obra de são Cipriano, «Enguerimanços de são Cipriano ou prodígios do Diabo», capitulo 8º, pagina 260

Assim se fica sabendo que se desejamos entregar os destinos de um assunto ás mãos de um espírito, então assim o façamos para que o espírito dele se encarregue e por ele providencie. Porem, se não temos fé e paciência para entregar o destino desse assunto ás mãos de um espírito, e tendo-lhe entregue o assunto ainda assim persistimos em tomar o assunto em nossas mãos, então de que serviu entregar o problema ás mãos do espírito se persistimos ainda assim em tratar dele pelas nossas mãos? Uma vez entregue um assunto ao espírito, deixai então que ele trate do problema pelas suas mãos e não pelas nossas, porque das nossas mãos mortais nada colheremos, e sabendo deixar operar as mãos de um espírito ele assim vos dará a chave que abre a porta que não se vos abre.

3º Ensinamento: sobre a sacrifico

Sobre sacrifico, na obra de são Cipriano podemos ler:

«Para que gozes da minha protecção, é necessário que faças algum sacrifício»

Enguerimanços de são Cipriano ou prodígios do Diabo, capitulo 7º, pagina 260

Pois assim sabemos que nenhum milagre, nem nenhum prodígio, nem nenhuma protecção do espírito cairá do céu sem algum sacrifício. E porem, esse sacrifício aliado á fé, será então o grão de areia que fará a montanha mover-se a vosso favor.

4º Ensinamento: sobre Deus

Sobre Deus, assim está escrito na obra de são Cipriano:

«(…) Disse o demónio –  Infelizmente nada possa fazer contra o Deus todo poderoso (…) que se quiser poderá nos impedir de qualquer movimento»

Obra de S. Cipriano – Pag 22, Capitulo «Nascimento, vida e Morte de S. Cipriano; Cipriano e Clotilde»

Por isso assim se sabe que aquilo que Deus aceitar firmar ele firmará, porem aquilo que Deus não aceitar decretar ele não decretará, e esta é a lei. Assim ensina são Cipriano que quando desejais a mais forte das magias, lembrai-vos de Balaão e de são Cipriano, e assim não caia o vosso apelo em orações fúteis e fé mal guiada, mas antes dirigi-vos a um altar onde os santos de Deus são venerados, pois que apenas através de um santo de Deus podereis obter permissão para que tanto anjos, ( magia branca), como demónios, ( magia negra), atuem em vosso favor, pois que apenas através da autoridade de Deus se podem tais prodígios firmar, e todo o santo de deus apenas a Deus clama para abrir caminhos, seja na magia branca, ou na magia negra.

5º Ensinamento: sobre a oração

Sobre a oração, assim está escrito na obra de são Cipriano:

«A oração é o meio que o homem tem para comunicar-se com Deus e com os espíritos»

Obra de S. Cipriano Pag 391

Pois assim se sabe que é na oração, proferida com fé numa casa de oração e num altar dedicado a um santo de Deus como é são Cipriano, em que muitas orações se juntam clamando em todo o seu poder, que todos os prodígios são possíveis, e fora da oração e da fé expressas numa casa de oração e num altar de um santo de Deus, pouco será alcançado pois que assim são Cipriano ensinou.

6º Ensinamento: sobre as instruções

Sobre o cumprimento das instruções de um trabalho espiritual, assim diz a obra de são Cipriano:

«Cumpridas as instruções de Lúcifer, Cipriano pode então apossar-se de Elvira, como pretendera»

Obra de S. Cipriano, Pag 20, Capitulo «Cipriano e Elvira»

Pois assim se sabe que apenas cumprindo com rigor as instruções de um espírito, então será possível colher o fruto da ação desse espírito. Respeitai a instrução e podereis ter o benefício do espírito, porem desrespeitai a instruções do espírito e nada vos será dado, mas apenas tirado.

Em resumo:

Ensinamento geral sobre os saberes de são Cipriano

Sobre os saberes de são Cipriano, assim diz a obra de são Cipriano:

«(…) os manuscritos que ele escrevera e os apontamentos da bruxa Èvora, botou-os no fundo da sua grande arca, pois, apesar de não terem sido fortes o suficiente contra Deus(…), os reconhecia de portentoso valor»

Obra e vida de S. Cipriano, extraída do Flos Sanctorum

Eis por isso que são portentosos e valorosos os saberes de são Cipriano, e se os usais conforme estas 6 regras, eis que eles vos responderão sem falhas, e sempre conforme estes 6 ensinamentos aqui revelados por são Cipriano.

A magia negra e o exemplo de Balaão, um santo de Deus que a praticou

Um dos exemplos bíblicos de um santo de Deus, que havendo sido abençoado por Deus praticou tanto a magia branca, ( as bençaos de Deus), como a magia negra, ( as maldições de Deus), foi Balaão.

Balaão celebrava magia branca, ( as bênçãos de Deus), e as magia negra, ( as maldições de deus), e contudo jamais as usou senão com autorização de Deus, pois que reconheceu que toda a magia branca ou negra apenas poderia operar os seus fins através de Deus, pois que assim está escrito:

Balaão respondeu aos enviados de balac:« Ainda que o rei Balac me desse o seu palácio cheio de mouro ou prata, eu não poderia desobedecer á ordem de Deus , em coisa nenhuma , grande de ou pequena»

Números 22, 18

Assim se sabe que apesar de praticar ma magia negra e branca, Balaão apenas o fazia  sob obediência de Deus, pelo que foi tido com um santo de Deus, pois que assim foi revelado:

Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem de olhos penetrantes, oráculo de quem ouve as palavras de Deus e conhece a ciência do altíssimo. Ele vê aquilo que o Todo Poderoso mostra

Números 24, 3-4

Mais se sabe que Balaão foi um santo de Deus, pois que sobre ele desceu o espírito santo, e pois que assim está escrito:

Então o espírito de Deus desceu sobre ele [ Balaão]

Números 24, 2

Pois que mesmo praticando magia negra e magia branca, Balaão como são Cipriano foi tido como um santo de Deus por aceitar Deus no seu coração com fé e temor, e por jamais praticar a sua magia sem que o fizesse com autorização de Deus, pois que assim está escrito:

Eu não poderei ir contra a ordem de Deus, fazendo o mal ou o bem por contra própria

Números 24, 13

Contudo, também se sabe que Balaão ao assim agir, assegurou que todas as magias negras, ( invocação das maldiçoes de Deus!), ou magias brancas, ( invocação das bênçãos de Deus!), por si praticadas, elas firmavam-se estabeleciam-se, pois que assim está escrito:

Fica abençoado quem abençoas, e fica amaldiçoado quem amaldiçoas

Números 22, 6

Também se sabe que Balaão praticou a magia negra e a magia branca com fé e conforme os saberes mais ancestrais das escrituras, e por isso as bênçãos ou maldições por si intercedidas edificavam-se, e isso sabemos pois que assim esta escrito:

Então Balaão disse a Balac: «Edifica-me aqui sete altares, e prepara-me sete bezerros e sete carneiros novilhos e sete carneiros.» Balac fez cconfome balaao tinha pedido, e os dois oferecram em holocautos um bezerro e um carneiro sobre cada altar

Numeros 23, 1-2

Por ultimo, e apesar de Balaao exercer a magia negra e a magia branca, eis que se atesta que ela era verdadeiramente um santo do Senhor, popis que ele profetizou a vinda de Jesus a este mundo:

Eu vejo-O mas não é agora; eu comtemplo-o, mas não de perto: uma estrela avança de jacob, um ceptro levanta-se em isarael

Numeros 24,17

Pois por tudo isto de sabe que a magia negra e a magia branca podem ser celebradas com a anuência de Deus e sob a autoridade de Deus,  e que assim fazendo-se, podereis ver maravilhas produzidas em todos osaspectos das vossas vidas.

As missas negras, ou missas de apelo ás maldições de Deus por intermédio dos santos de Deus, são particularmente indicadas em casos de conjuração de maldições para fins de amarração amorosamaldições de indesejáveis, maldições de justiça contra o injusto, e muitos outros fins que podem ser alcançados por via das maldições dos santos de Deus, tal como pelas mesmas maldições Moisés, ( um santo de Deus), levou o faraó do Egipto a ceder, vergar-se, e aceitar o desejo de libertação do povo hebreu.

quer um poderoso trabalho de magia negra?

quer um poderoso trabalho de bruxaria?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Missas brancas e magia branca

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Missas brancas e magia branca

missas brancas e magia branca

MISSAS BRANCAS

AS MISSAS BRANCAS e MAGIA BRANCA
Magia branca e missas brancas

Para que servem as missas branca de magia branca?

As missas brancas, são rituais e liturgias celebrados em terreiros santos porque dedicados e consagrados a um santo de Deus, ( como são Cipriano ou santa Maria Madalena), e onde ali ocorrem ritos realizados conforme as mais ancestrais formulas de invocação das bênçãos de um santo de Deus e de Deus, ou seja, aquilo que vulgarmente se conhece por «magia branca».

As bênçãos dos santos de Deus podem firmar-se em assuntos como Uniões no amor, limpezas e expurgações do mal, desentranhamento de enguiços e quebrantos, desinfestação de malefícios, bênçãos de prosperidade, abundâncias e riquezas, bênçãos de fertilidade, e muitos outros padecimentos que atingem as vidas daqueles de fé, trazendo uma solução de fé e de esperança nos mais sofridos assuntos.

Como funcionam e o que são as missas brancas?

Elas funcionam conforme aquilo que está escrito, e que é:

«Vou oferecer-Te gordos holocaustos»

Salmo 66, 15

Pois assim se sabe que não sendo a coisa principal para Deus, ( pois que o pilar que sustenta as graças de Deus é a fé que habita no coração do devoto), contudo as  oferendas dedicadas com devoção  aos santos de Deus e a Deus, celebrados conforme os saberes mais ancestrais das escrituras,  são coisas agradáveis a Deus e aos espíritos de Deus, pelo que agradar aos santos do Senhor e a Deus , é sempre boa forma de suscitar a sua bênção.

Assim também está escrito:

«Oferecereis a Deus oblações, holocaustos e ofertas, sacrifícios de comunhão e libações (…) tudo isto será feito (…) alem das dádivas, votos e ofertas voluntarias que fareis a Deus»

Levítico 23,37-38

Assim se sabe que a pratica de oblações, libações, holocaustos, dadivas e votos prometidos a um santo de Deus e a Deus, são um instrumento consagrado para alcançar as graças, bênçãos ou maldições de Deus.

Para que tudo isso é feito, conforme os ancestrais saberes?

Para que assim fazendo, então ocorra aquilo que as escrituras asseguram que sucederá, ou seja, como assim foi revelado:

Quanto a Ismael, vou atender ao pedido que Me fazes, [ o pedido de Abraão] vou abençoa-lo, torna-lo fecundo e faze-lo multiplicar-se sem medida. Ele vai gerar doze príncipes, e dele farei uma grande nação.

Génesis 17,20

Pois assim se sabe que uma bênção de Deus concedida por intercedência de um santo de Deus, ( como era Abraão, e o é são Cipriano e santa Maria Madalena), gerará favorecimentos, multiplicações e protecção, e isso o asseguram as escrituras e os mais ancestrais saberes espirituais e místicos.

missas brancas

Como são realizadas as missas brancas?

As «Sephirot» da «árvore da vida» estudada pela ciência Cabalista, representam as varias forças e energias espirituais que existem, e que actuam tanto sobre toda a existência, ( seja a nivel do mundo espiritual, como do universo fisico), como também sobre as nossas vidas.

Cada uma dessas forças, ( dessas esferas), é na verdade uma das manifestações de Deus, e uma das face do Senhor nosso Deus.

São forças espirituais invisíveis, e são leis do mundo espiritual, leis intangíveis e no entanto, a sua existência é atestável através dos processos matemático-numerológicos das ciências místicas hebraicas.

No grande esquema da «Árvore da Vida», o pilar esquerdo da arvore, formado por Hod (Mercúrio), Gevurah (Marte), eBinah (Saturno), é gerador de trevas, ao passo que o pilar direito da arvore da vida constituído por Netzach (Vénus),Hesed ( Júpiter) e Chokmah (Urano), configura a fonte de luz.

Os processos mágicos de magia negra devem por isso ser canalizados á esfera espiritual de Yesod, com a finalidade de captar as influencias espirituais do pilar esquerdo da arvora da vida, ao passo que os processos mágicos de magia branca devem ser canalizados a Yesod, com o objectivo de captar as energias espirituais do pilar direito da arvore da vida.

pilar central da arvore da vida, constituído por Malkut (Terra), Yesod (Lua), Tiphareth (Sol), Daath (Plutão) eKether ( Neptuno),  tanto pode ser usado como meio de canalização de processos de  comunicação com as esferas celestiais, ( e logo com Deus), assim como veiculo de realização de tarefas magicas cuja a natureza seja complexa e importe por isso tanto influencias do pilar esquerdo como direito.

As missas brancas que apelam ás forças espirituais de Luz, ( representadas no pilar direito da «Arvore da Vida»),

apenas devem ser realizadas por quem possui os saberes adequados para as celebrar, a fim que aquele que é desconhecedor não vá e não meta a sua mão em coisas que desconhece e assim acabe gerando tragédias para si e para os seus.

Sobre as missas brancas e o seu processo, assim também está escrito, e assim é observado:

«Este tipo de demónios não se expulsa senão com recurso á oração e ao jejum»

Mateus 17,21

Nestas Missas e rituais verdadeiramente fieis ás instruções dos textos sagrados,

são realizados todas as antigas e secretas invocações espirituais que nos nossos dias já não praticam nas normais liturgias.
As missas Brancas podem gerar as mais poderosas bênçãos espirituais em assuntos de:

UNIÃO DE CASAIS SEPARADOS PELO MAL
EXORCISMO DE MAUS ESPÍRITOS
DESMANCHO DE MALEFÍCIOS
DESTRUIÇÃO DE MAUS OLHADOS
DESCARREGO DE INVEJAS
LIMPEZA DE MAUS AGOUROS
ABERTURA DE CAMINHOS NO AMOR, NA FAMÍLIA, NA RIQUEZA
PROTECÇÃO DA FAMÍLIA
PROTECÇÃO DE CASAMENTO
PROTECÇÃO DE DINHEIRO E BOA SORTE

quer um poderoso trabalho de magia branca?

quer um poderoso trabalho de Alta Magia Branca?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Malleus Maleficarum

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Malleus Maleficarum

Malleus Maleficarum, bruxaria, magia negra, bruxas, demonologia

Malleus Maleficarum

MALLEUS MALEFICARUM 

Malleus Maleficarum foi criado em 1486 por H. Kramer e Jacob Sprenger, ambos membros da Ordem Dominicana e Inquisidores da Igreja Católica.

A obra acabou sendo sancionada como um instrumento de inquisitório contra bruxarias e heresias, através da bula papal

Summis desiderantes affectibus

promulgada a 5 Dezembro 1486 pelo Papa Inocêncio VIII.

Foi através desta histórica bula papal, que a igreja reconhece a existência das bruxas e da bruxaria, assim como concedeu autorização para que os praticantes de bruxaria fossem perseguidos e eliminados. E assim, inaugurou-se a sangrenta caça ás bruxas que durou séculos e foi responsável por um autêntico genocídio de mulheres e homens em todas as latitudes do continente Europeu, chegando mesmo a afectar os inícios da história norte Americana.

Malleus Maleficarum disserta sobre os três elementos fundamentais á concretização da bruxaria, sendo eles:

I

A existência de uma bruxa

II

A ajuda do demónio na persecução das intenções da bruxa

III

A permissão de Deus para que tais actos possam ocorrer

Malleus Maleficarum, é por isso um tratado sobre bruxaria, (identificando o fenómeno, assim como dissertando sobre os meios de o reprimir), que se encontra dividido em três secções, sendo estas:

Secção I

A primeira secção refuta a negação da existência da bruxaria, alegando que a mesma é uma realidade que embora invisivel é porem tangível e capaz de ter efeitos muito claros na vida das pessoasNesta secção, defende-se a existência do Diabo e toda a realidade demoníaca, afirmando que o demónio tem o poder de fazer grandiosos prodígios, assim como declarando que as bruxas existem para auxiliar os demónios a concretizarem os seus actos. Curiosamente, é declarado que as bruxas apenas podem realizar os seus feitos mágicos, se auxiliadas pelo Diabo e com a permissão de Deus.Neste capítulo, é também esclarecido que terreno mais fértil e o mais poderoso favorecedor do poder do diabo é a sexualidade. Por isso, é afirmado que a mulher é mais passível de ser bruxa, pois o diabo tende a preferir corromper belas mulheres que gostam da ardência do prazer sexual. O vício sexual de belas mulheres é por isso a porta preferida do diabo para entrar neste mundo e recrutar as suas servas, ou seja: as bruxas. Assim, mulheres livres e libertinas tinham relações sexuais com o diabo, pagando dessa forma como seu corpo a entrada no reino infernal e tornando-se dessa forma bruxas, adquirindo o seu poder sobrenatural por via da carnalidade, comprando-o com uma forma de prostituição demoníaca. Citando oMalleus Maleficarum, assim está escrito nesta I secção :«toda a bruxaria nasce da luxúria carnal, que nas mulheres [ libertinas e viciadas no prazer sexual ]  é insaciável».
Secção IIA segunda secção, descreve as formas de bruxaria que existem, assim como os remédios existentes para a combater.Nesta secção II do Malleus Maleficarum, os autores debruçam-se sobre a prática da bruxaria através da análise de casos concretos. Nesta secção dão analisados os poderes sobrenaturais das bruxas, assim como as técnicas de recrutamento de novas bruxas. Segundo esta secção, não é o Diabo que recruta directamente as suas servas neste mundo, mas antes são as bruxas que desempenham essa tarefa pelo Diabo, ou ao serviço do demónio. As técnicas de recrutamento resumem-se a 2 estratégias:
IFazer com as coisas corram de tal forma mal na vida de uma mulher, que ela é levada a consultar uma bruxa. Ao faze-lo, cai na teia da bruxa, que assim a vai seduzindo, ou com as delicias do sexo, ou com o fascínio dos poderes das trevas, ate que a vitima se transforme numa bruxa por via da livre aceitação de um pacto demoníaco.
IIIntroduzir jovens e belas mulheres, (servas do Diabo), ou belos demónios em forma humana na vida de uma mulher, de forma a faze-la gradualmente cair da tentação carnal e subsequentemente a ceder ao caminho das trevas.

Esta secção II também revela como é que as bruxas lançam feitiços e encantamentos, assim como os remédios que podem proteger contra tais fenómenos mágicos.

Secção IIIA terceira secção  destina-se a auxiliar os juízes inquisitórios na sua tarefa de identificar bruxas e combater o fenómeno da bruxaria.Esta secção III é a parte jurídica do tratado, ou seja:descreve como identificar e acusar uma bruxa. Os argumentos acusatórios são claramente expostos como um guia pratico para consulta dos magistrados da Santa Inquisição, facultando passo a passo um manual instrutório  que diz como se realizar um processo de julgamento de uma bruxa, desde o momento da recolha de provas para fins da acusação formal sobre bruxaria, aos métodos de interrogatório da bruxa e testemunhas, ate à formulação da acusação  e consequente julgamento.

magia de sangue

Em resumo:

O sangue da própria bruxa assinando um contrato demoníaco, bem como a relação carnal com o Diabo através do qual a liturgia infernal é praticada para outorgar o pacto infernal, são os meios descritos e através dos quais se jurava obediência a Satanás, ao passo que se renegava Deus e em suma se entregava a alma ao demónio para adquirir poderes sobrenaturais de bruxaria.

Aquela pessoa que se entregava ao demónio, era marcada pelo Diabo. A esse sinal, chamava-se a «marca da bruxa», ou a «marca de Caim».

Essa marca corporal confirma que a bruxa é na verdade uma bruxa. A marca não pode ser um sinal de nascença, mas sim algo adquirido no momento em que o Diabo assume poder sobre essa pessoa, ou escolheu essa pessoa para ser seu servo e sacerdote.

A «marca» é deixada pelo demónio no corpo da bruxa como forma de assinalar a obediência dessa pessoa para com o Diabo.

A «Marca» é criada de diversas formas: ou pelas garras do Diabo ao passar pela carne do seu servo, ou pela língua do Diabo que tocando o individuo, lhe deixa a marca demoníaca. A «marca» pode-se manifestar em diversas formas: Uma verruga, uma cicatriz, um sinal, e especialmente um pedaço de pele totalmente insensível.

As teses ocultistas mais actuais, tendem a identificar esta «marca do Diabo» não como um sinal físico presente no corpo da bruxa, mas antes como um «sinal» marcado na alma da bruxa, ou seja: o seu «nome espiritual», o nome com que bruxa viverá depois do pacto com o Diabo, e com o qual fará as suas bruxarias.

O «nome espiritual» é o nome que o demónio concede a uma bruxa quando ela outorga o seu pacto infernal, e é a «marca» que identificará para sempre essa pessoa diante do Diabo, da mesma forma que o «nome de baptismo» Cristão identifica uma pessoa diante de Deus.

Assim, se o «nome de Baptismo» identifica uma pessoa diante de Deus, o «nome demoníaco» é o «sinal» por via do qual uma pessoa se identifica perante o demónio.

Ao ser baptizado por Deus, recebe-se um nome, e ao ser «baptizado» pelo Diabo, recebe-se outro.

Os autores de «Malleus Maleficarum», ( Jacob Sprenger e Heinrich Kramer – Sec XV),  descreviam as relações carnais entre demónios e bruxas, não como um acto de amor, mas antes como um mero processo por via do qual um pacto demoníaco era firmado.

A carnalidade era uma parte do compromisso que os homens e mulheres assumiam aquando da celebração do seu pacto com o Diabo.

O objectivo da carnalidade era venerar o demónio, submetendo-se ao Diabo e assim concedendo ao espírito impuro tudo aquilo que esse pedisse. Pois se o padre se submete a Deus pela elevação espiritual, o bruxo submetia-se ao Diabo pela submissão carnal.

Muitos teólogos Cristãos apoiaram esta ideia de submissão ao demónio pela carnalidade, ao passo que outros , ( como Pierre de Rostegny), afirmavam que Satanás preferia tentar mulheres casadas, uma vez que dessa forma ao possuir uma mulher casada estaria não só induzindo-a ao pecado da luxúria, como ao mesmo acrescentando á lista de pecados cometidos: o adultério. Pelo adultério praticado com um demónio a mulher tornar-se-ia bruxa, sendo que se o seu marido colaborasse com este atentado contra o sagrado matrimónio de Deus, poder-se-ia também tornar bruxo, pois não só se submetia perante o Diabo, ( como seu servo, oferendando-lhe a sua própria mulher e permitindo que o santo matrimónio fosse corrompido), como também tinha compactuado com a pratica da violação de um dos mais sagrados votos Cristãos: a inviolabilidade santo matrimónio celebrado aos olhos de Deus. Se mulher, ( e por consequência seu marido),  se submetessem a esta perversão, permitindo que o Diabo passasse a ser senhor de um lar que antes tinha sido consagrado a Deus, estavam geradas as condições para a celebração  de um pacto demoníaco. O princípio ideológico que estava por detrás destas teses e que suportava este tipo de pensamento teológico, perdurou durante séculos nas sociedades cristianizadas.

A verdade é que ate há bem pouco tempo, o Divorcio Civil não era reconhecido pela Igreja Católica, que considerava que aquilo que foi unido por Deus, jamais poderia ser separado pela Lei do homem.

Teólogos defensores das visões mais ortodoxas ou extremistas, tendiam a ver os casamentos que realizados após um divorcio civil, se seguiam assim a um casamento celebrado aos olhos de Deus, como uma «ilegalidade espiritual», uma quebra de votos sagrados perante Deus que faziam a pessoa cair no pecado – pecado da fornicação e do adultério – Consequentemente aquelas pessoas que assim agiam,  estariam caindo nos caminhos do demónio, vivendo em pecado e assim estando abertas á influencia demoníaca.

pactos

Exemplos atestados e comprovados de Pactos com o Demónio ao longo da história, existem e encontram-se documentados.

Eis alguns exemplos:

1Em 1664 uma bruxa de nome Elisabeth Style confessou em tribunal ter realizado um pacto com Satanás, e que fora por via desse facto que ela houvera conseguido riquezas e um vida faustosa.
2Em 1616, uma bruxa de nome Stevenote de Audebert, apresentou em tribunal prova de u pacto com o Diabo: ela revelou um contrato escrito por via do qual ela havia realizado um pacto demoníaco.
3Wm 1634, soube-se que um poderoso mago de nome, Urbain,  cujos os feitos mágicos eram temidos e reconhecidos, havia outorgado um contrato demoníaco. O documento ainda se encontra arquivado na Biblioteca Nacional em Paris, França.
4Também na Biblioteca de Upsala, encontra-se arquivado o contrato por via do qual um estudante de nome D. Saltherius realizou um pacto demoníaco. O seu pedido foi satisfeito, pois ele conseguiu alcançar a posição profissional que desejava numa famosa universidade Alemã.
5Theophilus de Adana, ( Sec VI d.C.), também procurou um bruxo e realizou um pacto com o Diabo, por via do qual conseguiu alcançar a elevada posição de Bispo. Um famoso quadro de Michael Pecher , ( 1430-1498), denominado «Augustinus und der Teufel», ( obra de 1471),  retrata precisamente este pacto demoniaco.

quer um poderoso trabalho de magia negra?

quer um poderoso trabalho de bruxaria?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia segundo São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia segundo são Cipriano

Magia, o que é magia, magia segundo são Cipriano  
magis

Magia, o que é magia, a magia segundo são Cipriano

Magia.

O que é magia?,  e o que dizia são Cipriano sobre a magia?

Olha que assim se pode ler na obra de são Cipriano:

a magia é a arte de submeter as POTENCIAS DA NATUREZA á vontade humana. Entre essas potências há entidades invisíveis, espíritos, génios, evocados mediante fórmulas, orações, encantamentos, talismãs pentáculos, filtros e agentes naturais. (…) a arte da magia tem de se apoiar na ciência ou no conhecimento não somente da natureza das entidades, como também das PROPRIEDADES DOS ELEMENTOS NATURAIS.

Obra de são Cipriano, capitulo Magia, Pag 222

Assim se sabe:

são Cipriano professava que a natureza está repleta de espíritos e forças espirituais que respondem á sua invocação através de certas fórmulas e elementos naturais.

Por isso:

são Cipriano não considerava a magia algo de maligno, mas sim entendia a magia como algo tao natural quanto a ciência, ou seja:

se a ciência tenta manipular as leis da física e da química que existem na natureza, pois a magia tenta manipular as energias, as entidades e as forças espirituais existentes na natureza.

Pois por isso, assim se pode ler na obra de são Cipriano:

Os bruxedos (…) na sua forma mais pura, é uma tentativa de CONTROLAR A NATUREZA e fazer aparecer ESPÍRITOS benignos e malignos

Obra de são Cipriano, capitulo Os bruxedos no tempo de são Cipriano, pag 41

Pois assim diz o saber de são Cipriano:

toda a natureza e todo o universo é composto de uma parte material, assim como é também composto de uma outra parte espiritual, sendo que ambas essas realidades coabitam e coexistem lado e lado na natureza.

Pois então:

Os espíritos e as energias espirituais existem na natureza, e a magia faz uso dessas entidades, dessas energias e dessas forças espirituais que habitam na natureza em nossa redor, a fim de invocando-as então as fazer operar em nosso favor.

é a luz deste ensinamento que são Cipriano entende o fenómeno magico, e o que é a magia.

quer um poderoso trabalho de magia negra?

quer um poderoso trabalho de bruxaria?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia negra e magia branca

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia negra e magia branca

magia negra e magia branca

 

Sobre a chamada , ( por vezes erroneamente), «magia negra» e a «magia branca», eis que muitos se perguntam:

«Como é possível praticar ambas?, como podem elas coexistir num certo pensamento e praticas religiosas?»

Pois assim se esclarece, conforme a crença dos caminhos dos santos professa:

Na doutrina do «caminho dos santos», a chamada «magia negra», não passa da invocação das maldições de Deus, ao passo que a chamada «magia branca», é para nós e na nossa crença, a procura e invocação das bênçãos de Deus.

Professa-se assim aquilo que está revelado nas escrituras, e que é:

Vede, hoje ponho diante de vós a bênção e a maldição

Deuteronómio 11,26

Diz por isso a crença aqui inspirada, que o criador de todas as coisas, foi o criador de bênçãos e maldições que podem operar nas nossas vidas através da sua autoridade e da intercedência dos santos de Deus, como é são Cipriano e santa Maria Madalena.

Também assim está escrito:

Tu praticas o amor (…), mas também castigas

Jeremias 32,18

Pois assim se sabe atestadamente que Deus é amor e bênçãos, assim como Deus é também senhor de castigos e maldições, e eis que também assim foi revelado:

Essas maldições serão para sempre um sinal e um prodígio

Deuteronómio 28, 46

Pois que assim se revela que não apenas as bênçãos de Deus, mas também as maldições de Deus, são um sinal e um prodígio que provem de Deus.

Disso também atestam demais escrituras, onde assim podemos ler:

Eras para eles um Deus de perdão, e um Deus vingador das suas maldades

Salmo 99,8

Pois assim se sabe que através dos santos do Senhor, é possível apelar tanto ao perdão e ás bênçãos de Deus, como á vingança e maldição de Deus, e que tudo isso pode ser operado através de Deus e do seu poder, pois que assim está revelado:

Tú [ Deus] és terrível! Quem pode resistir á tua frente, quando ficas irado?

Salmo 76,8

Por tudo isso inspirados, e com os corações devotos á crença do caminho dos santos, assim o caminho dos santos crê:

Pois se através de Moisés, ( um santo de Deus), foram lançadas maldições de 10 pragas contra o faraó do Egipto, mas também e contudo pelo mesmo santo de Deus, ( Moisés),  foram igualmente firmadas bênçãos milagrosas ao povo de Deus durante a sua travessia do deserto…. onde reside o motivo de espanto nesse assunto?

E mais assim se crê:

Pois se Abraão assistiu tanto ao poder das maldições de Deus através das quais Sodoma e Gomorra foram destruídas sobre infernal fogo e enxofre, como igualmente assistiu ao poder das bênçãos de Deus por via das quais Isaac nasceu conforme promessa milagrosa do Senhor….que dúvida pode ai residir, que Deus é senhor tanto de bênçãos como de maldições, e que ambas provem de Deus?, e que ambas podem ser clamadas a Deus?

Pois se Deus tanto pode usar anjos ao seu serviço, (como aquele que auxiliou Tobias,  ou aquele que se dirigiu a Balaão, ou aquele que falou com o profeta Daniel, ou aquele que anunciou a Maria o nascimento de Jesus), como Deus igualmente pode usar demónios e espíritos maus ao seu serviço, ( como Deus usou contra o Rei Saul para o desgraçar, ou como Deus usou contra Job para lhe testar a fé, ou como Deus usou para colocar discórdia entre Abimelec e os senhores de Siquem), ,e se Deus ordenou que os seus sacerdotes usassem tanto de bênçãos como de maldições, (Números 5,23;29-30), então onde pode subsistir duvida que Deus é senhor de todas as coisas, e que para o Senhor usar de anjos e bênçãos, ( aquilo a que comummente se chama «magia branca»), como de demónios e maldições, ( aquilo a que vulgarmente se chama «magia negra»), tudo é possível a Deus e tudo d’Ele provem?

Pois se Deus é aquele que estabelece tanto bênçãos como maldições, pois que tudo o que existe provem Dele, e se Deus é apenas um… qual a duvida que aí pode subsistir?

 

+Jesus, o Santo e o Mago +

 

Dois exemplos de magia branca e magia negra, estão claramente inscritos nos Evangelhos:

Jesus praticou magia branca, quando invocou e contactou com os espíritos de Elias e Moisés, (Mc 9;2-4),

espíritos que tinha sido elevados á condição celeste por Deus.

Jesus também praticou magia branca,  de cada vez que usou a palavra magica de Deus, ( Mc 5,41;  7, 31-37),

para invocar a força do «Espírito Santo» e realizar milagres de cura nos sofredores.

Nestes casos, Jesus, entrou em contacto com forças espirituais de luz e de Deus,

(ate mesmo com o «Espírito Santo» – Mt 3, 16-17 – ,  e o próprio Deus «HYYV»),

para realizar actos de cura na vida daqueles que sofriam. Ora, ao contacto com entidades de luz para realizar

obras neste mundo, chama-se:

«Magia Branca».

Porem:

Jesus exerceu uma actividade não só de mestre espiritual, como de exorcista itinerante ( Mc 1,39).

Ora, quando entrou em contacto directo com demónios e dialogou com eles, (Mc 1, 24-27; 5, 8-13),

sendo para lhes ordenar que abandonassem uma pessoa,

sendo para lhes exigir silencio sobre a sua própria identidade,(Mc 3,12: Lc 4, 41),

sendo para lhes autorizar que incorporassem em animais ao invés de em humanos, (Mc 5, 12-13) etc,

Em todos estes casos, Jesus estava usando de dialogo e autoridade junto espíritos das trevas para  realizar curas na vida das pessoas.

Assim sendo:

A verdade é que, realizar curas e actos favoráveis ás pessoas com recurso a demónios, é um acto de «magia negra», pois  á pratica espiritual que faz uso da autoridade sobre os demónios para realizar fins neste mundo, chama-se:

«Magia negra

Assim se pode ler:

E Jesus andava por toda a Galileia, pregando nas sinagogas, e expulsando demónios

Marcos 1,39

Assim:

Jesus desde cedo na sua vida espiritual entrou em contacto com demónios, o que na altura seria considerado pelas correntes religiosas mais ortodoxas enquanto um acto «impuro» e de «magia negra», pois que o acto de contactar e dialogar com demónios, (fosse para curar alguém, fosse para beneficiar alguém, fosse para prejudicar alguém, fosse para silenciar os demónios, fosse para colocar demónios em porcos, fosse para expulsar demónios, fosse atingir fins de evolução espiritual e para ser tentado num deserto, ou fosse para que fosse….), era tido como um acto de…. «magia negra».

Por isso mesmo é que depois de realizar alguns dos seus prodígios e curas, porem pessoas de uma certa localidade vieram ate com Jesus e agradeceram-Lhe, porem pediram-Lhe que Ele se «retirasse daquela região»,(Mateus 8,28-34), pois que as praticas místicas e espirituais de Jesus eram tidas como obviamente boas pelos fins que atingiam, porem de «magia negra» pelos meios que eram exercidas.

Pois tudo isto inspirava naquelas pessoas tanto admiração, como um certo receio e temor, pois que tudo isto fazia de Jesus ao mesmo tempo que um «homem santo», porem igualmente um «exorcista» e um «mago».

E mais assim se lê:

Depois do por do sol, levavam a Jesus (…) os que estavam possuídos pelo demónio

Marcos 1,34

E  mais assim se observa:

Ao por do sol, (…) levavam-nos a Jesus

Lucas 4,40

Assim: Jesus foi um homem santo e porem também foi um exorcista itinerante que percorrendo toda a Galileia, de dia pregava as escrituras, e de noite exercia as suas artes espirituais.

E assim, ao passo que durante o dia Jesus pregava sobre as escrituras sagradas, porem durante a noite expulsava demónios e realizava curas espirituais através do contacto com demónios, o que conforme a doutrina religiosa e ortodoxa do seu tempo e religião, seria considerado como durante o dia pregar a Palavra de Deus, e durante a noite realizar «magia negra», facto que constituiu uma conduta obviamente controversa.

Por Jesus assim fazer, é que Ele foi acusado de expulsar demónios pelo poder dos próprios demónios (Mt 12, 27-29), o que no fundo é uma acusação de pratica de «magia negra».

A  própria mãe de Jesus,( bem como seus irmãos), entenderam o que ele estava fazendo, e

disseram mesmo que Jesus estava «fora de si», ( Mc 3,21) e tentaram apanha-lo de forma a faze-lo parar com as suas

actividades exorcistas.

Evangelho apócrifo de Nicodemo

No Evangelho apócrifo de Nicodemo, ( igualmente conhecido por «Actos de Pilatos»),  afirma-se sobre Jesus:

«É um mago», ( I,1), «um feiticeiro» ( I,12) .

As acusações não surgem por mera maldade,

mas sim porque percebiam aqueles que eram conhecedores de teosofia, que as praticas espirituais empregues por Jesus

eram controversas,

pois Jesus tanto recorria á força espiritual de Deus para causar o bem, ( «magia branca»),

como por vezes fazia recurso a processos que são tipicamente de «magia negra», ou seja:

usava os demónios para fazer curas, através de um contacto directo e autoridade com esses espíritos impuros,

para os fazer obedecer e assim, para realizar o bem.

E fazer o bem usando as entidades do mal,

era, ( e é),  considerado como:

«magia negra».

Disso mesmo atestam diversas fontes rabínicas,

revelando que Jesus no seu tempo foi visto como alguém que realizava

prodígios que eram tidos como «fruto de magia» (b. Sanh 43ª; b. Sanh 107b; sanh. 107b)

Olhai que muitos dizem:

Mas Deus disse: «Não deixaras viver quem pratica a magia», e por isso:

como podeis vós falar de «magia» em «Deus»?

E a isso respondemos:

Deus também disse no seu mandamento:

Não mates

Êxodo 20.13

E porem Ele também ordenou:

Passarás a fio de espada todos os homens

Deuteronómio 20,13

Ou seja, olhai:

Tende cuidado quando vos arrogardes «donos» da «verdade» de Deus, pois que a «verdade» de «Deus» é «misteriosa», e por isso apenas em espírito a alcançaremos, e ninguém se pode arrogar a saber mais que Deus.

E por isso assim dizemos:

Acaso não foram três magos que Deus escolheu para abençoar a vinda do seu Filho Jesus a este mundo? (Mateus II)

Acaso o profeta Daniel também não foi Baltazar, um mago ao serviço da corte do rei Nabucodonosor? ( Daniel IV)

Acaso Moisés não praticou feitos e artes de «ciências ocultas» iguais ás dos magos do Egipto? (Êxodo 7,8-12.22;8,1-3)

Acaso não estão os sacerdotes levitas de Deus instruídos para operar não apenas em bênçãos, mas também em maldições ? (Números 5,23;29-30)

Pois então:

A questão que colocais é complexa, e como todas as coisas em Deus não pode ser lida na simplicidade redutora de apenas uma palavra, mas sim na complexidade de TODA a Palavra de Deus.

E por isso assim cremos:

Cremos em Deus e apenas no bem de Deus e em Deus, e porem quando falando de «magia» professamos que aquilo que Deus fez foi advertir para que as pessoas não se perdessem na adoração a falsos deuses, pois que assim está escrito:

Não tenhas outros deuses diante de Mim (…) nem os sirvas

Êxodo 20,3-5

Pois então:

O que Deus não queria, é que sob o pretexto da «magia», o seu povo se fosse perder em falsas adorações.

E porem:

Coisa diferente é que se clamem as suas bênçãos ou maldições, pois que essas foram criadas por Deus, (Deuteronómio 11,26),  e dadas ao homem para serem clamadas em Deus.

E por isso mesmo, aquilo em que cremos é isto conforme assim, está escrito:

Tudo o que Deus criou é bom, e nada é desprezível se tomado com acção de graças, porque é santificado pela Palavra de Deus e pela oração

1 Timóteo 4,4

E por isso:

Tudo o que for operado fora de Deus será mau, e porem tudo o que for praticado em Deus, por Deus, através da Palavra de Deus, e para Deus…tudo isso é bom e é por Deus santificado.

E assim sendo, então dizemos:

Tudo o que é da «magia» é do «espírito», e por isso se procurais pelas coisas do «espírito», então devereis procurar a «Deus» pois que é Ele O «Senhor» de todas as coisas do «espírito», pois que assim está escrito:

Moisés disse a Deus: «(…) Senhor, o Deus dos espíritos(…)»

Números 27,15

Pois então:

Deus é «espírito», e Deus é por isso «Senhor» de «todos os espíritos», e eis que tudo o que é do «espírito» é de «Deus» e é do «reino» de «Deus», que é o «reino» dos «espíritos».

E então:

Se procurais o «mundo do espírito», procurai então «em Deus», procurai «com Deus», e procurai  «jamais fora de Deus», pois que professamos que assim fazendo com fé, então procurareis sempre á coisa certa pelo caminho certo.

Arvore de vida da Kabalah2

A «Arvore de vida» da Kabalah,  a magia negra e a magia branca.

De acordo com algumas teses ocultistas, a mais poderosa magia negra é realizada com recurso aos saberes de Deus,

pois como está claramente revelado nas sagradas escrituras sobre Balaão,

(Números 24,10-13)

um mago nada pode fazer sem a autorização de Deus, ou sem recorrer ao Seu Poder..

A mais poderosa magia negra, é na verdade o uso de certas forças e atributos do mundo espiritual de Deus.

As «Sephirot» da «arvore da vida» estudada pela ciência Cabalista, representam as varias forças e energias espirituais que existem,

e que actuam tanto sobre toda a existência, ( seja a nivel do mundo espiritual, como do universo fisico),

como tambem sobre as nossas vidas.

Na verdade, cada um dessas esferas corresponde a uma das faces de Deus, a um dos seus atributos e manifestações neste mundo.

São forças espirituais invisíveis, e são leis do mundo espiritual, leis intangíveis e no entanto,

a sua existência é atestável através dos processos matemático – numerológicos

das ciências místicas hebraicas.

Algumas das forças espirituais que emanam de Deus são geradoras de Luz,

ao passo que outras das forças espirituais que emanam de Deus são geradoras de Trevas.

São essas forças imanentes de Deus que são assim usadas para a pratica de Magia Branca, o Magia Negra.

No grande esquema da «Arvore da Vida», o pilar esquerdo da arvore, formado por Hod (Mercúrio), Gevurah (Marte), e Binah (Saturno), é gerador de trevas, ao passo que o pilar direito da arvore da vida constituído por Netzach (Vénus), Hesed ( Júpiter) e Chokmah (Urano), configura a fonte de luz.

Os processos mágicos de magia negra devem por isso ser canalizados á esfera espiritual de Yesod, com a finalidade de captar as influencias espirituais do pilar esquerdo da arvora da vida, ao passo que os processos mágicos demagia branca devem ser canalizados a Yesod, com o objectivo de captar as energias espirituais do pilar direitoda arvore da vida.

pilar central da arvora da vida, constituído por Malkut (Terra), Yesod (Lua), Tiphareth (Sol), Daath (Plutão) e Kether ( Neptuno),  tanto pode ser usado como meio de canalização de processos de  comunicação com as esferas celestiais, ( e logo com Deus), assim como veiculo de realização de tarefas magicas cuja a natureza seja complexa e importe por isso tanto influencias do pilar esquerdo como direito

Jesus, o profeta, e o mago de magias brancas e negras

Dois exemplos de magia branca e magia negra, estão claramente inscritos nos Evangelhos:

Jesus praticou magia branca, quando invocou e contactou com os espíritos de Elias e Moisés,

(Mc 9;2-4), espíritos que tinha sido elevados á condição celeste por Deus.

Jesus também praticou magia branca,  de cada vez que usou a palavra magica de Deus, ( Mc 5,41;  7, 31-37), para invocar a força do «Espírito Santo» e realizar milagres de cura nos sofredores.

Nestes casos, Jesus, entrou em contacto com forças espirituais de luz e de Deus, (ate mesmo com o «Espírito Santo» – Mt 3, 16-17 – ,  e o próprio Deus «HYHV»), para realizar actos de cura na vida daqueles que sofriam. Ora, ao contacto com entidades de luz para realizar obras neste mundo, chama-se:

«Magia Branca».

Porem, Jesus exerceu uma actividade não só de mestre espiritual, como de exorcista itinerante ( Mc 1,39).

Ora, quando entrou em contacto directo com demónios e dialogou com eles, (Mc 1, 24-27; 5, 8-13), sendo para lhes ordenar que abandonassem uma pessoa, sendo para lhes exigir silencio sobre a sua própria  identidade,(Mc 3,12: Lc 4, 41),sendo para lhes autorizar que incorporassem em animais ao invés de em humanos, (Mc 5, 12-13) etc, em todos estes casos, Jesus estava usando de dialogo e autoridade junto espíritos das trevas

para  realizar curas na vida das pessoas.

E a verdade é que, realizar curas e actos favoráveis ás pessoas com recurso a demónios,

é um acto de:  «magia negra», pois  á pratica espiritual que faz uso da autoridade de Deus sobre os demónios para realizar fins neste mundo, chama-se:

«Magia negra

Jesus Ele mesmo veio dar alguma substancia a esta noção de pratica de magia negra pelas quais foi profundamente censurado pela ortodoxia hebraica, pois que ele mesmo admitiu que o poder que estava exercendo e que deixaria aos seus discípulos como herança de sabedoria, era um poder típico de «magia negra», pois que era o poder comandar e operar prodígios através do mundo dos espíritos, pois que Ele mesmo assim disse aos seus apóstolos:

os espíritos maus vos obedecem

Lucas 10,20

Pois bem sabe quem com as coisas espirituais e ocultas lida, que o processo espiritual de comandar «espíritos maus», levando-os a «obedecer» com um certa finalidade, seja qual for essa finalidade, e ate mesmo para fazer o bem a alguém, ( esse poder que Jesus exerceu e concedeu aos seus discípulos), a esse tipo de processo espiritual chama-se; «magia negra», pois que magia negra é precisamente isso, ou seja: uma forma de comunicar e ordenar coisas a espíritos, fazendo-os obedecer em nome de Deus, e operando prodígios através desse meio.

E porque os hebreus sabiam disso, daí nasceu a celebre acusação que foi lançada a Jesus, e que foi conforme assim está escrito:

Ele expulsa demónios através de belzebu, o príncipe dos demónios

Mateus 12,24

Pois então:

Esta á uma típica acusação de pratica de «magia negra», e que consiste em acusar alguém de operar prodígios, (até mesmo os bons e justos prodígios), através do contacto e da comunicação com espíritos impuros.

E assim nasceu esta acusação, pois que os saberes místicos hebraicos bem professavam que entrar em contacto com espíritos impuros fosse para o que fosse, ate mesmo para os comandar a ajudar fosse quem fosse, isso constitui o exercício de : «magia negra».

E na verdade:

Precisamente porque os saberes e práticas espirituais de Jesus eram controversas e lidavam com a mais profunda essência da espiritualidade, por vezes mesmo através de meios que outros poderiam não entender e aceitar, então Jesus conservou muitos dos seus mais profundos ensinamentos em segredo, e por isso Ele assim disse:

Aos que estão de fora, tudo se lhes propõem em parábolas, para que os olhem mas não vejam, escutem mas não compreendam

Marcos 4, 11-12

Pois então:

Nem a todos pode ser dada a saber toda a profundidade dos mistérios do espírito, pois que por vezes muitos são os que não os entendendo os repudiarão e os caluniarão, ao passo que outros poderão fascinar-se erradamente e usar esses saberes da forma errada lesando-se a si mesmos; E por isso eis que certas coisas devem ser transmitidas apenas a quem com elas lide com equilíbrio e sabedoria.

E assim sendo:

Jesus não hesitou em lançar mão fosse a que pratica espiritual fosse para ajudar os sofredores de fé, e por isso de dia Ele anunciou as escrituras e realizou feitos de magia branca, ao passo que de noite realizou prodígios de magia negra, e assim sendo eis que Ele tudo fez e de todos os meios usou, desde que fosse para abrir caminhos ao que procurava salvação e alivio com fé no coração.

Da mesma forma actuou são Paulo, que assim disse:

Com os judeus, comportei-me como judeu, a fim de ganhar o maior número possível; com os que estão sujeitos á Lei, comportei-me como se estivesse sujeito á Lei (…) a fim de ganhar aqueles que estão sujeitos á Lei. Com aqueles que vivem sem Lei, comportei-me como se vivesse sem a Lei (…) para ganhar aqueles que vivem sem Lei. Com os fracos tornei-me fraco, a fim de ganhar os fracos. Tornei-me tudo para todos, a fim de salvar alguns a qualquer custo.

1 Coríntios 9,20-23

Pois então:

São Paulo como Jesus, usou de que meios fosse para ganhar almas para a cristandade, e os caminhos que se trilham todos são bons, desde que conduzam ao Senhor que é Deus.

E por isso:

As práticas espirituais de Jesus, fosse pela «magia branca» que é realizar maravilhas através dos espíritos de Luz, fosse pela «magia negra» que é operar prodígios através da autoridade sobre espíritos de trevas, todas as praticas de Jesus apenas atestam o pleno poder de Deus, pois que:

Deus é Senhor seja de anjos, seja de demónios, e por isso não há coisa do espírito onde o poder de Deus não possa operar, e onde o Senhor não possa ordenar, empreender e comandar.

E assim sendo:

Em Deus todas as coisas são possíveis, e por Deus tanto é possível operar nas magias brancas ou negras, pois que todas elas emanam de Deus, pois que Deus é o Senhor de todos os espíritos, e tudo o que é do «mundo do espírito» é do «reino de Deus».

E por isso mesmo aqueles que se julgando salvos , puros e donos da verdade, então vem condenar aqueles que operam no espírito para edificar as obras do espírito, então que se lembrem que assim está escrito:

Os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos

Mateus 20,16

E mais assim foi dito:

Quem se eleva será humilhado, e quem se humilha será elevado

Mateus 23,12

E por isso:

Aquele que se julga tão puro e dono da verdade que disto se lembre, assim como se lembre disto que também assim vos revelado:

Pois Eu garanto-vos: os cobradores de impostos e as prostitutas vão entrar antes de vós no reino do Céu. Porque João veio até vós (…) e (…) os cobradores de impostos e prostitutas acreditaram nele.

Mateus 21,31

E assim:

Não se encontre motivo de escândalo naqueles que operam seja em magias brancas ou negras com fé verdadeira nos santos e em Deus, e que fazendo-o usam seja que meios for para ajudar ao sofredor através dos santos e de Deus, pois que assim o fizeram Jesus e são Paulo, pois que todos os caminhos sejam eles quais forem são bons, desde que conduzam a Deus.

Assim cremos a afirmamos no caminho dos santos:

Cremos e veneramos a Moisés que professamos ser um mago que praticou feitos de ciências ocultas iguais e maiores que os magos do Egipto (Êxodo 7,8-11;17;21-22;  8,1-3; 12-18;  9,8-11);  a Balaão que foi um mago iluminado pela revelação profética de Jesus, (Números 21,6-7;18;  24,13); a Daniel (também chamado de Baltazar), que foi um mago da corte do rei da Babilónia e um profeta de Deus(Daniel 4,5;6; 16;  5,12-14); aos 3 magos que testemunharam a vinda de Jesus a este mundo, (Mateus 2,1-12); a Salomão que foi um dos maiores magos de sempre,(I Reis 3,3 ; 11,4-8), e um santo do Senhor; a  Jesus que foi maior que Salomão (Mateus 12, 42), assim como a são Cipriano e a santa Maria Madalena. (Consultai também sobre a nossa «mensagem espiritual», assim como sobre «santeria, o caminho dos santos») Professamos que «magia branca» é na verdade o apelo ás «bênçãos» de Deus, e que a «magia negra» é na verdade o apelo ás «maldições de Deus», e que porem a «magia», seja ela «branca» ou «negra», toda ela é coisa do «mundo do espírito» e do «espírito», e que por isso toda ela provem de Deus, pois que está provado e escrito: «Ponho diante de vós a bênção e a maldição» – Deuteronómio 11,26 , atestando-se assim que é Deus que é Dono e Senhor de toda a «bênção» e de toda a «maldição», e que todas elas d’Ele provem, e por Ele operam, e foram por Ele criadas. Mais se crê e professa que a tanto a bênção de Deus, ( a chamada «magia branca),como a maldição de Deus, ( a chamada «magia negra»), ambas podem ser operadas clamando a Deus, e isso assim se atesta neste mandamento que assim está revelado: «O sacerdote escreverá esta MALDIÇÃO num documento (…)e o sacerdote fará este ritual Números 5,23;29-30 – Pois assim se sabe: aos sacerdotes que veneram a Deus é instruído não apenas clamar ás bênçãos de Deus, como lhes é instruído clamar ás maldições de Deus, e isso assim se testemunha e confirma neste mandamento. E por isso assim se crê que com Deus todas as bênçãos e magias dão fruto, e sem Deus nenhuma delas dará fruto algum, e que assim todas elas devem ser exercidas dentro de Deus, em Deus, e jamais fora de Deus. Por isso: é professado que Deus não é Senhor de apenas «algumas coisas» mas sim de «todas as coisas», e que por isso tanto as bênçãos de Deus, (a chamada «magia branca»), como as suasmaldições, (a chamada «magia negra»), podem ser clamadas a Deus em favor do sofredor, e assim sendo podem essas bênçãos ou maldições manifestar-se neste mundo através de um santo de Deus, tal como se manifestaram através de Moisés, tal como se manifestaram em Abraão, tal como se manifestaram em Balaão, e tal como professamos que se manifestam em são Cipriano e em Santa Maria Madalena

MAGIA BRANCA E MAGIA NEGRA

A chamada «magia branca», é na verdade e apenas a conjuração das bênçãos de Deus, ao passo que a chamada «magia negra» é apenas e na verdade a conjuração das maldições de Deus.

Olhai então:

Pois se Deus tanto pode usar anjos ao seu serviço, (como aquele que auxiliou Tobias, ou aquele que se dirigiu a Balaão, ou aquele que falou com o profeta Daniel, ou aquele que anunciou a Maria o nascimento de Jesus), como igualmente pode usar demónios e espíritos maus ao seu serviço, (como Deus usou contra o Rei Saul para o desgraçar, ou como Deus usou contra Job para lhe testar a fé, ou como Deus usou para colocar discórdia entre Abimelec e os senhores de Siquem), então onde pode subsistir duvida que Deus é senhor de todas as coisas?, e que para o Senhor usar de anjos e bênçãos, ( aquilo a que comummente se chama «magia branca»), como usar de demónios e maldições, ( aquilo a que vulgarmente se chama «magia negra»), tudo é possível a Deus e tudo d’Ele provem?

Olhai:  Moisés foi um santo de Deus através do qual tanto asmaldições de Deus recaíram sobre o faraó do Egipto, como as bênçãos de Deus ajudaram o povo hebreu a sobreviver ao longo de 40 anos de travessia no deserto.

Pois por isso: onde pode subsistir duvida que através de um santo de Deus, em nós e nas nossas vidas podem operar tanto as bênçãos de Deus, como as suas maldições?

Pois assim está revelado:

Moisés e Aarão apresentaram-se diante do faraó e fizeram o que Deus lhes tinha mandando. Aarão lançou a vara diante do faraó e dos seus ministros e ela transformou-se numa serpente. O faraó porém mandou chamar os sábios (…) e também eles, os magos do Egipto, fizeram o mesmo com as suas ciências ocultas. Cada um lançou uma vara. E elas transformam-se me serpentes. Então a vara de Aarão devorou as varas deles.

Exodo7,10-13

Pois a serpente é a forma pela qual o demónio e a magia negra se insinuam no homem, (isso o sabemos em Génesis 2,4), sendo que «curiosamente» a primeira vez que o poder de Deus se manifesta abertamente diante dos olhos da nação do Egipto, é precisamente na forma de uma….serpente. E é também na forma de serpentes, recorrendo ás ciências ocultas, então os magos do Egipto respondem a Deus convocando outras serpentes ás quais a serpente de Deus devorou, e para nós isto não mais significa que sobre as ciências ocultas Deus tem o maior de todos os poderes, e que Deus querendo exerce o seu poder na forma das ciências ocultas através das suas bênçãos, ( magia branca), ou maldições, ( magia negra), e sobre todas essas coisas e ciências…. Deus tem poder, pois que todas elas são mistérios que advêm d’Ele.

E disso sabemos, pois que assim está revelado:

Quando operou os seus sinais no Egipto (…) lançou contra eles o fogo da sua ira: (…) anjos portadores de desgraças

Salmo 78,43;49

Pois sobre o Egipto Deus mandou anjos maus, anjos portadores das maiores desgraças, anjos de maldição e morte que ali caíram com todo o furor, e por isso assim sabemos que tanto sobre anjos bons, como sobre anjos maus, tanto sobre espíritos bons como sobre espíritos maus…. sobre todos eles Deus tem poder e comanda todas essas coisas com autoridade, e por isso se sabe que por Deus toda a magia branca, como toda a magia negra, pode ser operada pelos santos de Deus, pois que sobre tais coisas apenas Deus tem pleno poder.

As escrituras revelam:

Certo dia, os anjos apresentaram-se a Deus, e entre eles foi também Satã

Job 1,6

Desta forma se sabe que Deus é Senhor de todas as coisas, e que sob a sua autoridade estão não apenas anjos, mas também demónios, e que essas forças podem por isso ser comandadas em nome do Senhor, pois que sob todaselas Deus tem poder.

Assim sendo:

Na doutrina dos santos, a «magia branca» é na verdade a invocação das «bênçãos» de Deus, ao passo que a «magia negra» é a invocação das «maldições» de Deus.

E tais práticas espirituais são justificadas nesta Palavra conforme assim está revelado:

O sacerdote escreverá esta MALDIÇÃO num documento e lavá-lo-á na água amarga (…) este é o ritual para (…) quando uma mulher se desvia e se torna impura (…)o marido levará a mulher diante de Deus e o sacerdote fará este ritual

Números 5,23;29-30

Pois assim se sabe:

Deus é Senhor tanto de bênçãos como de maldições, e o sacerdote devoto a Deus pode exercer a Deus tanto o clamor para bênçãos, ( a chamada «magia branca»), como para maldições,( a chamada «magia negra»),  conforme este mandamento sagrado assim o instrui.

Mais assim está escrito:

Eliseu (…) amaldiçoou-os em nome do Senhor. Então saíram duas ursas do mato e despedaçaram quarenta e dois desses meninos

2 Reis 2,24

Assim se sabe:

É possível por mandamento de Deus – conforme o confirme esta Palavra de Deus – tanto abençoar como amaldiçoar, desde que em nome de Deus assim seja feito, pois que Deus é Senhor tanto de bênçãos como de maldiçoes, e por isso a um homem de Deus – como era Eliseu – Deus lhe concede a prerrogativa de tanto abençoar como de amaldiçoar, pois acaso não está escrito: «e Eliseu amaldiçoou-os em nome do Senhor»?

Assim sendo: Tanto as bênçãos – comummente chamadas de magia branca –  como maldiçoes – usualmente chamadas de magia negra –  são caminhos de Deus que em Deus são fruto, se por Deus e em Deus assim forem clamados.

Por assim ser: Se magia branca ou negra seja praticada, que ela o seja não em nome da «magia», mas sim em nome de «Deus», e apelando á sua «bênção» ou «maldição», e porém sempre assim se fazendo em nome de Deus.

quer um poderoso trabalho de magia negra?

quer um poderoso trabalho de magia branca?

quer um poderoso trabalho de magia?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia negra e Balaão

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia negra e Balaão

magia negra e Balaão

 

A magia negra e o exemplo de Balaão, um santo de Deus que a praticou

 

Um dos exemplos bíblicos de um santo de Deus, que havendo sido abençoado por Deus praticou tanto a magia branca,( as bênçãos de Deus), como a magia negra, ( as maldições de Deus), foi Balaão.

Balaão celebrava magia branca, ( as bênçãos de Deus), e as magia negra, ( as maldições de deus), e contudo jamais as usou senão com autorização de Deus, pois que reconheceu que toda a magia branca ou negra apenas poderia operar os seus fins através de Deus, pois que assim está escrito:

Balaão respondeu aos enviados de balac:« Ainda que o rei Balac me desse o seu palácio cheio de mouro ou prata, eu não poderia desobedecer á ordem de Deus , em coisa nenhuma , grande de ou pequena»

Números 22, 18

Assim se sabe que apesar de praticar ma magia negra e branca, Balaão apenas o fazia sob obediência de Deus, pelo que foi tido com um santo de Deus, pois que assim foi revelado:

Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem de olhos penetrantes, oráculo de quem ouve as palavras de Deus e conhece a ciência do altíssimo. Ele vê aquilo que o Todo Poderoso mostra

Números 24, 3-4

Mais se sabe que Balaão foi um santo de Deus, pois que sobre ele desceu o espírito santo, e pois que assim está escrito:

Então o espírito de Deus desceu sobre ele [ Balaão]

Números 24, 2

Pois que mesmo praticando magia negra e magia branca, Balaão como são Cipriano foi tido como um santo de Deus por aceitar Deus no seu coração com fé e temor, e por jamais praticar a sua magia sem que o fizesse com autorização de Deus, pois que assim está escrito:

Eu não poderei ir contra a ordem de Deus, fazendo o mal ou o bem por contra própria

Números 24, 13

Contudo, também se sabe que Balaão ao assim agir, assegurou que todas as magias negras ou brancas por si praticadas, firmavam-se estabeleciam-se, pois que assim está escrito:

Fica abençoado quem abençoas, e fica amaldiçoado quem amaldiçoas

Números 22, 6

Também se sabe que Balaão praticou a magia negra e a magia branca com fé e conforme os saberes mais ancestrais das escrituras, e por isso as bênçãos ou maldições por si intercedidas edificavam-se, e isso sabemos pois que assim esta escrito:

Então Balaão disse a Balac: «Edifica-me aqui sete altares, e prepara-me sete bezerros e sete carneiros novilhos e sete carneiros.» Balac fez cconfome balaao tinha pedido, e os dois oferecram em holocautos um bezerro e um carneiro sobre cada altar

Numeros 23, 1-2

Por ultimo, e apesar de balaao exercer a magia negra e a magia branca, eis que se atesta que ela era verdadeiramente um santo do Senhor, popis que ele profetizou a vinda de Jesus a este mundo:

Eu vejo-O mas não é agora; eu comtemplo-o, mas não de perto: uma estrela avança de jacob, um ceptro levanta-se em isarael

Numeros 24,17

Pois por tudo isto de sabe que a magia negra e a magia branca podem ser celebradas com a anuência de Deus e sob a autoridade de Deus, e que assim fazendo-se, podereis ver maravilhas produzidas em todos os aspectos das vossas vidas.

 

quer um poderoso trabalho de magia negra?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia de sangue

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia de sangue

magia de sangue – a mais poderosa magia

magia-de-sangue-2

aviso sobre a magia de sangue

Olhai que assim se pode ler na obra de são Cipriano:

no livro, surpreendentemente viu Siderol que se podia por em relações  estreitas e amigas com o Espírito (…)

depois de estudar bem o livro, (…)e marchou sem demora ao lugar em que se cruzam os caminhos (…) porque o diabo infesta singularmente as cruzes formadas pelos quatro caminhos

Obra de são Cipriano, capitulo «Erguimanços de São Cipriano ou prodígios do diabo», secção 8º, pag 260

BRUXOS - O QUE SÃO BRUXOS2

Citamos esta passagem como inicio deste texto, para que se recolha o seguinte ensinamento:

conforme o livro de são Cipriano ensina ao relatar esta historia de Vitor Siderol, ninguém deve meter as suas mãos em comércios ocultos nem em magias, sem antes ter estudado profundamente o assunto através de verdadeiros ocultos livros!, pois acaso não está escrito: «depois de estudar bem o livro»?

Pois então:

apenas depois de muito estudar aprofundadamente o livro oculto, é que Vitor Siderol – assim o narrou são Cipriano – partiu para praticar as artes magicas!

Assim sendo:

apenas apos longos e aprofundados estudos de grimorio e livros ocultos – lendo-vos com a chave de sabedoria que permite desencriptar os códigos secretos neles contidos – é que estará alguém preparado para ir lidar com feitiçarias, sem que dai resultem calamidades e fatalidades!

Por isso:

jamais tenteis poderosos tipos de magia pelas vossas próprias mãos, mas sim entregai o assunto nas mãos de profissionais!, pois caso contrario podereis ver-vos a sofrer – ou pessoas á vossa volta – dos mais padecidos sofrimentos e mórbidas infestações!, pois saberes deste poder não podem ser lidados por leigos!, nem por curiosos inexperientes e ignorantes dos segredos que estão a ser manuseados!

Olhai:

a magia negra executada através da técnica de magia de sangue, é como um veneno dos mais poderosos!, ou seja:

há venenos poderosos que se forrem usados na quantidade certa – administrados á miligrama, com o maior cuidado, e com o maior rigor – então podem ser um poderoso remedio que cura de uma grande moléstia!

Já porem:

esse mesmo veneno usado erradamente, ele pode matar com a maior das agonias!

Pois então:

o mesmo sucede com a magia negra praticada através do isso uso de magia de sangue!, ou seja:

sendo a magia de sangue usada correctamente por um feiticeiro conhecedor, então a magia de sangue faz prodígios!

E porem:

sendo a magia de sangue usada por amadores ou curiosos, então a magia de sangue pode acabar por causar fatalidades!, seja no próprio!, ou noutrem á sua volta!

Por isso:

Jamais tente praticar a magia de sangue por si mesmo!, mas sim entregue essa missão – de oficiar magia de sangue – a um feiticeiro conhecedor e profissional!

Qual a relação entre o sangue os fenómenos do espirito?

Isto dito, voce pergunta:

«porque estamos a falar de sangue? O que é que sangue tem que ver com magia?, ou com espíritos?»

Respondemos:

se não sabeis a resposta, então olhai 4 factos:

1

são conhecidos os milagrosos casos – reconhecidos pela igreja católica apostólica romana – em que pessoas tocadas pela santidade exibem as chagas de Cristo, sangrando abundantemente através de feridas inexplicavelmente ocorridas!

Nesses casos, o sangue derramado por esses pessoas de santidade, é prova do seu elo com Cristo!, e é fonte dos seus milagres!

2

Mais:

Assim está escrito na Bíblia:

Jesus disse-lhes(…)  “Eu digo a verdade: (…)

Todo aquele que (…) bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele

Joao 6,53-56

Pois assim sendo:

O próprio Cristo falou do sangue o do seu poder!, pedindo que em todas as eucaristias fosse bebido o vinho que depois de abençoado se converte no seu próprio sangue divino!, pois que é através do sangue divino que se estabelece uma aliança entre Cristo e o homem!, e é através do sangue que Cristo entra e permanece no homem!

3

Mais:

Assim está escrito:

Moisés tomou o sangue e aspergiu com ele o povo, dizendo: «Este é o sangue da aliança que Deus faz convosco (…)»

Êxodo 24,8-11

Pois assim sendo:

Assim se revela na Palavra de Deus que o sangue é o elemento que estabelece a aliança entre Deus e o Povo de Deus!, ou seja: entre o Espirito de Deus e os humanos.

magia branca3

4

Mais:

também assim está escrito:

O sangue é a vida da carne.

Eu [ Deus] vo-lo dou para fazerdes o rito

Levítico 17,11

Pois assim se sabe:

O próprio Deus revelou ter concedido ao homem o sangue, para com ele se realizarem poderosos ritos.

Em resumo:

está mais que evidente nos ensinamentos bíblicos – por mais que uma vez!! –  que o sangue é fonte de poder oculto e magico!, pois é um elo de comunicação entre este mundo físico e o mundo dos espíritos.

magia de sangue

Que diz a obra de são Cipriano sobre a magia de sangue?

são Cipriano mencionou a magia de sangue na sua obra oculta, pois ali podemos ler:

O grande Lúcifer apareceu-lhe (…) e disse-lhe:(…)

– Vai lá (…) amanha, por esta hora sobre ao monte do morro, e acende a tua lanterna. A essa hora,( há meia-noite), picarás o dedo mindinho com estes esporão córneo que aqui te entrego.  (..) depois assinarás o papel com o teu próprio sangue (…)

– E depois? – [Perguntou  Victor Siderol] (…)

– á meia noite, como te disse (…) [terás] o teu  primeiro tesouro

Obra de são Cipriano, capitulo «Erguimanços de São Cipriano ou prodígios do diabo», secção 8º, pag 261

Pois assim se fica a saber:

são Cipriano ensinou na sua obra que a mais poderosa magia – capaz de abrir caminhos aos mais impossíveis desejos – é uma magia de sangue!, ( a mesma usada em pactos com espíritos!), pois que é sempre uma magia que é confirmada, é validada, é activada pelo próprio sangue do feiticeiro que a está praticando!

Pois por isso:

são Cipriano diz e descreve na sua obra – de forma encriptada e que apenas alguns conseguem decifrar! – os mais ocultos segredos da magia de sangue!, para dos feitiços obter os mais poderosos resultados!

Assim sendo:

o feiticeiro extraindo de si mesmo o seu próprio sangue – conforme ensinado pelos ocultos saberes mágicos de são Cipriano – e vertendo-o nos rituais de uma amarração de sangue, ( que deve ser oficiada de acordo o ensinamento magico de são Cipriano), esse feiticeiro consegue da mais poderosa forma! – pois que é com o seu sangue de feiticeiro que assim é oficiado! – conjurar irresistivelmente as mais poderosas forças, energias e entidades espirituais!

Em resumo:

São Cipriano ensina na sua obra, que as mais poderosas magias – capazes de satisfazer os desejos nas mais impossíveis demandas – requerem o uso do sangue de quem está a praticar essa magia!, e a uma magia que envolve o sangue do próprio feiticeiro, isso chama-se de magia de sangue!

magia de sangue2

o que é um bruxo de sangue?

um bruxo de sangue é aquele bruxo que conhecendo todos os ocultos segredos da magia de sangue, então exerce e pratica a magia de sangue – ou bruxaria de sangue –  usando o seu próprio sangue!, e aplicando-o aos rituais de feiticeira!, sendo que esses rituais devem obedecer a saberes e ensinamentos rigorosos para darem no resultado desejado!

Cuidado porem:

a magia de sangue é de tal forma poderosa, que sendo usada erradamente – ou descuradamente – ao invés de dar naquilo que se deseja, antes fará ricochete e causará resultados inversos aos desejados!, pois quando se fala de magia de sangue está-se a lidar com o mais poderoso recurso oculto de magia negra que existe!

Na magia de sangue o bruxo aplica – através de cortes ou punções – o seu próprio sangue a ritos mágicos onde são usados símbolos ocultos –  sejam símbolos salomónicos, ou símbolos rúnicos secretos, ou símbolos infernais – para conjurar de forma irresistível as mais poderosas entidades espirituais!

Conjutamente, são oficiados holocaustos místicos, são entoados encantamentos em Latim, são realizados rituais Vodu.

Em resumo:

a combinação de todas estas poderosas técnicas espirituais, faz da magia de sangue o mais poderoso recurso oculto para a celebração de trabalhos de magia!

A magia de sangue é imensamente perigosa, pois pode levar o bruxo de sangue a entrar num estado de debilidade física tão fragilizado, que pode colocar a sua vida em risco!, ao fim de uma sucessão exaustiva de consecutivos rituais!

Assim sendo:

ninguem vai colocar a sua vida em risco a troco de nada!, e por isso a magia de sangue custa o seu bom custo para ser realizada!, e porem os seus efeitos são os mais poderosos!, e bem compensam o seu custo!

qualquer pessoa pode ser bruxo de sangue?

Não!

é bem verdade que o sangue é um elo através do qual é possível estabelecer uma ponte – ou abrir uma porta de comunicação – entre este mundo e o mundo dos espíritos!

Mas, porem:

olhai que assim está escrito:

«Este é o sangue da aliança que Deus faz convosco (…)»

Êxodo 24,8-11

Pois assim sendo, eis que assim se fica a saber:

Deus é espirito, e Deus escolheu fazer a sua aliança como seu Povo através do sangue!

Pois por isso, assim se sabe:

um espirito pode escolher fazer aliança com uma pessoa – ou com um conjunto de pessoas – através do sangue!, sendo que a partir desse dia o sangue desses escolhidos estará marcado pelo selo místico dessa aliança decretada pelo espirito!, e por isso dai em diante – de geração em geração – todos os descendentes desses escolhidos terão no seu sangue a marca da aliança estabelecida com o espirito!, e o seu sangue será dotado de particulares dotes místicos.

Logo:

dai em diante essa aliança de sangue é valida apenas para essas pessoas escolhidas por esse espirito, e não por outras!, sendo que essa aliança vai ter efeitos hereditários, ou seja: certas pessoas na linhagem genética dos descendentes dessa pessoa escolhida pelo espirito – através dessa aliança de sangue – vão nascer com o seu sangue marcado por essa aliança!, e esse sangue será sempre um sangue altamente invocatório do espirito!
Por isso:

primeiro:

nem todos os bruxos de sangue aceitam fazer magia de sangue, porque é extremamente perigosa!, e poem a vida em risco!

Segundo:

nem todo o sangue serve para realizar uma poderosa magia de sangue, pois apenas o sangue daqueles que foram escolhidos para – através do sangue – terem uma aliança com uma certa divindade ou espirito, ( os hereditários bruxos de sangue), é que serão prontamente, ( e poderosamente), escutados por essa divindade ou espirito.

Assim sendo:

não desate por aí sangrando, a pensar que vai conseguir grandes efeitos mágicos!, pois você vai apenas conseguir ferir-se e acabar no hospital!

magia de sangue3

Por isso:

entregue o assunto a profissionais que podem executar esse tipo de magia!, e depois usufrua dos seus resultados!

A que finalidades pode-se aplicar a magia de sangue, conforme são Cipriano a ensinou?

a magia de sangue – conforme são Cipriano ensinou – pode aplicar-se aos mais poderosos trabalhos de magia, tais como:

as mais poderosas amarrações amorosas!

os pactos para riqueza!

os trabalhos contra inimigos!

Porem, avisa-se novamente:

sendo a magia de sangue usada correctamente por um feiticeiro conhecedor dos segredos ocultos, então a magia de sangue faz prodígios!

E porem:

sendo a magia de sangue usada por amadores ou curiosos, então a magia de sangue pode acabar por causar fatalidades!, seja no próprio!, ou noutrem á sua volta!

magia de sangue4

Olhai que já explicamos:

a magia negra executada através da técnica de magia de sangue, é

como um veneno dos mais poderosos!, ou seja:

há venenos poderosos que se forrem usados na quantidade certa – administrados á miligrama, com o maior cuidado, e com o maior rigor – então podem ser um poderoso remedio que cura de uma grande moléstia!

Já porem:

esse mesmo veneno usado erradamente, ele pode matar com a maior das agonias!

Pois então:

o mesmo sucede com a magia negra praticada através do isso uso de magia de sangue!, ou seja:

Por isso:

Jamais tente praticar a magia de sangue por si mesmo!, mas sim entregue essa missão – de oficiar magia de sangue – a um feiticeiro conhecedor e profissional!

Não perca, e saiba tudo! Veja também:

missas negras e magia negra

bruxarias com missas negras

amarrações com missas negras

bruxaria Luciferiana

bruxarias de amarração de magia negra

amarrações de magia negra

amarrações seladas por bruxo

magia negra ao longo dos seculos

magia negra na historia

bruxas e malleus maleficarum

bruxas e sabbat

casamento das bruxas

bruxaria, feitiçaria, magia

com funciona a bruxaria

sintomas da bruxaria

feitiçaria

encantamentos e feitiços

magia e instrumentos mágicos

magia e os elementos da natureza

filtros e poções de bruxaria

oculto e ocultismo –  breve glossário básico

dicionário de demónios

demonologia – estudos demonológicos

magia negra – pequeno dicionário de magia

trabalhos de magia – o que é ?

magia segundo são Cipriano

trabalhos de magia feitos em cemitério

trabalhos de magia feitos em encruzilhadas

trabalhos de magia feitos com sigilos

magia negra

trabalhos de magia

quer poderosa amarração de amor?

quer rápida amarração amorosa?

quer amarrações amorosas poderosas?

então use de magia de sangue feita por verdadeiros bruxos de sangue, e escreva para:

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia branca

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia branca

o que é a magia branca?

magia branca

O que é a magia branca?

Segundo o doutrina espiritual e religiosa do caminho dos santos, eis que aquilo que vulgarmente se chama de «magia branca», é na verdade um apelo ás bênçãos de Deus exortado e clamado através de um santo de Deus, como o é são Cipriano ou santa Maria Madalena.

E como ocorre a magia branca?

Basicamente, a magia branca ocorre conforme aquilo que assim está revelado:

Abraão intercedeu junto de Deus, e Deus curou Abimelec, sua mulher e seus servos

Génesis 20,17

Assim se sabe que é possível obter intercedência para o sofredor através de um santo de Deus como foi Abraão, e como é são Cipriano e santa Maria Madalena.

E assim sabendo, eis que na doutrina do caminho dos santos a esse mesmo acto de através de rituais e orações clamar pela intercedência de um santo de Deus….chama-se: Magia Branca.

E tal conforme aquilo que vos foi revelado na escritura acima descrita, eis que assim se sabe que as bênçãos pedidas através de um santo de Deus, elas estabelecem-se na alma daquele por quem o santo intercede, e as bênçãos por ele pedidas são estabelecidas pelo poder de Deus.

E assim se pergunta:

E o que pode ser alcançado quando através de um santo de Deus, ( como são Cipriano, ou santa Maria Madalena), procurais um altar ou santuário e ali depositais o vosso tormento?

Assim está revelado que pela magia branca, se no vosso coração houver fé, então estas coisas podem ser-vos concedidas conforme assim dizem as escrituras:

Ele protege a vida dos fiéis, e liberta-os da mão dos injustos

Salmo 97,10

Pois assim se sabe que onde a bênção de Deus entrar e pousar, eis que o mal e os injustos que geram o mal serão expulsos e afastados, pois que onde a bênção de Deus repousar eis que o justo será libertado do injusto e de todo o mal pelo injusto maldosamente destilado…. e que corrói a vida do inocente. Sobre tais coisas pode a bênção de Deus actuar, e de tais coisas pode a bênção de Deus libertar aquele de fé no seu coração

E assim sendo, eis que também assim está escrito:

Que Deus vos multiplique, a vós e aos vosso filhos! Sede abençoados por Deus, que fez o céu e a terra

Salmo 115,14-15

Pois assim se sabe como operam as bênçãos de Deus, e eis que as bênçãos de Deus onde entram e onde alcançam….elas geram fertilidades, favorecimentos e multiplicações em todas as coisas.

E em que assuntos pode a magia branca e as bênçãos de um santo de Deus como são Cipriano e santa Maria madalena ser-vos útil?

Pois assim está revelado:

Comerás do trabalho das tuas próprias mãos, tranquilo e feliz. A tua esposa será como vinha fecunda, na intimidade do teu lar. Os teus filhos serão como rebentos de oliveiras, ao redor da tua mesa. Esta é a bênção para o homem que teme a Deus

Salmo 128,2-4

Pois assim se fica sabendo que estas são as três coisas em que o Senhor abençoa todo aquele que tem fé em Deus e que procura pelas suas bençaos, e essas 3 coisas são:

1- Prosperidade em todos os empreendimentos, em todos os trabalhos e todo o labor;

2- Amor, prazer e fecundidade na intimidade com quem amais;

3- Descendências, lar e família firmada na paz e harmonia;

Por estas 3 coisas: trabalho e prosperidade; amor, fertilidade e prazer; família em paz; ….em cada uma destas coisas é possível a um santo de Deus e a Deus, num dos seus altares pedir as suas Bênçãos.

E como se edificarão as bênçãos de Deus na vida de um abençoado através de um processo de magia branca, ou seja, um processo espiritual clamando a um santo de Deus?

magia branca3

Pois essas bênçãos edificar-se-ão numa obra de esperança e através da fé, pois que assim foi revelado:

Feliz quem se apoia no Deus de Jacob, quem coloca a sua esperança em Deus

Salmo 146,5

Assim se sabe:

Feliz é aquele que se apoia em Deus, e que feliz é aquele que em Deus deposita toda a sua esperança, pois que assim asseguram as escrituras que a esperança na recompensa de Deus jamais é vã, nem jamais é falsa, nem jamais engana….pois que a esperança na recompensa de Deus jamais falhará e trará consigo os frutos da felicidade.

E porque assim garantem as escrituras, eis que aqueles que por este caminho decidirem entrar, e eis que aqueles que num altar dos santos de Deus depositarem a sua fé e semearem a esperança em Deus…. a esses a «magia branca» dos santos de Deus trará o bom fruto.

Vinde assim depositar num santo de Deus em Deus o vosso tormento, pois que observando este mandamento encontrareis alivio.

Magia e Cabalah

De acordo com o misticismo hebraico, as «Sephirot» da «arvore da vida» estudada pela ciência Cabalista,

representam as varias forças e energias espirituais que existem,

e que actuam tanto sobre toda a existência, ( seja a nivel do mundo espiritual, como do universo fisico), como também sobre as nossas vidas.

Na verdade, todas as esferas da arvore da vida são «faces de Deus», ou manifestações de Deus no nosso mundo.

São assim forças espirituais invisíveis, e são leis do mundo espiritual, leis intangíveis e no entanto, a sua existência é atestável através dos processos matemático – numerológicos

das ciências místicas hebraicas.

No grande esquema da «Arvore da Vida», o pilar esquerdoda arvore, formado por Hod (Mercúrio), Gevurah (Marte), eBinah (Saturno), é gerador de trevas, ao passo que o pilar direito da arvore da vida constituído por Netzach (Vénus),Hesed ( Júpiter) e Chokmah (Urano), configura a fonte deluz.

Os processos mágicos de magia negra devem por isso ser canalizados á esfera espiritual de Yesod, com a finalidade de captar as influencias espirituais do pilar esquerdo da arvora da vida, ao passo que os processos mágicos de magia branca devem ser canalizados a Yesod, com o objectivo de captar as energias espirituais do pilar direito da arvore da vida.

pilar central da arvore da vida, constituído por Malkut (Terra), Yesod (Lua), Tiphareth (Sol), Daath (Plutão) eKether ( Neptuno),  tanto pode ser usado como meio de canalização de processos de  comunicação com as esferas celestiais, ( e logo com Deus), assim como veiculo de realização de tarefas magicas cuja a natureza seja complexa e importe por isso tanto influencias do pilar esquerdo como direito.

São estas as forças espirituais que são usadas para a realização de magia negra, ou branca,

sendo que curiosamente todas elas emanam de Deus.

quer um poderoso trabalho de magia branca?

quer um poderoso trabalho de Alta Magia Branca?

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia – segredos da magia

Recomende, partilhe e vote nesta matéria

Magia – segredos da magia

pentagrama

PEQUENO DICIONÁRIO DE ALGUNS SEGREDOS e ENSINAMENTOS de MAGIA

SEGREDOS DO OCULTO E DA MAGIA

Amarrações:

São processo espirituais com a finalidade de forçar a união de suas pessoas desavindas, ou levar forçadamente a que uma pessoa se submeta e se entregue a outrem, por força dos efeitos espiritualmente punitivos de um malefício de amarração, ou de uma maldição de amarração. As amarrações amorosas operam através da invocação de forças espirituais que visam basicamente infestar uma alma, e assim cercar e perseguir espiritualmente a pessoa amarrada, jamais cessando a sua acção e nela persistindo ate que a criatura amarrada cansando-se das tribulações e desolação em que a sua alma foi encarcerada, enfim acabe cedendo aos fins que a infestação a forçam a submeter. A amarração amorosa é um processo de natureza espiritual, pelo que obviamente não ocorre no corpo mas sim na alma de uma pessoa. O mandante da amarração obviamente não vai ver o corpo da pessoa amarrado com «cordas» deste mundo, pois que a amarraçao não actuará no corpo da sua vitima, mas sim na sua alma e em espírito. Assim, será a alma da pessoa que será em espírito ligada, atada e amarrada, ficando encarcerada num estado de sofrimento e perdição pelo tempo que for necessário ate que ela no corpo ceda aos fins eróticos ou amorosos de uma amarração. O encarceramento da alma ocorre em espírito, para que quando em espírito a alma se fartar do aprisionamento a que foi sujeita, então depois no corpo ela se venha a submeter ao mandante da amarração, ou então aprisionada fique á maldição de amarração enquanto assim não suceder, e assim sucederá sucessiva e ininterruptamente ate que a criatura amarrada se submeta. As amarrações amorosas são por isso malefícios, ou seja, são processos de maldição espiritual nos quais se clama: «Que de tormentos espirituais não saias ate que te entregues a mim, e em tormentos fique a tua alma e o teu espírito ate que te submetas a mim, e que apenas se acabem os teus tormentos quando a mim te entregares». Já um processo espiritual diverso da «amarração» é a «união de caminhos», sendo que esse outro tipo de processo espiritual com fins amorosos já não se opera através de maldições mas sim de bênçãos, através das quais se procura não atormentar a alma de uma criatura para a forçar a algo, mas sim se opera de forma a que no coração dessa pessoa ocorra o milagre do amor, e que ela se entregue livremente e por amor.

.

Astrologia:

Oráculo é uma resposta dada por um deus ou espírito a uma questão que lhe é colocada. A resposta de um oráculo traduz-se em revelações sobre o que vai suceder de forma a que um fim seja atingido, e a essas dá-se o nome de profecia. Uma religião é um conjunto de preceitos ou práticas por via das quais se comunica com um deus, seres celestes ou divindades. A astrologia, é um meio de produzir oráculos. Segundo a religião sibilina e de acordo com as tradições babilónicas e hebraicas, a astrologia é um processo de astromancia, ou seja: uma forma de ler nos corpos celestes a manifestação de entidades espirituais ou forças celestes.

Agouros:

No fundo são sinais e presságios, ou seja, por certos sinais que se cumprem na vida de uma pessoa, é possível ficar sabendo o que de bom ou de mal lhe vai suceder. Esses sinais podem suceder naturalmente na vida de uma pessoa, ou podem ser fruto de uma bruxaria ou maldição. Por exemplo: nunca lhe sucedeu um certo dia em que tudo teima em lhe correr mal?, ou começar a ver gatos pretos por todo o lado por onde passa?, ou começar a ver insistentemente carros funerários, como se eles teimassem em se cruzar consigo?, ou ter sonhos maus que logo se concretizam?, ou sentir que algo esta errado e logo depois uma coisa ma acontece? Acontecimentos desse género são prenúncios no que está para vir, e muitas das vezes são resultado de um mal espiritual que está na sua vida.

Demonomancia:
termo etimologicamente advindo do grego daimon + manteia – Trata-se do conhecimento do futuro pela inspiração dos demônios. Oposto ao dom profético descrito nas Sagradas Escrituras,( inspiradas que são em Deus e nos seus espíritos, a visoes do futuro obtidas pelos profetas de Deus), foi no entanto em certos períodos históricos e por certos teólogos, considerada a verdadeira fonte de toda as artes divinatórias que não se enquadrassem nas formas de consulta a Deus e os Seus Oráculos. Tratam-se por isso de Oráculos igualmente poderosos, contudo cuja a fonte reside nos espíritos dos mortos, ou nos espiritos das trevas. O grau de fiabilidade e de verdade é por isso igualmente infalível, contudo a diferença reside na fonte da inspiração profética.

Enguiços: 

São empecilhos que constantemente e vez após vez, bloqueiam a vida de uma pessoa seja a que nível for: sentimental, familiar, profissional, financeiro, etc…. Os empecilhos constituem um permanente bloqueio na vida de uma pessoa, que fecha todas as portas e cria uma obstrução a todos os caminhos. Nada evolui, nada progride, tudo estagna por muito esforço e empenho que se use. Os enguiços, podem ser resultado de um problema espiritual, mas geralmente são fruto de feitiçarias.

Quebrantos: 

Trata-se de uma forma de quebrar a força espiritual de uma pessoa, de uma família, etc. È um processo espiritual por via do qual se faz com uma pessoa se sinta enfraquecida, com grande desanimo, sem forças, frouxa, sem coragem para nada. A pessoa vitima de  quebranto fica indecisa, sem rumo, espiritualmente quebrada, sem forças anímicas, totalmente derrotada. O quebranto pode resultar de coisas tão simples como mau olhado e invejas, mas normalmente nos casos mais graves, advêm  de poderosos bruxedos.

Infestação:

Infestação sucede quando forças espirituais muito negativas foram lançadas,  através de uma maldição, contra uma pessoa ou algum local, como uma casa, um lar, etc. A infestação toma conta de uma pessoa ou de um local. Quando infestada por espíritos negativos, a própria pessoa infestada, ( ou que esta em contacto com um local que foi infestado), começa a actuar de forma contrária aos seus interesses, gerando-se assim  caos e ruina a todos os níveis da sua própria vida. Conjuntamente, tudo o que é mau tende a aproximar-se da pessoa, como a própria pessoa atraísse irresistivelmente tudo o que é negativo para junto de si. Quando uma infestação se entranha fortemente numa pessoa,  eventos negativos começam inesperadamente a ocorrer e sucedem-se vez apos vez, sem parar. Passado um certo tempo, a pessoa nem se apercebe de como caiu num rumo de tamanha desgraça.

Maldições: 
Sabe-se na Bíblia que foram entregues ao homem pela própria mão de Deus. Lê-se também que Deus facultou a muitos dos seus profetas e videntes a força espiritual para, invocando os espíritos de Dele, conseguirem causar grandes danos na vida de uma pessoa, de uma família ou de um povo. As maldições podem atingir alguém nesta vida, ou durar gerações e tocar aos descendentes de alguém. A maldição é uma praga rogada com grande força por meios magico-espirituais, é uma imprecação, ou seja, um pedido ou uma suplica feita por alguém para prejudicar alguém, mas com grande violência. A praga, ou a maldição, causam grande flagelo a quem é atingido, especialmente se encomendada a um feiticeiro.

Malefícios: 

O malefício é o produto do acto de maleficiar, ou seja, de fazer mal a alguém com recurso a bruxarias ou feitiçarias. Por isso muita gente sente malefícios nas suas vidas e nem sequer sabe do que se trata. Um malefício pode-se traduzir num enguiço, num quebranto, numa maldição, etc….

Mau Olhado: 

Trata-se de um olhar profundo, por detrás do qual se escondem malefícios ou a rogação de pragas. Este acto pode ser inconsciente, mas o mau olhado é, na maioria das vezes, dirigido a alguém por pura inveja e maldade.

Magia - segredos da magia

Missas Negras: 

Os Cristãos e Judeus praticantes acreditam que pelas suas missas podem invocar o espírito de Deus o o espírito de anjos, ( etc), e que ao assim faze-lo estão invocando graças e protecções para si mesmos. Ora, ao assim faze-lo os crentes estão orando, queimando incensos, fazendo oferendas de comida ou vinho, (etc), praticando dessa forma aquilo que é tido como Magia Branca, ou seja, estão conjurando as bênçãos de Deus. Pois da mesma forma, na idade média havia a crença que os mesmos padres que celebram a missa branca ao meio-dia, podem igualmente celebrar a missa negra á meia-noite, ou seja, uma missa que serve não para conjurar as bênçãos de Deus, ( como a missa branca), mas sim serve para conjurar as maldições de Deus. Ordens religiosas como os templários e os monges carolíngios foram acusados desta pratica espiritual, sendo que foi oficiado na Lei Canónica que apenas o próprio Papa possuía poder para perdoar os pecados de quem celebrava essas liturgias. Porem, nessas ordens religiosas a celebração de tais liturgias não era vista como um pecado, mas apenas como o pleno cumprimento do apelo de Deus em toda a extensão do seu poder, pois que Deus opera não apenas em bênçãos, mas também em maldições, e por isso a invocação tanto de umas como de outras não era mais que o pleno cumprimento de tudo aquilo que Moisés praticou, ou seja, o profeta de Deus tanto apelou ás mais terríveis maldições de ciências ocultas para se libertar o seu povo do faraó, como apelou ás mais gloriosas bençaos para alimentar de prodígios o seu mesmo povo aquando da travessia do deserto. Seculos mais tarde e ao longo do sec XV a XVII, abades e clérigos ficaram famosos por exercer a celebração deste tipo de liturgia, que depois veio a ser desfigurada por más interpretações e usos abusivos da sua verdadeira natureza.
Sortilégio:

Os sortilégios são malefícios de um feiticeiro.

Quimbanda:

È uma arte mística negra, de origem Afro-Brasileira. Esta arte limita-se a invocar espíritos do mal, ao contrário da Umbanda e Candomblé, que operam tanto com espíritos malignos como com espíritos de luz. Lúcifer é o maior dos espíritos malignos e conta com a devoção dos praticantes de Quimbanda, bem como os Exus ou demónios que possuem poder para causar vários tipos de mal. O Quimbanda é assim a pratica da magia negra ligada aos cultos de feitiçaria africanos. A Quimbanda, nasceu Bantus, Angolas, Cambindas, Benguelas, Congos, Moçambiques, etc. Cultua os mesmos orixás e entidades que a umbanda “branca” mas trabalha principalmente com exus que são considerados espíritos desencarnados. Aos exus , os quiumbas, mediante encomenda paga pelo cliente, realizam feitiços ou contra-feitiços. Visando favorecer ou prejudicar determinadas pessoas geralmente nos terreiros de quimbanda é feita a chamada macumba. Realizadas a partir da meia noite de 6a. Feira, Exus e pombas giras dançam, fumam charutos ou cigarrilhas, bebem marafo, dizem gentilezas ou palavrões aos assistentes e dão consultas, sobre saúde ou problemas pessoais. A quimbanda cultua muito Omolu, orixá ligado a terra e à morte. No cemitério é feita uma parte da iniciação de muitos quimbandeiros, devendo o iniciado, deitar-se algumas horas sobre um túmulo entre velas e cantigas do dirigente e iniciados do terreiro, tendo de cumprir antes e depois diversas obrigações, as roupas em geral são as mesmas da linha da umbanda, havendo porém muito uso do vermelho e preto, cores de Exu e de Omolu. São muitos usados em trabalho com pólvora, pós e ervas mágicas, galos e galinhas pretas. Os despachos são colocados em encruzilhadas em cruz (machos), ou em T (fêmea) com velas, flores e fitas vermelhas em alguidares

Quiumbas: 

Espíritos atrasadíssimos que pertencem ao Reino da Quimbanda, são obsessores apossam-se dos humanos ou “encostam-se” neles, dando-lhes idéias negativas de doença, males suicídios, etc. São ainda mistificadores, fazendo-se passar por espíritos mais elevados. Chamados também “rabos de encruza”, estão nosétimo e último plano da hierarquia espiritual sendo vigiados e controlados pelos exus.

Santanás, Pactos, Possessões, Bruxos e feiticeiras:

Santanás:

é o primeiro anjo gerado por Deus no primeiro dia da Criação. Como descrito no livro de Isaias, era o mais belo ser da criação e todas as coisas foram criadas pelo seu pai para o receber.No Qu’ran, esta descrito que foi feito a partir de fogo, e possui 12 asas invulgarmente grandes. Nalgumas tradições Hebraicas, ( Midrash), é tido como o anjo da morte, a quem Deus entregou o poder sobre a vida e a morte, bem como o governo do «reino dos mortos», ou do mundo dos espiritos.Isaias descreve que Satã desejou ser como o seu pai.Ao faze-lo, entrou em guerra com o seu pai, tendo a disputa originado uma batalha celestial na qual o Anjo Miguel foi general das forças de Deus. Satanás perdeu a batalha, caiu em desgraça e foi banido da presença de Deus, passando desde entao a habitar neste mundo, ( do qual se tornou «principe»), assim como a residir espiritualmente no «mundo dos mortos».

possessão:

é a invasão do corpo pelo demonio. Mas para alem da possessão involuntária,( na qual a pessoa não deseja ser possuída e é-o contra sua própria vontade), existe a possessão voluntária, ou o consórcio com o diabo. Neste tipo de possessão, a própria pessoa deseja ser possuída pelo Diabo e firma com ele um pacto.

Um pacto:

geralmente implica certos benefícios previamente acordados em troca da venda da alma ao Diabo pela parte de quem procurou o pacto. Afirma-se que Satanás tem muitos poderes, entre os quais o de se manifestar com forma humana ou animal. A relação do Diabo com quem procura um pacto, ( uma possessão voluntária), tem sido registada como puramente fisica e particularmente sexual. Na maior parte da história da Cristandade existem relatos de Satanás tendo sexo com humanos, quer como incubus (demonio macho) ou sucubus (demonio fêmea).

As bruxas e feiticeiros:

foram considerados frutos dessas uniões acima descritas entre humanos e demonios. Podem sê-lo directamente, se o demónio possuir directamente a mulher, mas também podem sê-lo indirectamente, se o demónio incorporar num homem para possuir uma mulher ou vice-versa. As concepções demoníacas são mais frequentes no segundo caso. Por serem considerados filhos «híbridos» entre demónios e humanos, bruxas e bruxos eram tidos como seres especialmente perniciosos e viciosos, porque, ou herdaram alguns dos poderes do diabo, ou herdaram a capacidade de contactar com as esferas demoníacas.

O Inferno:

As regiões infernais são descritas no cristianismo como fonte de grande punição e sofrimentos eternos, com muito enxofre e labaredas de fogo que queimam vivos os pecadores que gemem em lamentos de desespero e arrependimento. Porem na mitologia hebraica, o inferno não é mais que o «sheol», ou seja, o lugar para onde partem as almas desencarnadas depois da morte do corpo, e onde ali ficam repousando. Embora nesse local existam sítios onde uma alma é «expurgada» e «limpa» do mal, para que purificando-se entao mereça o seu justo repouso eterno, porem esta trata-se não da versão «punitiva» do «inferno» dos cristãos, mas sim da noção de «o outro lado», ou seja, a «terra dos mortos», onde toda a alma vai habitar depois de desencarnar neste mundo.
Miriam, A Judia.

Uma das mais famosas bruxas dos tempos antigos. Irmã de Moisés, dizia-se que fora instruída pelo próprio Deus. Muitos trabalhos importantes de alquimia são atribuídos a ela. Também conhecida pelo nome de Maria. Por isso, quem diz que a Magia não existe, então não frequente a Igreja, pois os próprios textos sagrados assim a descrevem e comprovam.

Sonho.

Para os antigos , especialmente os gregos, o sonho era uma ligação entre o estado atual e o futuro. Os sonhos eram vistos como uma espécie de predição do futuro e então interpretados. Um famoso livro dos sonhos, que incluía interpretações, foi escrito por Artemidoro, que viveu no século II. Na literatura bíblica, os sonhos eram o mesmo que prognósticos, assumindo um papel importantissimo como forma de comunicaçao com o mundo espiritual e com Deus.Nos textos Biblicos, os sonhos sao denominados «visoes nocturnas», que se bem que semelhantes aos sonhos normais, sao na verdade revelaçoes enviadas por Deus ou pelos Seus Anjos. Para Xenofonte, ler os sonhos era uma forma de adivinhação.

Súcubus.

Espírito do mal que toma a forma de mulher com o propósito de Ter relações sexuais com um homem. A sua versão masculina denomina-se Incubus. O objectivo dos Sucubus, ( e Incubus), ao se unirem carnalmente com um humano, é na realidade sugar-lhe a energia vital, pois estas entidade alimentam-se dela.Os ataques destas entidades ocorrem á noite. A vitima dos ataques raramente se lembra dos mesmos,(ou tem uma vaga memoria, muito esfumada, como se o ataque lhe parecesse um sonho), e acorda com uma grande sensação de fraqueza para a qual nao ha explicação.Se os ataques foram repetidos, a pessoa começa a ficar palida, geralmente com problemas sanguineos ou pulmonares e perde as forças animicas. vai inexplicavelmente perdendo as suas forças e energias, acabando por ficar de tal forma fraco e fragil que pode mesmo morrer. Muitas das lendas sobre vampiros tem na realidade origem neste tipo de entidade.

Barkaial. 

Anjo caído, citado no Livro de Enoch, que ensinou aos mortais os segredos da astrologia.

Belfegor

. No satanismo, um demônio com enorme boca e uma língua fálica.

Bruxas em Portugal. 

Bruxa é um termo português quase equivalente a feiticeira. Tanto em Portugal como no Brasil e outros países de tradição portuguesa, as bruxas estão longe de ser extintas. São especialistas em filtros de amor e outros. Em 1968, em Lisboa, uma bruxa foi levada a um tribunal. Era uma camponesa iletrada de 54 anos. O processo foi célebre, mas não se conseguiu suficiente evidência de que ela praticasse ilegalmente a medicina para que fosse condenada.

Sete Pecados Capitais. 

Pete Bins Fields relaciona os demônios que têm o poder de provocar as pessoas a cometer os sete pecedos capitais:Lúcifer (orgulho), Mammon (avareza), Asmodeus ( luxúria), Satã (raiva), Belzebu (glutonaria), Leviatã (inveja) e Belphegor (preguiça).

Sexo e Bruxaria. 

A fusão e interdependência entre sexo e bruxaria, documentadas nos julgamentos de bruxas na Europa, são fundamentais na compreensão do fenómeno demoníaco. Geralmente o sabbat das bruxas chegava ao climax quando os membros do culto satisfaziam desregradamente  seus instintos. A orgia sexual era descrita como anormal, porque nela se praticava  sodomia, homossexualismo e posições consideradas pervertidas pelo pensamento comum da época Medieval. Demónios ou o próprio Diabo, depois de assumir a forma de um íncubu ou de um súcubu, envolviam-se sexualmente com bruxas e bruxos. As bruxas, satisfaziam as necessidades, gostos e apetites dos demónios, submetendo-se assim ás suas vontades. Em troca desta submissão carnal, os demónios por um lado satisfaziam os pedidos das bruxas, ao passo que lhes concediam poder sobrenatural. Nos julgamentos de Artois, em França, as mulheres que participavam no culto demoníaco admitiram  ter tido relações sexuais com demónios. Tanto homens como mulheres tinham relações com Satã, que se transformava também tanto em homem como mulher, quando quisesse. Em Arras, também na França, de acordo com documentos dos tribunais medievais, os participantes de Sabbat confessaram que todo o corpo do Diabo, inclusive seu pénis,  é frio. Mas não apenas na bruxaria existe relação com o sexo: no culto dionisíaco também, assim como nas antigas praticas religiosas babilónicas, egípcias, etc.

Uniao Sexual 

A união sexual com o Diabo é um dos elementos essenciais da bruxaria. O sexo é ido na magia negra como um instrumento para produzir 2 fins ou resultados: 1- por um lado profanar aquilo que a Igreja comum defende e que é a abstinência e a virtude imaculada; 2- e por outro lado sendo um instrumento de produção de energias animais e espirituais das quais os demónios e espíritos de feitiça se alimentam, tal como se alimentam de sangue, de álcool e de devassidão. È com essas energias que se convocam os espíritos, ao mesmo tempo que é nelas que esses espíritos malignos se alimentam em banquetes de devassidão e luxúria. Depois de se satisfazerem num frenesi de sexo, de sangue e de devassidão, os demónios concedem poder para que a bruxa possa realizar as maleficências encomendadas pelos trabalhos de bruxaria. Há também quem afirme que uma bruxa possui uma relação simbiótica com um demónio, ou com um espírito de feitiçaria, sendo que tal relação é conseguida através de um pacto e assim, a bruxa fica condenada a dois destinos: 1-por um lado, fica condenada a ser a tentação que vai desviar os caminhos de outros humanos para que os espíritos malignos de alimentem desses desgraçados a troco da concessão de certos favores; 2- Por outro lado, a própria bruxa esta condenada eternamente a ser «vampirizada» pelo demónio ou espírito de feitiçaria com quem se relaciona e que, se alimentará das suas oferendas, dos seus rituais e das suas próprias energias interiores. Também neste aspecto, a sexualidade da bruxa é uma fonte de alimento para o demónio ou o espírito de feitiçaria com quem ela possui um pacto.

Shaddai. 

Um dos nove nomes místicos usados para invocar demônios. Ao mesmo tempo, um dos nomes que constam das lendas rabínicas sobre a hierarquia angélica. Regula a esfera da Lua, causa sofrimentos e perdas e tem controle sobre os espíritos.

Demônios.

Ordem de seres sobrenaturais considerados terrenais, ou seja, como Giordano Bruno considerou, seres espirituais demasiadamente proximos da nossa realidade carnal, e por isso influenciados pelos vicios e prazeres da vida terrena. A crença na existência de tais seres é muito difundida. Os antigos mesopotâmios viviam com medo dos demónios, comummente representados, em sua arte, com corpos humanos e cabeças de animais. Tanto os assírios como os babilónios pensavam que os demónios eram espíritos do mal, saídos das profundezas da terra, ou então fantasmas de mortos sem sepultura. Já na Grécia a palavradaemon tinha conotação tanto boa como má, sendo que o termo designava genericamente os «espiritos» . Sócrates, por exemplo, tinha um demônio familiar que o advertia quando ele estava a ponto de tomar uma decisão errada. Contudo, a ascensão do cristianismo e a consequente condenação dos espíritos do mundo pagão (considerados ligados ao demônio) transformaram os demónios em espíritos malévolos. A bruxaria lida essencialmente com espiritos, invocando-os e pedindo-lhes favores.

Diabo.

O Diabo (do latim diabolus), por sua vez do grego antigo “caluniador”, é o nome dado a uma entidade sobrenatural, um demônio malígno, que personifica o mal, em diversas religiões ocidentais. O grande demônio, é formado por quatro diferentes formas de expressões malígnas, ditos “Príncipes dos Infernos”, ou “quatro infernos”: Satã (Fogo), Lúcifer (ar), Belial (terra), Leviatã (água).Para a maioria dos autores cristãos, o diabo é o espírito supremo do mal. Tanto os demônios como o diabo são figuras proeminentes na feitiçaria e bruxaria. A palavra grega «diábolos», traduzida do hebraico, significa «adversario», «aquele que se opoem», «acusador», «inimigo», etc. E o diabo, ( mesmo segundo o livro de Job), era isso mesmo: um anjo que acusava, que tentava, que enganava de forma a testar a verdadeira Fé e amor a Deus. Era o anjo preferido de Deus. Tanto assim o era que Lúcifer significa mesma «o portador de luz» e conta-se que o diabo era o mais belo e perfeito anjo de Deus, ocupando o lugar de «braço direito» de Deus. Lúcifer era cheio de incomparável resplendor e de gloria.Não sabendo guardar a sua posição, Lúcifer concebeu o orgulho e a vaidade no coração e que poderia igualar Deus. Esse foi o erro de Lúcifer: desejar ser igual a Deus. Ele intentou tomar o lugar do Senhor; a criatura almejou ser como o Criador. E ele conseguiu reunir consigo uma legião de anjos que tomaram o seu lugar e se rebelaram contra o Criador. Houve uma verdadeira insurreição nos céus. Há quem interprete Apocalipse 12.4 como sendo o número de anjos que Satanás conseguiu arrastar com ele em sua queda: E na sua queda, o diabo levou atrás de si «terça parte das estrelas do céu e lançou-as sobre a terra». Se o número é real, podemos entender que um em cada três anjos de Deus foi aliado de Satanás e por consequência, todos esses anjos foram lançados fora dos céus e para as trevas. Por alguns, o diabo é interpretado como sendo a propria representação do ser independente de um tirano, a oposição à obediencia cega, a liberdade, a procura da sabedoria fora dos dogmas. Segundo certas versoes misticas herbaicas, o diabo foi aquele que tentou dar o conhecimento da ciencia a Eva,(tanto das ciências do mundo físico, como das ciências ocultas), e que mais tarde desceu dos ceus com os seus anjos para se unir ás mulheres dos homens e transmitir sabedoria á humanidade. O Diabo é segundo essas teses o filho celestial primogénito de Deus, que teve relações com Eva e é o verdadeiro pai de Caim, assim como é o anjo da guarda de Esaú que lutou contra Jacob. O papa Paulo VI, ansioso em corrigir alguns teólogos católicos que negavam a realidade do diabo, afirmou, num sermão proferido na Praça de São Pedro (Vaticano) em junho de l972, que “a fumaça de Satã entrou no templo de Deus através de uma fissura na Igreja”. Mais tarde, em Novembro, ele devotou um sermão inteiro às vilanias de Satã, argumentando que “este ser obscuro e perturbado realmente existe… um feiticeiro pérfido e astuto que se insinua entre nós através dos sentidos, da fantasia, da concupiscência”.O papa acabou confirmando uma realidade espiritual á qual a igreja tentou fugir mas que, acabou não podendo mais negar. Eliphas Levi, escreveu que o Diabo na Magia Negra é o grande Agente Magico, empregado para objectivos malignos por um poderoso desejo perverso. O Papa João Paulo II, ao realizar a reforma do Ritual Romano, afirmou que o Diabo é uma realidade, independentemente de acreditarmos nele, ou não.

A Marca do Diabo.

Pequena marca de nascença, cicatriz ou outra desfiguração supostamente deixada pelo casco do diabo sobre o corpo da vítima. No começo do século XV, os caçadores de feiticeiras começaram a aceitar tais marcas como prova de culpabilidade. Nos séculos seguintes, feiticeiros e feiticeiras eram despidos e raspados na procura dessas marcas. Supunha-se, na época, que a marca do diabo era impressa sobre o corpo da vítima para impedir que a mesma traísse o pacto realizado.

Pacto com o Diabo.

Um pacto entre um homem ou uma mulher e o diabo ou um de seus servidores: pode assumir muitas formas, mas inclui sempre:

  • 1. Preparação para o pacto (abstinência de carne, et.).
  • 2. Invocação na forma ritualística, acompanhada pelo sacrifício de um animal (galinha, bode, serpente, gato, etc) e por fogo.
  • 3. Um complexo conjunto de fórmulas mágicas.
  • 4. A aparição do diabo.
  • 5. Assinatura do pacto com sangue do braço esquerdo.Dibbuk.

    No ocultismo judaico, a crença de que a pessoa são duas almas ao mesmo tempo. A segunda alma é de um pecador que retornou do além para expiar seus pecados compartilhando das boas ações praticadas pela alma boa, com a qual coabita num mesmo corpo. Uma pessoa possuída por duas almas não pode controlar a intrusa, cuja voz e comportamento podem às vezes ser confundidos com o verdadeiro eu. O dibbuk grita, amaldiçoa, exibe muitas facetas de personalidade, e só pode sr expulso através de apavorantes rituais realizados dentro de uma sinagoga escura. Um rabino experiente deve deferir essas sessões e conseguirá expelir um dibbuk rebelde através do dedo mínimo da pessoa possuída.

    Feitiçaria. 

    É praticamente impossível chegar-se a uma definição clara e completa de feitiçaria, da mesma forma que seu quase sinonimo bruxaria. Embora, do ponto de vista da igreja antiga, feitiçaria seja o comércio com entidades demoníacas com o propósito de praticar o mal, interpretação ocultista do termo é completamente distinta. Está nesse último caso, mais relacionada com a possibilidade de manipulação – para o mal ou para o bem – de forças e energias naturais, a partir de capacidades mentais e do espírito, como a concentração, a mentalização, a vontade. Mas a noção prevalente, a nível popular, ainda é a da Igreja.
    Entre as características apontadas da feitiçaria estão: perturbações da atmosfera: capacidade de fazer viagens espirituais ou astrais, ( que foi caricaturada na capacidade de voar em vassouras e coisas do género),: envio de animais, à noite, para o desempenho de missões ordenadas por seus mestres feiticeiros: metamorfoses; uso de substâncias mágicas (óleos, filtros, elixires, etc.) capazes de provocar radicais mudanças de comportamento de uma pessoa; encontros espirituais nocturnos e escolha de dias santos da Igreja para tais encontros; associação da escuridão ao mal; a pratica da nudez em danças e rituais normalmente executados em encruzilhadas, a produção de malefícios e maldições como as as amarrações; a celebração de pacto com demónio; a celebração de orgias sexuais onde se consuma a cópula com demónios;

Lei da Feitiçaria.

Na Inglaterra, o Ato de Feitiçaria , promulgado em 1735, por um lado proibia a feitiçaria, ao passo que tambem estipulava que a feitiçaria não existia e que qualquer pessoa que clamasse possuir poderes sobrenaturais seria processada. Mas foi somente em 1951 que a legislação britânica eliminou a última referência à feitiçaria de seu Código Penal.

Feiticeira/o. 

Embora o feitiço possa ser feito tanto pela mulher como pelo homem, a palavra celebrou-se no feminino, devido ao número muito maior de mulheres que, nos séculos da Inquisição, foram acusadas de prática da feitiçaria. Quase sinonimo de bruxa, acabou-se, com o tempo – e em termos de processos criminais – , estabelecendo-se uma distinção entre as duas palavras: tanto a bruxa quanto a feiticeira aprendem suas artes mágicas com o demónio; mas a primeira, para conseguir isso, vende a própria alma ao diabo, enquanto a segunda permanece livre mesmo após adquirir o conhecimento. Outras versões defendem que a bruxa nasce bruxa, ( com talentos inatos para ser bruxa), ao passo que qualquer um pode ser uma feiticeira/o, bastando para isso estudar o assunto a aprender sobre ele como se aprende qualquer outra profissão. Há no entanto um pequeno detalhe: para que uma feiticeira/o possa fazer suas feitiçarias resultar de verdade, ela/e tem de fazer um pacto com um espírito de feitiçaria, ou um demónio de feitiçaria. Esse espírito demoníaco passará a viver em simbiose com a feiticeira/o, sugando dela/e a sua energia vital, recebendo dela/e oferendas que lhe sao agradáveis, de forma a que em troca esse espírito concede os desejos invocados nas feitiçarias. Este pacto dura para sempre e condenará a alma da feiticeira/a a tornar-se igualmente num espírito de fetiçaria. Segundo estas teses, o poder de uma feiticeira/o reside na força da entidade espiritual com que ela/e fez um pacto eterno. Segundo a visão europeia, uma feiticeira pode parecer jovem, irresistivelmente bela e ser, na realidade, velha, repulsiva, marcada com o sinal do diabo. Ela tem um pacto com uma entidade demoníaca, pelo que oferenda a esse espírito coisas como sangue, sémen, álcool, menstruação, etc…. em rituais secretos e satânicos. Algumas ideias Cristas defendem que elas bebem ou se banham em sangue humano, constroem bonecas de cera que representam seres humanos para os dominar, causam desgraças, praticam orgias com humanos e demónios, perturbam as forças da natureza (pode desencadear tempestades ou períodos de seca etc.), engendram vinganças terríveis contra aqueles que a ofendem, copulam com quem desejam, ameaçam as hostes infernais e recorrem a um vasto arsenal de fórmulas, substâncias e ferramentas para produzir sua arte. Como a feitiçaria atingiu seu apogeu durante a Idade Média muitas designações para feiticeira ou bruxa são em latim, o veículo literário corrente na época: lamia, maga, maleficu, saga, sortilega, strix, venefica.

Hexagrama. 

Uma figura de seis pontas usada para controlar demônios. Também conhecida como Escudo de Davi.

Hierarquia de Demônios.

De acordo com A Chave de Salomão, os três principais espíritos do inferno são Lúcifer, Belzebu e Astorah. São, respectivamente, imperador, primeiro-ministro e grão duque do reino. Seguem-se mais seis demônios, de posição respeitável: Lucifuge, Satanachia, Agaliarept, Fleuretty, Sargatanas e Nebiros.

Demonios Igneos.

Uma das seis classes de demônios identificados pelos teólogos medievais.

Íncubus.

Demônio masculino que surge para atrair sexualmente as mulheres. Sua contraparte feminina são  os Súcubus . Para os primeiros cristãos, os íncubos são anjos cujo interesse sexual conduziu-os à queda.
Invocação de Espíritos.

No vodu haitiano, a fórmula de invocação de espíritos é a seguinte: vá a uma estrada à meia-noite de uma sexta-feira, levando uma vela feita de cera de abelha, sebo de boi e fígado de andorinha. Acenda a vela em nome de Belzebu e diga: “Belzebu, estou chamando-o para que me responda sobre (o tema de interesse) agora”.

Invocação do Demónio.

Existem algumas fórmulas antigas para a invocação de demônios. Algumas delas: Palas aron azinomas; Bagahi laca Bachabé. Ou pelos seus nomes místicos: Eheieh, Iod, Tetragrammaton Elohim, El, Elohim gibor, Eloah Va-Daath, El Adonai Tzabaoth, Elohim Tzabaoth e Shaddai. Ipsissimus, o mais alto dos graus do sistema cabalístico de Aleiter Crowley. Para ele, Ipsissimus “está livre de qualquer limitação”.

Jesus , o Exorcista

O exorcismo teve grande importância na vida de Jesus. Marcos relata que muitos doentes e possuídos foram até Cristo e saíram curados. Mateus confirma o poder de Jesus em expulsar os espíritos e interpreta isso como a realização da profecia de Isaias. Lucas diz o mesmo.Todos os evangelhos sao comuns ao descrever Jesus como um exorcista que ganhou grande fama pelos seus prodigios, sendo que foi essa faceta que lhe angriou a fama junto das populações

Nahemah.

Nome da princesa dos súcubus, os demônios femininos.

Nostradamus (1503-1566).

Médico francês, alquimista. Autor de tratados herméticos, livros de alquimia e profecia. Em maio de 1555 foi publicada a sua obra mais importante: As profecias de Michel de Nostradamus. Esta edição era incompleta e, em 1568, apareceu a obra completa, editada em Lion.

Nove Nomes Divinos.

Usando-se nomes divinos, pode-se espantar os demônios. São eles: Eheieh, Iod, Tetragrammaton Elohim, El Elohim Gibor, Eloah Va-Daath, El Adonai Tzabaoth, Elohim Tzabaoth, Shaddai.

Nudez.

Por um lado, os bruxos acreditam que o corpo humano é um armazém de energia e que os demónios se alimentam dessa energia quanto o corpo pratica certo tipo de actos. Por outro lado, a nudez ritual é uma forma de transgredir a velha ordem cristã, que vê no corpo e na carnalidade um pecado mortal.  Por isso, a nudez faz parte dos processos místicos da bruxaria.

Pã.

Deus sensual cujo culto se espalhou por todo mundo helênico. Lider dos sátiros, afirmava-se que ele próprio costumava participar da celebração do sabá das bruxas.

Predição.

O ato de antecipar o futuro através de várias técnicas desenvolvidas para tal fim. Um dos métodos mais conhecidos é a numerologia·
Quindecemviri.

Guardiões dos livros Sibilinos, que são uma colecção das profecias sibilas, profetizas na lenda e literatura gregas. Os quinze homens indicados pelo ditador romano Sulla (138a.C.-78 a C.) eram os únicos que podiam ler os manuscritos nos quais estavam descritos os destinos da humanidade.

Rainha do Sabath.

Ainda que a maioria dos sabbat  tenha sido presidida por homens, no século XVII os feiticeiros bascos eram dirigidos por uma rainha, que era a própria noiva do Diabo.

Rainha dos Elfos.

Nalguns dos julgamentos escoceses de bruxas, a Rainha dos Elfos era mencionada como uma divindade presente no sabath. Dizia-se que tinha relações com os bruxos.

Reencarnação.

A doutrina da reencarnação está directamente relacionada com a crença da imortalidade da alma, de origem oriental, e considera que todo indivíduo possui um elemento espiritual, que, após a sua morte fisica, pode encarnar e renascer noutro corpo. Esta crença é professada tanto pelo ocultismo antigo como pelo moderno e, de acordo com Gerard Gardner, autor do Bruxaria hoje (1955), os feiticeiros modernos acreditam na reencarnação e dirigem seus pedidos ao Senhor do Mundo Inferior. A deusa que ascende ao nosso mundo é a noiva do Diabo, a qual se presume influenciar a decisão do seu amado do sobre o local e o momento em que a pessoa deve reencarnar.

Grimório.

Manual de magia, geralmente atribuído a autores desconhecidos, ou a grandes personagens (como o rei Salomão), ou certos papas (como Alberto, o Grande). Eram muito populares durante a Idade Média. Entre os mais notáveis desses “Livros Negros”, como eram também conhecidos, estão Liber Spirituum (“O Livro dos Espiritos”);

Doutrina dos Opostos.

A existência de pares de opostos na natureza está por trás da teoria mágica baseada na procura do misterioso uno que deve reconciliar toda diversidade na unidade. O principio esta descrito nas proprias escrituras, onde é revelado que Deus fez toda sua criaçao em «pares», sendo que diante da uma coisa, se encontra o seu oposto. A alternância entre dia e noite, vida e morte, calor e frio, calma e violência leva a acreditar que opostos são manifestações de algo maior, de que fazem parte. Tal alternância foi mesmo um dos argumentos teologicos mais sustentados para permitir que muitos grandes teologos e filosofos concluissem que se tudo opera por opostos, entao á materia deve opor-se a existência de algo imaterial, ao corpo deve opor-se a existência de espírito, á criação deve opor-se a existência de um criador – Deus-. O filósofo Alemão Friedrich Hegel levou essa idéia para a filosofia, revivendo a dialéctica, operando atraves das suas teses, antíteses e sínteses. Essa doutrina exige do mágico experiência e mestria para poder equilibrar as forças ao seu comando: amor e ódio, instinto e razão, bondade e maldade. Muitos rituais mágicos têm como foco o equilíbrio dessas forças opostas. O que importa nesses rituais não é o homem animal ou o homem pensador, mas todo o homem, que precisa ser inteiro para usar todos os seus poderes. Com essas magias, realiza-se uma «ponte» entre o mundo fisico e o mundo espiritual.

Oráculo.

O acto de um(a) Deus(a) comunicar com o ser humano por meio de um profeta ou vidente; O altar de um deus no qual perguntas são feitas; O mais famoso dos oráculos foi o de Delfos, mas o de Dodona, Epidauros e Trofônio também foram muito conhecidos na Grécia antiga. Talvez o mais antigo tenha sido o de Esculápio, filho de Apolo, chamado de Curador, porque tratava doentes através de sonhos que surgiam enquanto dormia no templo. Esse templo ficava em Epidauros. O oráculo de Delfos, situado em Parnassus, era um templo dedicado a Apolo, o deus da eloqüência. Todos que visitavam o templo deviam levar uma oferenda. Logo o local ficou cheio de tesouros e presentes dos gregos e dos estrangeiros, o que despertou a cobiça dos colecionadores de ouro e preciosidades. Apolônio de Tiana contou em detalhes sua visita ao oráculo de Delfos. A purificação em água sagrada era seguida pelo sacrifício de um touro e um bode ao deus. Apolônio entrou no templo com uma folha de oliva nas mãos, esperou em frente a estátua de Apolo, no interior da caverna. Depois de um tempo, a sacerdotisa Pítia surgiu e sentou-se sobre uma trípode. Ela começou a tremer nervosamente, mas nada disse de inteligível. Suas convulsões tornaram-se violentas e ela espumava pela boca. Tiana havia perguntado se seu nome seria lembrado no futuro. A resposta, enfim, foi que provavelmente sim, mas apenas para ser caluniado·
Sabath.

Reunião periódica de bruxas, magos ou necromantes em florestas escuras, cavernas escondidas, ruínas abandonadas ou locais santificados. Na Europa os iniciados celebram a sua devoção aos demónios dançando na escuridão, invocando o Diabo, sacrificando animais e participando de orgias sexuais. Em hebraico, Chabbath, em francês, Sabbat, a palavra é usada para designar a reunião de bruxas porque se acreditava que a magia tinha relação com os judeus. Alguns desses encontros no passado, tinham data certa, sendo que em algumas regiões eram realizados a 2 de Fevereiro, a primeiro de Maio, primeiro de Agosto e primeiro de Outubro. Essas datas lembram a divisão céltica do ano, que começava a primeiro de Maio e primeiro de Novembro. Actualmente, o primeiro sabbat das bruxas é marcado de forma a coincidir com o solstício do verão e do equinócio de Outono.

Sal.

Na magia, o sal é usado para repelir os demónios, pois todos eles detestam o sal. Sagrado para  Deus, o sal mantém os demónios afastados.

Sangue.

Desde tempos imemoriais o sangue é visto como um agente vital e figura em rituais de sacrifício. Nos tempos paleolíticos, figurava proeminentemente nos sacrifícios. O corpo do morto era colocado em covas contendo pedras vermelhas, cujo o intuito era prover o morto com um substituto para o agente vitalizador. Os gregos, por sua vez, despejavam sangue nos túmulos para reviver o espírito dos mortos. Em certas religiões, como o mitraísimo o baptismo de sangue era usado para purificar tanto o corpo como a alma. Na Biblia está escrito que «o sangue é a vida», e na verdade, os mitos vampíricos estão, quando referindo-se á questão do sangue, fazendo na realidade uma alusão a essa força vital que se extrai de um ser, e que pode ser fonte de alimento, de força espiritual e de vida.Por isso mesmo os Inccubus e Succubus acabam realizando exactamente o mesmo que os vampiros – alimentarem-se de um ser humano– sem que contudo estes últimos retirem sangue ás suas vitimas, pois na verdade estamos falando, não do liquido em si, mas sim de uma certa energia vital que, dizem os textos sagrados, está latente nesse liquido. Os demónios, diz-se, adoram sangue.

Possessão

O termo refere-se a um fenómeno espiritual que se pode manifestar de diversas formas. Na sua expressão mais violenta, compreende-se como a assalto de um demónio ou um espírito mau a um corpo, sendo que essa entidade demoníaca entra no corpo da vítima e possui a mesma. Assim sendo, a vitima perde o controlo sobre o seu corpo, que passa por seu lado a ser comandado pela entidade que nele habita. Segundo a Bíblia, há outras formas de possessão demoníaca, e as mesmas estão ligadas á pratica de magias negras, artes divinatórias, espiritismo, etc. Diz-se nesses casos que os praticantes destas artes possuem um estreito vinculo com entidades demónicas ou espíritos das trevas.

Oculto

O termo oculto advêm do latim «occultus», referindo-se ao que esta escondido, ao que não é visível. Em termos esotéricos, o termo oculto refere o conhecimento sobre as coisas invisíveis, ou o conhecimento sobre o mundo espiritual, o conhecimento relativo ao sobrenatural. Este termo é usado por oposição ao conhecimento das coisas visíveis, ou o conhecimento sobre as coisas mensuráveis, ou seja, aquilo a que chamamos ciência.

Ciência

Em termos do conhecimento místico, a ciência é vista enquanto uma forma de conhecimento sobre o mundo físico, ou seja, sobre tudo aquilo que é material e logo, é quantificável e mensurável. Por oposição, existem as ciências esotéricas, que se debruçam sobre o conhecimento do mundo que não é físico, ou seja, sobre o mundo espiritual e sobrenatural.

Metafísica

Conjunto de reflexões que visam equacionar uma explicação racional da realidade. A metafísica parte de constatações obtidas através da experiência, mas depois ultrapassam essa esfera empírica para tentar alcançar o conhecimento sobre realidades que a transcendem.

Ménade

Antiga sacerdotiza de Baco.

Incenso.

Simboliza o sopro da vida e é um importante elemento em qualquer ritual mágico

Libação

Acto de partilhar e oferendar bebidas num ritual a Deus, Deuses ou espiritos.

Oblação

Acto de realizar oferendas num ritual a Deus, Deuses ou espiritos.

Tuli, Sociedade de

Sociedade mística da qual Hitler retirou alguns conceitos utilizados na formulação de sua filosofia.

Enoquiano ( sistema de magia)

Sistema desenvolvido por John Dee e pelo vidente Edward Kelley no sec. XVI. Através de um sessão de vidência numa bola de cristal, os dois estabeleceram comunicação com supostos anjos, que lhes passaram um tipo de linguagem nativa dessas entidades. Junto passaram um alfabeto de 21 letras ( um verdadeiro idioma com regras próprias de gramática), 19 invocações e conhecimentos ocultos. Segundo a história, as palavras possuem um poder tão grande ao serem pronunciadas, que foram passadas de trás para frente.

Necromancia

Trata-se da relação de comunicação e utilização dos mortos para determinados fins. Vários sistemas religiosos ou mágicos a utilizam, com destaque para o Espiritismo, Candomblé, Umbanda e Voodoo.

quer um poderoso trabalho de magia?

quer um poderoso trabalho de bruxaria?

Fale com quem sabe!

Escreva-nos!

Altar de São Cipriano

 

Recomende, partilhe e vote nesta matéria
1 2 3 4 5 6 7